Mais social

Restaurante Popular de Vitória será reaberto com oferta de 2 mil refeições diárias


Ofertar políticas sociais para quem mais precisa e garantir os seus direitos são premissas básicas para a Prefeitura de Vitória. Nessa perspectiva, foi lançado, nesta quarta-feira (21), o Edital para a Reforma e Reestruturação do Restaurante Popular de Vitória, localizado a Rua Hermes Curry Carneiro, nº 31, na Ilha de Santa Maria.

A reabertura do Restaurante Popular vai garantir o acesso a refeições nutricionalmente adequadas, com preços acessíveis e diferenciados, de acordo com o perfil socioeconômico dos usuários. Além de servir duas mil refeições diariamente, o restaurante ofertará atividades de educação alimentar e nutricional para orientar e contribuir para que seus frequentadores tenham uma vida mais saudável.

“Já temos o cartão Vix + Cidadania, que gera benefício para as pessoas comprarem itens de higiene, gás e alimentos. Agora, com o Restaurante Popular, vamos avançar ainda mais com um passo largo no nosso rol de políticas sociais. Vamos garantir que todos tenham o direito de se alimentar, com respeito à população e refeição de qualidade. É nosso compromisso cuidar do nosso povo”, explicou o prefeito de Vitória Lorenzo Pazolini.

“O Restaurante Popular é uma resposta da gestão frente aos desafios da insegurança alimentar e nutricional. O esforço para retomar o Restaurante foi possível graças ao ajuste fiscal, a obra é uma etapa muito importante nesse processo de retomada do Restaurante em nossa capital. Entendemos que somado ao Vix + Cidadania essa é uma entrega muito importante para a cidade”, disse a secretária de Assistência Social, Cintya Schulz.

Estrurura

Imagem Divulgação

Projeção do novo Restaurante Popular

Projeção do novo Restaurante Popular (ampliar)

Imagem Divulgação

Projeção do novo Restaurante Popular

Projeção do novo Restaurante Popular (ampliar)

A reforma contempla a reestruturação de todo o prédio, com salas de administração, nutricionista e assistente social, áreas para recebimento e preparo de alimentos, depósitos, câmara fria e estoque, cozinha industrial, vestiário de funcionários e banheiros.

O custo total máximo admitido em proposta para execução das obras de reforma e reestruturação é de R$ 3.700.424,89 com prazo de conclusão de 240 dias (oito meses) após a assinatura da ordem de serviço para início das obras.

“A obra de reforma será concluída em até oito meses, com recursos próprios. Importante ressaltar que o custeio diário dessas refeições será também com recursos bancados pelo município “, disse o secretário de Obras Gustavo Perim.

As intervenções contemplam ainda itens de sustentabilidade, como uso de lâmpadas de LED, utilização de torneiras de pressão com arejadores, bem como redutores de vazão para economia de água e atendimento à Lei Orgânica da Segurança Alimentar e Nutricional – Losan (Lei nº. 11.346/2006), na qual o restaurante enquadra-se como unidade de proteção alimentar. E atende, ainda, a Lei Municipal 8.401/2012 – Sisan Vix.

Confira mais Notícias

Matéria de Domingo

Chinês criador das cidades-esponja diz que Brasil pode ser referência

Lancha com turistas capixabas explode em Cabo Frio

Prefeitura de Irupi se torna 1ª cidade do Espírito Santo a extinguir papeis em processos públicos

Doação

Festa de Cachoeiro: cantor Anderson Freire doará cachê para entidades sociais

Sul do ES

Tribunal de Contas recomenda a rejeição das contas de 2020 de Giló, em Mimoso do Sul

Cultura

VII Festival de Leituras Dramáticas Capixabas agita Cachoeiro

Agenda

Festa de Cachoeiro: Festival levará boa comida e artesanato ao Parque de Exposição

Solidariedade

39º edição da Feira da Bondade de Cachoeiro acontecerá em outubro