TERCEIRO MANDATO

Casagrande é reeleito com 53,8% dos votos

Foto: Hélio Filho/Secom ES

Renato Casagrande (PSB) foi reeleito governador com 1.171.288 milhão de votos (53,80%) contra 1.006.021 votos (46,20%) de Manato (PL) na disputa do segundo turno, realizada no domingo (30). Essa vai ser a terceira vez que Casagrande vai comandar o Espírito Santo. A posse do governador acontece no dia 1º de janeiro de 2023.

Eleito pela Coligação Juntos por um Espírito Santo mais Forte, formada por PSB, MDB, PP, Pros, Podemos, Federação Brasil da Esperança (PT/PC do B/PV), Federação PSDB/Cidadania e PDT, Casagrande terá como vice-governador o ex-senador Ricardo Ferraço (PSDB). No segundo turno eles receberam apoio da Federação Psol/Rede, do Solidariedade e do Avante. 

Carreira

José Renato Casagrande nasceu em 3 de dezembro de 1960, em Castelo, no Sul do Estado. É formado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) e em Direito pela Faculdade de Direito de Cachoeiro de Itapemirim.

Foi eleito governador do Espírito Santo pela primeira vez em 2010. Em 2014 disputou a reeleição, mas foi derrotado por Paulo Hartung. Em 2018, reconquistou o cargo de chefe do Executivo estadual em primeiro turno, com a preferência de 55,49% do eleitorado capixaba. Na ocasião, o candidato Manato acabou em segundo lugar.

Casagrande já obteve outros mandatos públicos, como de deputado estadual (1991-1994), vice-governador (1995-1998), deputado federal (2003-2006) e senador da República (2007-2010).

Confira mais Notícias

Movimentos políticos

De olho na vaga, deputados repercutem eleição para o Tribunal de Contas do Espírito Santo

Eleições

STF derruba regras de sobras eleitorais

Decisões

TSE restringe uso de Inteligência Artificial nas eleições de outubro; veja outras regras aprovadas

Análise política

Dorlei Fontão trabalha e confia na decisão da Justiça; Paulinho Mineti observa

Sucessão

Internamente não há dúvidas! Leo Português será o candidato de Fabrício Petri em Anchieta

Em discurso

Lula chama guerra em Gaza de genocídio e critica “hipocrisia”

Mudo

Bolsonaro não responde à PF em depoimento sobre golpe de Estado

Obrigado a ir

Moraes nega pedido de Bolsonaro para adiar depoimento à PF