Economia

Vice-presidente do Governo da Caixa explica como fazer contestação para auxílio

Publicados

em


source
Constestação app Caixa
Reprodução Youtube Caixa Econômica Federal

No aplicativo Caixa Auxílio Emergencial é possível refazer o cadastro ou contestar negativa

Em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (27), a vice-presidente do governo da Caixa Econômica Federal, Tatiana Thomé, mostrou como deve ser feita a constestação em caso de negativa ao auxílio emergencial pelos candidatos cadastrados.

O aplicativo Caixa Auxílio Emergencial mostra o motivo pelo qual o candidato foi reprovado na seleção para obter o auxílio. Então, aparecem duas opções na tela: “Realizar nova solicitação” ou “Contestar essa informação”. O usuário pode escolher qual prefere – se quiser modificar seus dados, deve escolher a primeira; se quiser apenas contestar o motivo apresentado, a segunda.

Thomé apresentou também dados sobre o pagamento desta quarta-feira. Segundo a Caixa, foram pagos R$ 72,7 bilhões a 57,3 milhões de beneficiários.

Hoje, no entanto, não foi divulgada a quantidade de pessoas que estão em análise. De acordo com dados da coletiva de ontem, terça-feira (26), eram 5 milhões de cadastros em reanálise e 5,1 milhões em primeira análise.

Leia Também:  Mega-Sena valendo R$ 23 milhões: veja os números sorteados nesta quarta-feira

Leia em: 42 milhões de cadastros foram negados para o auxílio emergencial

Coletiva de imprensa

Na coletiva de imprensa desta terça, esteve presente apenas a vice-presidente, Tatiana Thomé. Nas últimas semanas e dias, além de Thomé, as coletivas também tinham a presença do presidente da Caixa, Pedro Guimarães, e o vice-presidente de tecnologia, Claudio Salituro.

O espaço para perguntas de jornalistas foi praticamente extinto na apresentação de hoje: apenas uma pergunta foi escolhida pela assessoria de imprensa da Caixa e sem o autor, como sendo um questionamento frequente.

A questão foi sobre erros no cadastro de conta de outro banco para recebimento do auxílio. Thomé respondeu que, nesses casos, a Caixa abre automaticamente uma conta poupança digital.

Todas as outras questões respondidas fora encaminhadas por internautas.

Veja: Como realizar o cadastro ao auxílio emergencial em 6 passos

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Sobreviventes de acidente receberão indenização de R$ 300 mil

Publicados

em


source
forum
Divulgação Fórum Heitor Medeiros

Acidente aconteceu em 2009, em uma estrada no Paraná, e vítimas eram de Mato Grosso do Sul

Uma família do Mato Grosso do Sul ganhou na Justiça o direito a uma indenização de R$ 300 mil. Eles sofreram um acidente de trânsito no Paraná em 2009, que matou dois de seus parentes.


Os três sobreviventes ingressaram na Justiça em 2014, alegando danos morais e materiais, após a morte de dois integrantes da família no acidente entre Mercedes e Guaíra (PR). A sentença foi proferida pelo juiz titular da 15ª Vara Cível de Campo Grande, Flávio Saad Peron.

Em julho de 2009, a família viajava de carro sob forte chuva. Eram cinco pessoas, um casal, duas filhas e um tio. Em uma curva na BR-163, uma motorista de uma caminhonete que trafegava em sentido contrário e em alta velocidade perdeu o controle da direção e derrapou, causando o acidente.

Leia Também:  Preconceitos afetam lucros de empresas no Brasil, mostra pesquisa

O tio e a mãe faleceram. O pai e as filhas ficaram internados.

A família pediu indenização ao motorista que gerou o acidente, que, na defesa, alegou que o carro da família também estava em alta velocidade.

“Demonstrada a culpa do réu pelo acidente, por negligência, não havendo que se falar em culpa do condutor do veículo em que se encontravam os autores, tendo em vista que não comprovada a alta velocidade alegada pelo réu em contestação”, concluiu o juiz.

O Juiz entendeu que todas as despesas médicas comprovadas, que correspondem a  R$ 22 mil, devem ser ressarcidas à família, além de ter de a culpada ter de pagar a diferença entre o salário do pai da família e o benefício previdenciário por ele recebido, até quando o estiver recebendo – já que, após o acidente, ele teve de ser afastado do trabalho.

“Fixo a indenização, a ser paga pela ré aos autores, em R$ 100 mil para cada um deles”, julgou Flávio Saad Peron.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA