Política Nacional

Veja frases mais impactantes do vídeo da reunião de Bolsonaro

Publicados

em

 

 

source
Presidente Jair Bolsonaro video da reunião
Isac Nóbrega/PR

Presidente Jair Bolsonaro

O vídeo que mostra a reunião de 22 de abril do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com seus ministros foi divulgado às 17h desta sexta-feira (22), após decisão do ministro do STF Celso de Mello. O vídeo estava sendo mantido em sigilo no inquérito que investiga supostas interferências do presidente na Polícia Federal (PF).

Leia também: Celso de Mello decide divulgar vídeo da reunião de Bolsonaro

Confira as principais frases do vídeo da reunião de Bolsonaro :

No vídeo, Bolsonaro afirmou “eu não vou esperar foder alguém da minha família ou um amigo meu para trocar a segurança do Rio de Janeiro”, uma das principais falas ligadas ao inquérito.

Bolsonaro disse que “não dá pra trabalhar assim. Fica difícil. Por isso, vou interferir! E ponto final, pô! Não é ameaça, não é uma … urna extrapolação da minha parte. É uma verdade. Como eu falei, né? Dei os ministérios pros senhores. O poder de veto. Mudou agora. Tem que mudar, pô. E eu quero, é realmente, é governar o Brasil. Não, é o problema de todos aqui, como disse o Marinho, né? É o mesmo barquinho, é o mesmo barco. Se alguém cavar o fu … cavar no porão aqui, vai, vai todo mundo pro saco aqui, vai todo mundo morrer afogado”.

Leia Também:  STF forma maioria e reverte decisão de Salles de revogar proteção a manguezais

“Eu to me lixando com a reeleição, porque se for a esquerda uma porrada de vocês tem que sair do Brasil, vão querer me pegar por homofobia. Temos que reagir, mostrar que temos o povo do nosso lado”, disse o presidente.

“Como é fácil impor uma ditadura no Brasil”, afirmou Bolsonaro. “Por isso eu quero que o povo se arme, é a garantia de que não vai impor uma ditadura aqui, se tivesse armado ia pra rua”. “É escancarar a questão do armamento. Eu quero todo mundo armado”

O presidente defendeu que “quem não aceitar as minhas bandeiras – família, Deus, Brasil, armamento, liberdade de expressão, livre mercado – está no governo errado “.

Ele também disse ” esse bosta de governador “, se referindo ao governador de São Paulo, João Doria (PSDD), e de “estrume” o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC). “O que os caras querem é a nossa hemorroida! É a nossa liberdade! Isso é uma verdade. O que esses caras fizeram com o vírus, esse bosta desse governador de São Paulo, esse estrume do Rio de Janeiro, entre outros, é exatamente isso”.

Leia Também:  Rejeição aumentou: Bolsonaro tem queda na aprovação em quase todas as capitais

O ministro da educação , Abraham Weintraub , afirmou que “eu por mim, colocava todos os vagabundos na cadeia, começando pelo STF [Supremo Tribunal Federal]”.

Já o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles (NOVO), disse que “enquanto estamos nesse momento de tranquilidade no aspecto de cobertura de imprensa, porque só fala de Covid, (podemos) ir passando a boiada e mudando todo o regramento e simplificando normas. De Iphan, Ministério da Agricultura, Ministério de Meio Ambiente”.

Leia também: Paulo Marinho diz ter provas do vazamento da PF para Flávio Bolsonaro

Paulo Guedes , ministro da Economia, defendeu que o governo faz “o que quer” com a Caixa Econômica Federal e o BNDES, mas no Banco do Brasil, “a gente não consegue fazer nada” e “tem um liberal lá”, em referência ao presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes. Depois, Bolsonaro respondeu “vamos dispensar o Rubem da próxima reunião aí, pô”.

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política Nacional

Pesquisa XP/Ipesp: Boulos cresce 9 pontos e atinge 41%; Covas estabiliza em 48%

Publicados

em


source
boulos e covas
Divulgação

Guilherme Boulos (PSOL) e Bruno Covas (PSDB)


O insituto XPinc divulgou nesta quinta-feira (26) a segunda rodada da pesquisa XP/Ipespe, realizada a pedido do jornal Valor Econômico, com número de registro no TSE SP09138/2020. Segundo a aferição, a distância entre Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL) caiu de 20 para 8 pontos percentuais em votos válidos em relação ao último levantamento realizado na semana anterior. Covas tem 54% dos votos válidos contra 46% de Boulos, na última atualiação a diferença estava em 60% para o tucano contra 40% para o psolista.


Ao considerar os votos totais, Boulos teve um salto de 9 pontos percentuais passando de 32% para 41%, já Covas se manteve estável com 48% das intenções de votos. O número de eleitores que votarão em branco, nulo ou em nenhum dos dois candidatos caiu de 15% para 8%, outros 3% não responderam. Foram ouvidos 800 eleitores entre os dias 24 e 25 de novembro.

Leia Também:  João Campos é expulso de comunidade no Recife: "Vai embora, alma sebosa"

A pesquisa também fez um levantamento sobre a rejeição dos candidatos. Neste segmento Boulos lidera com 42% do eleitorado declarando que não votaria no candidato do PSOL de jeito nenhum, já Covas tem 34% de rejeição. No entanto, a avaliação positiva da gestão do atual prefeito caiu. Os eleitores que consideram a administração Covas boa ou ótima caiu de 37% para 31%, enquanto a avaliação negativa subiu de 21% para 24%. 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA