Carros e Motos

Veja 5 versões do Toyota Corolla que não temos no Brasil

Publicados

em


source

Lançado no mercado japonês em 1966, o Toyota Corolla é atualmente o modelo de carro mais produzido da história, com uma produção de quase 50 milhões de unidades em fábricas na Ásia, África e Américas do Norte e do Sul.

No Brasil, o Toyota Corolla chegou apenas em 1992, com a abertura do mercado brasileiro aos carros importados. Já em sua 7ª geração, desem barcava por aqui vindo do Japão, nas carroceria sedã de quatro portas e station wagon. Seguiu importado até 1998, quando foi iniciada a produção da 8ª geração na nova fábrica de Indaiatuba (SP).

Tirando a 9ª geração, que teve a perua Corolla Fielder, todas as outras encarnações do Corolla brasileiro foram oferecidas apenas na carroceria sedã, que no exterior era apenas uma das opções existentes para o modelo médio. Confira as variações do Toyota que não tivemos no Brasil.

Corolla Levin

Toyota Corolla Levin
Divulgação

Toyota Corolla Levin: versão cupê com apelo esportivo não veio e nem virá ao Brasil, onde o sedã reina no segmento


Primeio oferecido no mercado brasileiro, o Corolla de 7ª geração estava disponível no mercado japonês também na versão Levin, com uma carroceria cupê de linhas bem mais interessantes do que as do sedã da mesma época.

Leia Também:  Veja cinco mitos e verdades sobre a placa Mercosul

A opção de motor mais interessante era o 4A-GZE, um 1.6 de quatro cilindros que era sobrealimentado com um compressor mecânico para atingir impressionantes (para a época) 169 cv.

Corolla Wagon 4×4

Toyota Sprinter Carib
Divulgação

Toyota Sprinter Carib: perua com apelo aventureiro também não tem apelo no mercado brasileiro e nunca foi vendida por aqui


O Corolla Wagon de oitava geração chegou a ser importado para o Brasil, onde causou polêmica com a estranha dianteira de faróis ovais e grade cromada com padrão de colmeia.

Mas não tivemos aqui a versão 4×4 oferecida no mercado japonês. Chamada de Sprinter Carib, tinha uma frente com linhas mais conservadoras, suspensão elevada e um pacote visual típicos dos modelos aventureiros.

Corolla XRS (Brad Pitt)

Toyota Corolla XRS
Divulgação

Toyota Corolla XRS só veio na geração posterior a da foto acima. Agora, aguardamos o GR Sport até o final de dezembro


O nome XRS chegou a ser empregado numa versão do Corolla de 11ª geração feito em Indaiatuba (SP). Mas tratava-se de um carro que trazia apenas o visual mais esportivo. Apelo muito diferente do XRS original, vendido nos Estados Unidos entre 2005 e 2006.

Leia Também:  Pusemos o pé na estrada com o scooter Honda ADV 150

Partindo da base do Corolla de 9ª geração (conhecido por aqui popularmente como Brad Pitt ), a Toyota instalou uma suspensão rebaixada e recalibrada e um novo motor 1.8 de 173 cv que era o mesmo usado na época pelo esportivo Lotus Elise . Para completar, o modelo ganhava ainda novas rodas de 15″ e um pacote aerodinâmico exclusivo.

Corolla Hatch

Toyota Corolla Hatch
Divulgação

Toyota Corolla Hatch: chegou a ser visto em teste no Brasil, mas apenas para desenvolver componentes, sem intenção de ser lançado


O Corolla hatch já existe no exterior desde os anos 1980, mas nunca despertou o interesse da filial brasileira da marca. Diferente de anos anteriores, onde o sedã era o modelo escolhido para a estreia de novas gerações, o Corolla atual apareceu primeiro na carroceria de cinco portas.

O hatch do Corolla foi apresentado pela primeira vez em março de 2018, enquanto o sedã só seria mostrado em novembro do mesmo ano. No exterior, compete na mesma faixa de modelos como o Honda Civic Hatch e o VW Golf.

