Análise política

As mexidas de Victor Coelho dão novo fôlego ao governo

Não são apenas mexidas para oxigenar a máquina municipal. Olhando com lupa, além de buscar melhorar o desempenho administrativo, objetivo de todo mandatário, o prefeito Victor Coelho (PSB) começa se organizar para o embate eleitoral. E o faz primeiramente dentro de casa, dentro do seu partido.

Mas antes, sobre melhorar a administração, tecnicamente a entrada de Diti (Dietrich Kaschner) na recriada Secretaria de Desenvolvimento foi uma grata surpresa. O empresário, conhecido em Cachoeiro pelo seu trabalho na Cimef sempre dialogou bem no setor produtivo, com ideias avançadas e que podem contribuir muito com o município.

Na Secretaria de Mobilidade Urbana entra Victor Rabbi. Com bom currículo, a ideia é que o jovem ajude a destravar os gargalos econômicos, fortalecendo o empresariado municipal, onde circula com desenvoltura. Ou seja, o governo se aproxima ainda mais da classe empresarial, de olho, claro, numa sinalização importante para o processo eleitoral.

Na política observa-se claramente o fortalecimento do PSB, partido do prefeito. A sigla sai de uma secretaria, que era de Agricultura, e passa a ter três. 

Primeiro temos a Roselane de Araújo, que é peça importante dentro do PSB. Entrou na Secretaria de Desenvolvimento Social. Ela foi candidata a vereadora duas vezes, mas bateu na trave. É servidora efetiva, com trabalhos prestados na cidade. Depois vem a Thatiana Cardoso, que assume a Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania, também socialista.

Além disso, várias pessoas do PSB, a pedido da executiva municipal, entraram ou tiveram ajustes, para cima, dentro da estrutura administrativa. São uns seis nomes que ganham evidência. Sem tiver espaço para poesia na política, pode-se dizer que as mexidas do prefeito caracterizam um reencontro dele com PSB. 

Mas não acaba aí. Passarinho me contou que ao acenar para sua sigla, Victor caminha para trazer de volta ao ninho socialista o ex-vereador Alexandre Bastos, e o também ex-vereador Fassarella. Nomes de peso eleitoral para as eleições proporcionais.

Por fim, outro aceno, mas desta vez para o PDT. Fabrício do Zumbi, também ex-vereador e liderança importante do maior bairro de Cachoeiro, acaba de entrar no governo.  É o primeiro passo para uma futura aliança com o partido de Sérgio Vidigal.

É o realinhamento administrativo do prefeito que, com isso, mexe não apenas no seu governo, mas no tabuleiro eleitoral da cidade. Mescla o técnico e o político, apostando em melhorar as chances de sua pré-candidata Lorena Vasquez, e fazendo boas entregas ao povo de Cachoeiro.

*****************************************************

Parágrafo à parte, encerro com a entrada do jovem e experiente jornalista Filipe Rodrigues na Comunicação da prefeitura. Com 38 anos, mas de currículo extenso, já foi secretário em Presidente Kennedy e até mês passado em Marataízes. Agora volta a Cachoeiro onde iniciou na vida pública comandando esta mesma pasta no Governo Carlos Casteglione. Ele mescla o técnico com o político e tem excelente trânsito no jornalismo regional. Fora o defeito de ser vascaíno, é mais um bom nome que entra.  

Confira mais Notícias

Derrubador de gigantes, Casteglione avisa: “Serei candidato em qualquer cenário”

Venda Nova do Imigrante

Paulinho Mineti marca gol de placa e consolida seu nome na região Sul-Serrana

Em Marataízes, apoio de Breno NilRegi a Jucy passa por 2026

Eleições 24

Em nome do governador, Victor Coelho admite rever projeto Lorena

Calor eleitoral

Novo comportamento de Victor Coelho mostra o que vem por aí

Nome novo

Empresário João Machado cresce no PP e pode atrapalhar aliança com o PL em Cachoeiro

A Lagoa do Mar de Marataízes