Economia

Vet4All começa a oferecer assistência à saúde para pets via internet

Publicado em

Os dez mil primeiros assinantes contarão com promoção especial de assinatura por R$19,90
Reprodução

Os dez mil primeiros assinantes contarão com promoção especial de assinatura por R$19,90

Cerca de 48 milhões de domicílios no Brasil contam com cães e gatos, segundo o IBGE, o que faz com que o país figure como o terceiro do mundo em população total de animais de estimação e um dos principais mercados pet do planeta. Diante desse cenário, a necessidade de cuidados especializados para os pets também vem crescendo nos últimos tempos.

Para facilitar o acesso ao atendimento especializado, a startup Vet4All começa a oferecer um serviço inovador: teleorientações relacionadas à saúde veterinária com qualidade, segurança e valor acessível.

Capitaneada pelo empresário Janguiê Diniz, através do seu family office Epitychia, a startup conta com tecnologia inovadora desenvolvida pela Pitang, uma das maiores empresas do Porto Digital de Recife, e sócia da iniciativa. Cerca de R$ 1,5 milhão está sendo investido na Vet4All neste início da operação.

O Vet4All chega para atender principalmente uma fatia do mercado que não conta com nenhum tipo de assistência aos pets. Por meio de um plano de assinatura e de uma plataforma digital, os tutores de cães e gatos terão acesso facilitado a veterinários 24 horas por dia, sete dias por semana.

Se houver necessidade, o veterinário indicará que o tutor procure um dos parceiros credenciados ao Vet4All para o atendimento presencial, exames ou outros procedimentos complementares.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

“Estamos dando início à uma grande rede de assistência descentralizada e remota que pretende ampliar o acesso à saúde veterinária para ações preventivas ou emergenciais, com atendimentos sendo realizados dentro e fora do horário comercial”, explica Janguiê Diniz.

Leia Também:  Prazo para servidores aderirem à previdência complementar é reaberto

Ele conta, ainda, que a startup já conta com a parceria de pet shops, clínicas veterinárias, clínicas de diagnóstico, serviços de banho e tosa, hotéis e creches. Nesses locais, os assinantes poderão usufruir de um desconto de até 20% na prestação de serviços e na aquisição de medicamentos e outros produtos.

Adesão

O serviço será oferecido para todo o país, começando por Pernambuco, e vai possibilitar um cuidado contínuo ao pet e colaborar para movimentar a cadeia produtiva do setor. Para ser assinante, o tutor precisará baixar o app Vet4All em uma loja de aplicativos para smartphone, registrar sua assinatura e fazer o cadastro do pet. O serviço é pago por meio de cartão de crédito. Quando desejar, abre o aplicativo e clica no botão da videochamada para realizar a orientação online.

Com o plano de assinatura Vet4One, o tutor contará com assistência para seu pet, com direito a duas teleorientações por mês, pagando apenas R$ 29,90 mensalmente. Os primeiros dez mil assinantes contarão com uma assinatura promocional por apenas R$ 19,90 mensais.

A promoção é válida até o dia 31 de agosto ou até completarem os dez mil primeiros assinantes alvo da campanha. Não há contrato de fidelidade por parte do tutor.

No aplicativo, será possível ter acesso ao mapa de clínicas, hospitais veterinários e lojas parceiras, ficando ciente de todas as possibilidades na região onde reside. Nessa rede, o assinante contará com benefícios e descontos exclusivos em produtos e serviços. Bastará informar que é cliente Vet4All. No app, também haverá o acesso ao histórico de atendimentos do pet.

Leia Também:  Quem ganha um 1,5 salário mínimo deverá pagar Imposto de Renda em 2023

Segundo Claudio Castro, sócio da Pitang e da startup, a expectativa é que o inovador serviço oferecido pela Vet4All seja ampliado para o resto do país nos próximos quatro meses e passe a atender tutores com orientações adequadas para cuidar da saúde e do bem-estar do pet.

“Ao assinar o Vet4All, o tutor economiza nas despesas de rotina de seu pet através de nossa rede de parceiros que oferecem descontos exclusivos, como por exemplo nos serviços de banho e tosa, compra de alimentos, medicamentos e produtos e serviços em geral. Ao final do mês, o tutor terá de fato uma economia relevante por meio desses descontos, investindo paralelamente no bem-estar e saúde de seu pet. Temos certeza de que vamos democratizar a assistência e salvar muitas vidas com as teleorientações”, comentou.

Com o Vet4All o tutor pode usufruir da assistência caso perceba qualquer alteração física ou comportamental, independentemente da idade do animal, além de proporcionar uma melhor qualidade de vida para os pets e prevenir uma série de doenças.

Comunidade

Clínicas, hospitais veterinários e lojas de produtos e serviços para pets interessadas em fazer parte da Comunidade Vet4All podem se cadastrar no site .  A adesão ao grupo de parceiros da startup é gratuita. Entre as condições para participar, estão oferecer e garantir vantagens e descontos exclusivos, qualidade do produto, do serviço e do atendimento para os clientes Vet4All.

