Tecnologia

Vieram para ficar: conheça 5 tecnologias essenciais no ‘novo normal’

Publicados

em


source
tecnologias
Unsplash/Bench Accounting

Conheça as tecnologias que vieram para ficar


O isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19 causou mudanças significativas na vida da maioria das pessoas. O uso da tecnologia para atividades cotidianas como trabalhar, estudar, ir ao médico e comprar comida se tornou mais frequente. 

E especialistas apostam que essas mudanças no consumo vieram para ficar. Mas, para isso, é preciso que haja muita tecnologia intermediando as relações. Conheça 5 tecnologias que são essenciais no chamado “novo normal”:

Novidades no mercado de trabalho

O home office e as experiências de trabalho durante a pandemia têm trazido novas tecnologias para dentro do cotidiano laboral. Uma delas é o uso de inteligência artificial , a fim de automatizar processos. 

A área de gestão e recrutamento de pessoas é uma das que pode se beneficiar bastante dessa inovação. “Acredito que com o ‘novo normal’, as companhias terão que manter uso de tecnologias no dia a dia e será preciso se adequar”, opina Mônica Hauck, fundadora da plataforma de RH Sólides.

Leia Também:  Assinar streaming ou alugar filmes? Descubra o que compensa para o seu perfil

Pagamento por aproximação

Essa modalidade de pagamento tem sido adotada por diversos estabelecimentos para evitar o risco de contaminação. E o mercado já aponta que o pagamento por aproximação  deva ganhar cada vez mais espaço. 

Ferramentas como Google Pay, Samsung Pay e Apple Pay , que permitem que smartphones realizem compras, tem se tornado cada vez mais populares. E o Brasil é um dos países com mais chance de fazer recursos como esses se popularizarem de vez. 

“O Brasil é um dos países com mais maquininhas compatíveis proporcionalmente no mundo – hoje em torno de 90% delas aceitam pagamento por aproximação. Basta que você tenha um cartão, pulseira, celular ou outro dispositivo com a tecnologia necessária”, afirma Orlando Purim Junior, CEO da ATAR, startup brasileira de pagamentos.

Saúde à distância

Durante a pandemia, a telemedicina teve a chance de funcionar mais amplamente, e hoje muitos brasileiros conseguem ser atendidos por seus médicos à distância. 

Tanto tratamentos médicos quanto psicológicos se tornaram mais comuns de serem realizados através do computador, e essa é uma tendência que deve permanecer no pós-pandemia. 

Leia Também:  O Dilema das Redes: o que aprendemos com o filme que expõe o pior da tecnologia

Convivência digitalizada em condomínios

A relação entre condôminos tem se digitalizado  bastante durante a pandemia de Covid-19, e plataformas que focam na gestão viram seus números crescerem durante o período.

Mas além da gestão, outras soluções para condomínios têm sido criadas durante este período. Uma delas é o Mercadinho, criado pela Noknox: a novidade é um espaço de conveniência instalado dentro de condomínios parceiros da startup. 

Com ele, moradores podem comprar produtos sem precisar sair do condomínio. As compras são feitas diretamente pelo site e retiradas sem precisar sair para a rua.

Eventos online

Além das lives que estão bombando no universo artístico , o ramo educacional e corporativo também tem se beneficiado dos eventos onlines.

Um exemplo é a plataforma Congresse.me, que realiza congressos 100% online. A novidade permite a realização completa do evento, desde a inscrição de participantes até a emissão de certificados, passando pela apresentação de palestras e pelo controle de pagamentos.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Assinar streaming ou alugar filmes? Descubra o que compensa para o seu perfil

Publicados

em


source
streaming
Unsplash/Glenn Carstens-Peters

Confira o que compensa para o seu perfil

Diante de tantas opções de serviços de streaming , pode ser até difícil escolher qual assinar. Na hora da decisão, muita gente acaba se esquecendo de uma outra possibilidade: alugar filmes. 

Se passar horas nos corredores das locadoras escolhendo o filme do final de semana já virou coisa do passado, o aluguel em si ainda é uma prática recorrente, mesmo que de forma digital. Algumas plataformas como Looke , Google Play Store e Now oferecem a compra ou locação de títulos e fazem bastante sucesso. A dúvida que fica é: compensa? 

Precinho camarada? 

Na escolha entre assinar um serviço de streaming e pagar uma taxa mensal ou pagar apenas pelo conteúdo que consumir, o comportamento de cada usuário pesa bastante.

Se você é o tipo de pessoa que maratona séries e assiste a vários filmes, pagar um valor fixo pode ser mais vantajoso. Por outro lado, se você passa pouco tempo em frente a televisão e gosta de acompanhar filmes recém-lançados, a locação ou compra pode ser a decisão ideal. 

Leia Também:  Pré-venda do Xbox Series X e S começa em 22 de setembro

No Looke , por exemplo, filmes podem ser alugados por a partir de R$1,89. O valor mínimo de assinatura mensal do streaming da mesma plataforma fica por R$16,90. Se o usuário assistir menos de nove filmes por mês, portanto, vale mais a penas alugar um a um do que manter um gasto mensal fixo.

Nem todos os títulos, porém, tem o preço tão atraente. No próprio Looke, é possível encontrar títulos com aluguel a R$16,99, por exemplo. Em outras plataformas, o preço alto se mantém.

Na Google Play Store (a mesma loja dos aplicativos para Android), por exemplo, o aluguel dos filmes costuma ficar na faixa entre R$11,90 e R$19,90, preço parecido com o valor praticado pelo Now.

Do lado do streaming , algumas plataformas trazem preços que agradam mais. É o caso, por exemplo, do Amazon Prime Video e do Apple TV+ , ambos com assinatura mensal de apenas R$9,90.

Não é só o preço

Fazer as contas, porém, não é a única forma de definir qual tipo de serviço melhor se encaixa para você. É preciso avaliar, também, o padrão de consumo. 

Leia Também:  PlayStation 5 não vai rodar jogos do PS3, PS2 e PS1, confirma Sony

Os filmes alugados ficam disponíveis, geralmente, por 48 horas. Portanto, se você gostar de ver e rever o mesmo título várias vezes, a locação pode não ser a melhor opção. 

Os mesmo serviços citados oferecem também a compra de títulos, deixando-os disponíveis para sempre. Nesse caso, porém, o preço é mais salgado. A compra de filmes pode facilmente ultrapassar os R$40, preço parecido com o cobrado pela assinatura mensal de plataformas como Netflix e Telecine Play

Outra análise que deve ser feita é a respeito do tipo de filme que o usuário costuma assistir. Títulos mais recentes costumam chegar primeiro em plataformas de locação do que em serviços apenas de streaming . Nesses casos, pode compensar pagar um pouco mais caro para ter acesso a filmes mais atraentes.

A dica para tomar a decisão é sempre comparar os catálogos, e o  site JustWatch  pode ser uma boa opção. A plataforma compara os preços e conteúdos disponíveis em todos os serviços de streaming e locação de filmes disponíveis no Brasil.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA