Economia

Produção de petróleo em mar no ES deve crescer 84% até 2027

A produção de petróleo offshore (em mar) no Espírito Santo deve crescer 84% até 2027, na comparação com 2022, de acordo com a 6ª edição do Anuário da Indústria do Petróleo e Gás Natural no ES. Já para o gás natural, projeta-se um aumento médio anual de quase 97% nesse mesmo período.

O documento, lançado nesta segunda-feira (24) no Palácio Anchieta, em Vitória, reúne os mais importantes dados e análises do setor, além de apresentar uma projeção da produção de óleo e gás nos próximos cinco anos.  O Anuário é produzido pelo Observatório da Indústria da Findes, com o apoio do Sebrae e do Fórum Capixaba de Petróleo, Gás e Energia (FCPGE), da Organização Nacional da Indústria de Petróleo (Onip) e do Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP).    

A presidente da Findes, Cris Samorini, destaca que os projetos previstos vão contribuir para o incremento da extração e cita que o Anuário traz as perspectivas de investimentos de R$ 8,8 bilhões até 2027, envolvendo empresas como Petrobras, Shell, Seacrest Petróleo, Imetame, EnP, PRio, Repsol, Equinor, e outras.  

“A produção de petróleo e gás natural vem recuando ao longo dos últimos anos devido, principalmente, ao amadurecimento dos campos. Com novas empresas e investimentos em mar, e também em terra, voltaremos a ver a produção capixaba crescendo novamente, e, sabendo disso, poderemos aproveitar as oportunidades que surgirão”, aponta Cris.

A economista-chefe da Findes e gerente executiva do Observatório da Indústria, Marília Silva, explica que, a partir de 2025, espera-se uma tendência de reversão da queda da exploração de tanto de petróleo quanto de gás natural.

“O Anuário aponta que a extração de óleo em mar deve passar dos atuais 47,7 milhões de barris ao ano, em 2022, para 87,8 milhões de barris ano em 2027. No caso do gás, entre 2022 e 2027, a produção deve sair de 1,2 bilhão de m³, em 2022, para 2,4 bilhões de m³ em 2027”, comenta.

Marília avalia ainda que, para 2023, espera-se uma pequena recuperação na produção offshore devido à superação de problemas operacionais que afetaram o desempenho da produção do ano anterior, tais como o vazamento no casco da FPSO Cidade de Anchieta e o descomissionamento do FPSO Capixaba.  

“Já para 2024 projetamos uma queda na produção offshore devido à continuidade do declínio natural da produção. Uma mudança significativa é esperada na passagem de 2024 e 2025, quando a Petrobras deve começar a operar uma nova plataforma no Parque das Baleias (FPSO Maria Quitéria) e a PetroRio (PRio) planeja dar início à extração no campo de Wahoo”.

A gerente de Ambiente de Negócios do Observatório da Indústria da Findes, Gabriela Vichi, explica que o projeto da Petrobras possui como objetivo aumentar o fator de recuperação de óleo e gás através da otimização da atual malha de drenagem, com a interligação de uma nova FPSO.  

“A expectativa é que a nova plataforma esteja operando no último trimestre de 2024. Já a PRio pretende perfurar 4 poços produtores e 2 injetores, com primeiro óleo previsto para o primeiro semestre de 2024. Esses projetos serão responsáveis pela curva de reversão das quedas projetadas para a produção de petróleo e gás natural no Espírito Santo”, aponta.

Sobre o Anuário

Em sua 6ª edição, o Anuário da Indústria do Petróleo e Gás Natural no Espírito Santo reúne os mais importantes dados e variáveis de análises do setor para o Estado.  

Marília explica que o Anuário conta com o apoio de instituições como Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP) e Organização Nacional da Indústria do Petróleo (Onip), além de artigos de representantes relevantes do setor.  

“Desde a primeira edição (2017), o Anuário da Indústria do Petróleo e Gás Natural no Espírito Santo busca o fortalecimento e o desenvolvimento da indústria de petróleo e gás natural no Estado por meio da análise das mais importantes variáveis do segmento, aliando o rigor técnico e informação estruturada, atualizada e confiável. Esse objetivo é alcançado com a difusão de informações que são capazes de assegurar a confiabilidade e a previsibilidade para a tomada de decisão dos atores, em especial na atração de novos investimentos para o Espírito Santo”, comenta.

O documento possui a versão em português e inglês, além de um mapa oficial do setor e um painel com os dados navegáveis. Esses produtos evidenciam a organização do Estado frente aos dados do setor mais representativo da indústria capixaba e colocam o Espírito Santo na vanguarda das discussões que envolvem a conjuntura e a regulamentação do setor em nível regional e nacional, apresentando-se como referência no debate junto aos demais estados produtores, como o Rio de Janeiro e São Paulo.

O Anuário on-line pode ser acessado por meio do link: http://findes.online/anuariopeg

Dados e impactos da indústria de óleo e gás para o ES

  • Produção de petróleo: 3ª colocação no país.
  • Produção de gás natural: 5ª colocação no país.
  • Investimentos esperados no setor de petróleo e gás natural no ES até 2027: R$ 8,8 bilhões.  
  • Projetos de descomissionamento aprovados para a Bacia do Espírito Santo: 18, sendo 17 em terra e um (01) no mar.  
  • Investimentos previstos para o descomissionamento de 751 poços: R$ 2,45 bilhões.
  • Economia: o setor representa 4,6% no PIB capixaba e tem um peso na indústria de 20%
  • Arrecadação de royalties e participações especiais em 2022: R$ 3 bilhões.
  • Empresas da cadeia produtiva do setor: 527 (5,4% a mais do que o registrado no último anuário).
  • Mercado de Trabalho: 12 mil empregos formais (4,4% superior ao registrado no último anuário).

Fontes: ANP, RAIS e MDIC | Elaboração: Observatório da Indústria da Findes

Confira mais Notícias

Seu dinheiro

Transações via DOC e TEC deixam de existir

Ideia Brasileira

Taxar super-ricos já tem apoio de alguns países europeus, diz Durigan

Medida Provisória

Lula revoga reoneração de 17 setores da economia

Negócios

Espírito Santo receberá R$ 100 milhões em investimentos na distribuição de gás natural

Mundo Agro

Primeira fábrica de azeite para uso coletivo na produção é inaugurada no Espírito Santo

Setor Elétrico

EDP anuncia mais de R$ 910 milhões em investimentos no Espírito Santo em 2024

Dívidas

Mais de 27,2 mil pessoas renegociam na Faixa 1 do Desenrola no Espírito Santo

Dívidas

Cerca de 8 milhões de empresas poderão usar o Desenrola, diz ministro