Entre os parceiros em Pernambuco está o Plantão Veterinário 24h. Os demais podem ser conferidos no site da startup. Em outros estados, já estão credenciados o DOK hospital veterinário (RJ), Clínica veterinária CDMV(AL) e a Clínica Escola de Saúde Uninassau (SP).

Mais informações no site www.vet4all.com.br ou no perfil da plataforma nas mídias sociais: @vet4all.br.

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

Mesmo rejeitados por comitês, acionistas aprovam nomes para Petrobras

Published

on

Acionistas ignoraram recomendação de comitês e colocaram nomes do Planalto no Conselho de Administração
Felipe Moreno

Acionistas ignoraram recomendação de comitês e colocaram nomes do Planalto no Conselho de Administração

Os dois indicados pelo governo federal para o Conselho de Administração da Petrobras e que tiveram nomes recusados pelos comitês internos da companhia e pelo colegiado foram aprovados em assembleia de acionistas realizada na tarde desta sexta-feira (19).

Ricardo Soriano de Alencar, procurador-geral da Fazenda Nacional e, portanto, ligado ao ministro Paulo Guedes, e Jônathas Assunção Salvador Nery de Castro, secretário-executivo da Casa Civil da Presidência da República, foram considerados pelos comitês de Elegibilidade (Celeg) e de Pessoas (Cope) da estatal como inelegíveis por apresentarem conflito de interesses para assumirem os cargos.

Os nomes de Soriano e de Castro somente entraram na lista de candidatos no início da assembleia de acionistas por indicação do procurador da Fazenda Nacional Ivo Cordeiro Pinho Timbó, representante da União.

Ao todo, o governo federal, acionista controlador da Petrobras, elegeu seis de seus oito indicados. Além de Caio Paes de Andrade, já nomeado de forma provisória para que assumisse a presidência da estatal, entraram Gileno Gurjão Barreto, atual presidente do Serpro; Iêda Cagni, presidente do Conselho do Banco do Brasil, e Edison Antonio Costa Britto Garcia, à frente do Conselho do Banco de Brasília.

Barreto, conforme indicação do governo, será o novo presidente do colegiado da Petrobras. Foram eleitos ainda José João Abdalla Filho e Marcelo Gasparino da Silva, indicados pelos acionistas minoritários.

Leia Também:  Em queda recorde, Meta perde US$ 237 bi em valor de mercado

Contestação antes e durante a assembleia

É mais um degrau galgado pelo governo em seu esforço de intervir na política de preços da companhia em meio à crise dos combustíveis. Desde o início de 2021, o presidente Jair Bolsonaro fez três trocas no comando da Petrobras.

Na abertura da assembleia, que foi realizada em formato on-line, Timbó afirmou que a União não corrobora “com as manifestações meramente opinativas” dos comitês da Petrobras sobre as indicações de Soriano e Castro. E que dispunha de “robustos posicionamentos técnicos” da Controladoria Geral da União e de outros órgãos de governo de que não há conflito de interesse relativo a esses nomes.

Fernando Leite Siqueira, diretor da Associação dos Engenheiros da Petrobras (Aepet), se manifestou contra a decisão de aceitar a indicações recusadas pelos comitês e pelo board.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

“É seríssima irregularidade ratificar os nomes. Há um brutal conflito de interesse entre as funções que esses indicados exercem no governo e os cargos no Conselho de Administração da Petrobras”, disse ele, destacando haver risco de “intervenção espúria” na estatal.

Siqueira chegou a pedir que a assembleia fosse suspensa de forma a impedir que não se pudesse “passar por cima da legislação”, mas teve seu pedido negado. A mesa reconheceu os nomes dos dois indicados na lista para eleição dos membros do Conselho.

Leia Também:  Prazo para servidores aderirem à previdência complementar é reaberto

Na última semana, a Associação Nacional dos Petroleiros Acionistas Minoritários da Petrobras (Anapetro) recorreu à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pedindo que a assembleia fosse suspensa. O órgão regulador do mercado de capitais negou o pedido na última terça-feira.

A Anapetro também se juntou à Federação Única dos Petroleiros para pedir a suspensão da assembleia na Justiça Federal para impedir que o governo eleja os dois indicados que foram recusados pelo comitê de elegibilidade da estatal.

Resultado será judicializado

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) considerou a eleição dos nomes indicados pelo governo e reprovados pelos comitês da Petrobras como “descaso com a governança corporativa e abuso de direito do acionista majoritário”, informou em nota.

E vai entrar com ação na Justiça Federal na segunda-feira, pedindo a anulação da assembleia, disse Deyvid Bacelar, coordenador-geral da FUP.

Mário Dal Zot, presidente da Anapetro, disse que permitir a eleição de Soriano e Castro é “um precedente” que não se pode deixar acontecer.

“A nomeação de pessoas passíveis de conflitos de interesses e sem a necessária formação e experiência no setor de petróleo e gás é inadmissível, pois, além de ferir a lei, ficam mais sujeitas a desmandos do acionista majoritário, podendo trazer prejuízos para a empresa a partir de medidas danosas e muitas vezes eleitoreiras”, afirmou.


Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA