Polícia Federal realiza operação contra jogos ilegais no Espírito Santo e Rio de Janeiro


A Polícia Federal (PF) cumpriu, nesta sexta-feira (1º), 13 mandados de prisão preventiva contra acusados de participação em organização criminosa especializada na exploração de jogos ilegais, como jogo do bicho e bingos clandestinos. O grupo é investigado por homicídios, corrupção passiva e porte ilegal de arma de fogo. 

A operação Mahyah é um desdobramento da operação Sicário, desencadeada em dezembro do ano passado. 

Além dos mandados de prisão, estão sendo cumpridos 19 mandados de busca e apreensão. As diligências estão sendo cumpridas, em conjunto com o Ministério Público (MPRJ), em endereços do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. 

Bingos clandestinos

Também auxiliam os policiais na ação a Polícia Militar do Rio e o Ministério Público do Espírito Santo. De acordo com a PF, a organização criminosa se divide em três núcleos subordinados a uma mesma liderança e atua explorando jogos de azar e bingos clandestinos na Ilha do Governador (zona norte do Rio), Niterói, São Gonçalo e no Espírito Santo.  

Para garantir o controle de seu território, o grupo recorre a homicídios, corrupção passiva e porte ilegal de armas de fogo.

Capitão Guimarães é preso em operação

O contraventor Aílton Guimarães Jorge, o Capitão Guimarães, foi preso nestasexta (1º), em casa, em Camboinhas, na região oceânica de Niterói, como principal alvo da Operação Mahyah, um desdobramento da Operação Sicário, realizada em 7 de dezembro do ano passado, quando o contraventor também tinha sido preso em casa.

A ação de hoje foi contra três núcleos criminosos, subordinados ao mesmo bicheiro, que controlam o monopólio de jogos de azar e exploração de bingos clandestinos na Ilha do Governador, Niterói, São Gonçalo e no Espírito Santo. De acordo com os investigadores, a organização criminosa pratica, de maneira ordenada, diversos crimes, como homicídios, corrupção passiva e porte ilegal de armas de fogo.

A investigação foi realizada em conjunto pela Polícia Federal e o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), em cumprimento a 13 mandados de prisão preventiva e 19 de busca e apreensão, expedidos pela 2ª Vara Criminal Especializada do Tribunal de Justiça do Rio nos estados do Rio de Janeiro e do Espírito Santo, em endereços ligados aos integrantes da organização criminosa.

O Ministério Público informou, por meio de nota, que até o início da tarde, 12 pessoas foram presas, sendo nove denunciados e alvos de mandados e outros três em flagrante, entre os presos, o contraventor Capitão Guimarães, um policial civil e policiais militares.

O nome da operação Mahyah remete à origem da palavra máfia, que provém de um termo do dialeto siciliano (máfia), inspirado em mahyah que, em árabe, significa audácia.

Fonte: Agência Brasil

Confira mais Notícias

Brasileirão

CBF anuncia que jogos do Brasileiro retornam no dia 1º de junho

Futebol

Vasco supera Fortaleza nos pênaltis para avançar na Copa do Brasil

Números do Estado

Espírito Santo tem 9ª população mais alfabetizada do Brasil

Futebol

Turma do STF forma maioria para negar ao Flamengo Taça das Bolinhas

Apolinho, Sílvio Luiz e Antero Greco: adeus aos craques do jornalismo

Morre Washington Rodrigues

Adeus Apolinho

A rodada

Athletico-PR faz 2 a 0 no Palmeiras e retoma liderança do Brasileirão; veja outros jogos

Sorte capixaba

Aposta do Espírito Santo leva R$ 46 milhões na mega sena deste sábado, 11 de maio