Setor Elétrico

EDP anuncia mais de R$ 910 milhões em investimentos no Espírito Santo em 2024

A EDP, companhia que atua em todas as áreas de negócios do setor elétrico brasileiro, e o governo do Espírito Santo anunciaram, nesta quarta-feira, 21, investimentos de mais de R$ 910 milhões no estado em 2024. Mais de R$ 810 milhões serão direcionados para projetos de infraestrutura de distribuição de energia e R$ 100 milhões para quatro usinas solares de geração distribuída, que foram inauguradas durante cerimônia no Palácio Anchieta, com a presença do governador Renato Casagrande e do CEO da EDP Brasil, João Marques da Cruz. Além disso, também faz parte do investimento o patrocínio de R$ 2,6 milhões à restauração do Complexo do Carmo.

“O Espírito Santo é um dos principais estados de atuação da EDP e estes investimentos comprovam mais uma vez isto. Temos grande orgulho da parceria estabelecida com o governo do estado a fim de proporcionarmos, juntos, energia de qualidade, melhorias na infraestrutura e programas sociais aos capixabas. E é pensando nisso que trouxemos para o estado o nosso produto de energia solar. Com a geração distribuída solar, residências e comércios que queiram economizar em sua conta de luz podem aderir ao programa Solar Digital EDP”, afirma João Marques da Cruz.

Em 2023, a EDP investiu cerca de R$ 1 bilhão no Espírito Santo, sendo R$ 844 milhões em distribuição e R$ 166 milhões na implantação de projetos de geração solar.

Novas subestações

No evento, a EDP e o Governo do Estado inauguraram cinco subestações de distribuição de energia, que já são parte das ações e dos investimentos totais em infraestrutura anunciados do evento. As subestações Santa Helena, Gironda, Rio Novo do Sul, Ibatiba e Vinhático contaram com investimento de R$ 79 milhões e vão beneficiar mais de 61 mil clientes nos municípios de Nova Venécia, Vila Pavão, Cachoeiro de Itapemirim, Rio Novo do Sul, Vargem Alta, Itapemirim, Ibatiba, Muniz Freire, Montanha e Pedro Canário.

As subestações foram construídas para ampliar a capacidade e trazer mais confiabilidade ao fornecimento de energia, contribuindo para o desenvolvimento econômico e expansão da atividade industrial e turística nessas regiões.

A EDP já havia anunciado um investimento recorde de cerca de R$ 4 bilhões no estado entre 2020 e 2025, aproximadamente o dobro do que foi investido entre 2016 e 2020. O aporte tem como foco a expansão da rede, preparando o sistema elétrico para o desenvolvimento das 70 cidades da área de atuação, melhorias operacionais, redução de perdas, como o combate ao furto de energia, investimento em digitalização e atendimento ao cliente. Para isso, a companhia entende ser necessária uma rede de distribuição segura, confiável, monitorada e flexível.

Usinas solares

Também foram inauguradas durante o evento quatro usinas solares de geração distribuída, com capacidade instalada de 25 MWp. Com investimento de R$ 100 milhões, os empreendimentos estão localizados nos municípios de Pedro Canário, São Mateus, Boa Esperança e Sooretama, e devem atender a consumidores residenciais e pequenas e médias empresas do estado – como farmácias, padarias, lavanderias, lojas, oficinas e confecções, bares e lanchonetes, salões de beleza e barbearias, clínicas, pet shops, entre outros – por meio do Solar Digital EDP, serviço de assinatura de energia solar.

Podem aderir pessoas físicas e empresas de todo o estado, que tenham uma fatura mensal de energia elétrica a partir de R$ 250, sem fidelidade de contrato (o cliente pode sair a qualquer momento, com aviso prévio de 90 dias), sem taxa de adesão ou custo de manutenção, e os clientes que podem ter, até o final de março, uma economia de 18%. A adesão pode ser feita de forma 100% online (https://empresas.edp.com.br/) e não requer do cliente investimento na instalação de placas solares, nem alterações na rede elétrica.

Atualmente, a EDP conta com 13 usinas solares no Espírito Santo. Desse total, dez já estão em operação e três estão em construção, com previsão de serem energizadas ainda no primeiro semestre de 2024. As ações no Espírito Santo estão alinhadas à estratégia da empresa de consolidar e expandir sua atuação em geração solar distribuída, com investimentos de R$ 2,3 bilhões previstos até 2026, em todo o país. Atualmente, a companhia tem 87 usinas solares de geração distribuída no Brasil, sendo 48 já em operação.

Restauro do Complexo do Carmo

Durante a cerimônia, a empresa também assinou o termo de compromisso de patrocínio para o restauro do Complexo do Carmo, que inclui o Convento e a Igreja de Nossa Senhora do Carmo, no valor de R$ 2,6 milhões. O Instituto Modus Vivendi é responsável pela execução do projeto, que tem a EDP como primeira patrocinadora, via incentivos fiscais da Lei Rouanet.

O restauro contemplará a troca das instalações elétricas e a implantação de sistema de proteção contra descargas atmosféricas, além de serviços para combate a incêndio e segurança. Na parte de restauro, o destaque são as pinturas decorativas e artísticas na superfície na Igreja, que vão recuperar sua originalidade. Localizado no centro de Vitória, o complexo pertence à Arquidiocese de Vitória e é um patrimônio histórico e cultural do estado. Fundado em 1682 por padres carmelitas, o convento é tombado pelo Conselho Estadual de Cultura do Espírito Santo.

A EDP já havia realizado aportes em outras iniciativas culturais no Espírito Santo, como o Theatro Carlos Gomes (R$ 10 milhões) e o Roteiro Jesuítico (R$ 2,3 milhões). Apenas em 2023, a companhia investiu R$ 11,5 milhões em ações com foco social, esportivo e cultural no estado.

Confira mais Notícias

Números Capixabas

Primeiro semestre de 2024 bate recorde histórico de abertura de empresas

Seu Bolso

Petrobras reajusta em 7,12% preço da gasolina para distribuidoras

Fraudes contábeis nas Americanas superaram os R$ 25 bilhões

Negócios

Rochas Ornamentais: “Finep Day” acontece em Cachoeiro no próximo dia 11

Seu Bolso

Julho terá bandeira amarela na conta de luz, define Aneel

Seu Bolso

Taxa para compras de até US$ 50 não incidirá sobre medicamentos

Dívidas

ES teve mais de 92 mil contratos negociados na Faixa 1 do Desenrola por meio do site do programa

3 de junho

INSS paga segunda parcela do 13º a quem recebe acima do mínimo