Justiça

Moraes prorroga inquérito do STF sobre milícias digitais

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), prorrogou nesta segunda-feira (22) o inquérito que apura a atuação de milícias digitais nas redes sociais para divulgação de desinformação contra a democracia e às instituições brasileiras durante o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro.

Com a decisão, a Polícia Federal (PF) terá mais 90 dias para concluir as investigações. O pedido de mais prazo para encerrar as investigações foi feito pelos delegados responsáveis pelo caso. Em setembro do ano passado, Moraes também prorrogou o inquérito pelo mesmo prazo.  

O inquérito aberto no Supremo por determinação de Alexandre de Moraes avalia “fortes indícios” da atuação de uma organização criminosa para atentar contra a democracia e o estado democrático de direito. Em outubro de 2023, Moraes incluiu o relatório final da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do 8 janeiro nas investigações.  O relatório marcou fim dos trabalhos da comissão e indiciou 61 pessoas, entre elas, Jair Bolsonaro.

O material contém 1,3 mil páginas e 7 terabytes de arquivos digitais, incluindo imagens, vídeos e diversos documentos que embasaram os indiciamentos.

Confira mais Notícias

Obrigado a ir

Moraes nega pedido de Bolsonaro para adiar depoimento à PF

Eleições

Lideranças do Podemos se reúnem para debater futuro político de Cachoeiro. É neste sábado

Operação Tempus Veritatis

Bolsonaro tentou apoio da OAB contra sistema eleitoral

Sede de poder

Em vídeo, Bolsonaro orientou ministros a questionar urnas e Judiciário; veja

General Augusto Heleno defendeu rompimento institucional para manter Bolsonaro

Ministro do STF era alvo

Bolsonaro discutiu minuta de golpe que previa prender Moraes, diz PF

Ex-presidente

Bolsonaro pediu e aprovou mudança em minuta que previa golpe, diz PF

Presidente do Partido Liberal

Polícia Federal encontra com Valdemar Costa Neto pepita de ouro extraída ilegalmente