Decisão

Tribunal de Contas determina suspensão de aumento para servidores da Câmara de Venda Nova do Imigrante 

Uma cautelar concedida pela conselheira substituta Márcia Jaccoud Freitas determinou a suspensão do reajuste salarial aos servidores comissionados da Câmara Municipal de Venda Nova do Imigrante. A decisão foi publicada no Diário Oficial de Contas nessa quarta-feira (02), após representação do controlador interno da prefeitura de Venda Nova do Imigrante. 

A decisão é monocrática da relatora do processo e deve ser referendada na próxima sessão colegiada. Ela notificou o presidente da Câmara, o vereador Erivelto Uliana, para que, com urgência, cumpra a decisão, publique o extrato na imprensa oficial e comunique o TCE-ES sobre as providências adotadas. O descumprimento da decisão implicará em responsabilidade solidária por eventuais danos e poderá resultar na aplicação de multa. 

O processo detalha que a denúncia teve origem na Plataforma Integrada de Ouvidoria e Acesso à Informação da prefeitura de Venda Nova do Imigrante. A manifestação citava irregularidades na lei municipal 1553/2023, que concedeu aumento aos servidores comissionados sem estudo de impacto financeiro. Consta, também, que a lei foi vetada pelo prefeito, mas promulgada pela Câmara. 

“Podemos observar que o salário do nível CC-5 antes da aprovação da Lei nº 1553/2023, era de R$ 1.725,04, e agora passará a ser de R$ 2.987,50. Ou seja, teve um aumento real de 73%”, traz a representação. 

Segundo a área técnica, os vencimentos dos servidores já estão sendo pagos com o valor majorado pela legislação em questão. “O que atrai a necessidade de adoção de providências imediatas por parte desta Corte”, apresenta a relatora. 

A representação também cita irregularidades referentes à lei municipal nº 1.552/2023, que, neste momento, não foi apreciada pela relatora. Ela entendeu que há a necessidade de completa instrução, com remessa prévia dos autos ao Ministério Público de Contas, para manifestação. 

Entenda: medida cautelar 

Tem a finalidade de, emergencialmente, prevenir, conservar, proteger ou assegurar direitos, por haver fundado receio de grave ofensa ao interesse público ou de ineficácia das decisões do tribunal.    

A medida cautelar poderá ser concedida no início ou no decorrer do processo, podendo a decisão ser revista a qualquer tempo por essa Corte de Contas.    

A cautelar não indica julgamento terminativo do mérito, ou seja, não é possível atribuir valor ético e formal à conduta do agente a partir desta decisão.    

Processo TC 4004/2023   

Confira mais Notícias

Saúde

Espírito Santo tem 194 novos profissionais do Mais Médicos, aumento de 52%

Serviços

Em Cachoeiro, operação da PPP da Iluminação Pública terá início autorizado na próxima semana

Oportunidades

Em Cachoeiro, Agersa prepara Concurso Público para provimento de cargos efetivos

Obras

Prefeitura de Cachoeiro busca investimento para implementar programa de desenvolvimento local

De 4 a 7

Edição 2024 da Exposul Rural será realizada em abril, em Cachoeiro de Itapemirim

Sistema de esgoto adequado é acessado por 3 em cada 4 brasileiros

Desconto

Refis: prazo para negociação de dívidas em Cachoeiro termina na próxima segunda (26)

Para obras

Cachoeiro começa essa segunda (19) com trecho da Linha Vermelha interditado