Corolla Touring Sports Trek

Toyota Corolla Trek
Divulgação

Toyota Corolla Trek: é uma versão interessante, mas a marca prefere focar apenas no sedã no mercado brasileiro


A station wagon Corolla Fielder foi oferecido entre 2004 e 2008 e deixou vários fãs órfãos aos sair de cena sem deixar um sucessor. Mas a variação station do segue viva no exterior. E tem até uma variação de apelo aventureiro.

Chamada na Europa de Toyota Corolla  Touring Sports Trek, traz em sua versão mais potente um conjunto motriz híbrido composto por um motor 2.0 a gasolina e um propulsor elétrico, para desenvolver 184 cv.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carros e Motos

Veja 5 versões da Toyota Hilux que não temos no Brasil

Publicados

em


source

A picape Toyota Hilux foi lançada no Japão em março de 1968, com a proposta de ser um veículo de carga mais sofisticado do que a média, incorporando características visuais e o ambiente na cabine dos carros de passeio. O que explica a origem do seu nome, que é uma combinação das palavras “High (alto)” e “Luxury (luxo)”.

A Toyota Hilux  está em sua 8ª geração e ficou conhecia no mundo por conta de sua robustez, sendo transformada até em veículos militares improvizados em conflitos na África e Oriente Médio. O modelo é produzido em fábricas na África do Sul, Tailândia, Paquistão e Argentina, de onde vem a picape que é vendida no mercado brasileiro.

O modelo chegou ao Brasil no início dos anos 1990, com a abertura do mercado brasileiro aos importados. Em sua 5ª geração, vinha inicialmente do Japão, passando a ser feita na Argentina a partir de 1997. Confira abaixo as variações da Hilux que nunca foram oferecidas por aqui.

1 – Volkswagen Hilux

Volkswagen Taro: fruto de um acordo com a Toyota para a marca alemã ter uma picape média na Europa
Divulgação

Volkswagen Taro: fruto de um acordo com a Toyota para a marca alemã ter uma picape média na Europa

A 5ª geração da Toyota Hilux chegou a ser produzida entre 1989 e 1997 também na fábrica de Hannover (Alemanha) da Volkswagen, com o nome de Volkswagen Taro .

Leia Também:  Range Rover Evoque e Discovery Sport estreiam na linha 2021

Praticamente idêntico ao modelo feito no Japão, recebia apenas os logotipos “VW” e era parte de um acordo entre os dois fabricantes para que a empresa alemã tivesse uma picape média em sua linha de veículos comerciais na Europa.

2 – Hilux Sport Rider

Toyota Hilux Sport Rider: SUV antecede o SW4 com carroceria fabricada pela empresa Thai Auto Works
Reprodução/Wikipedia

Toyota Hilux Sport Rider: SUV antecede o SW4 com carroceria fabricada pela empresa Thai Auto Works

Nunca oferecida no Brasil, a 6ª geração da Hilux servia de base na Tailândia para o SUV Hilux Sport Rider , modelo produzido especificamente para o mercado local.

Você viu?

Espécie de ancestral do atual SW4 , o modelo tinha uma carroceria construída pela empresa Thai Auto Works e era vendido como um produto oficial da marca japonesa em sua rede de concessionários.

3 – TRD Hilux 4000SL

Toyota TRD Hilux 4000SL: com apelo esportivo, picape vem com motor sobrealimentado, de 306 cavalos de potência
Reprodução/Grays.com

Toyota TRD Hilux 4000SL: com apelo esportivo, picape vem com motor sobrealimentado, de 306 cavalos de potência

A 7ª geração da Toyota Hilux era comercializada no mercado australiano na versão TRD Hilux 4000SL , que se destacava pelo visual e pelo conjunto mecânico inspirado nos carros esportivos.

Leia Também:  Nova CF Moto MT800 tem primeira imagem oficial revelada

As modificações eram feitas pela filial australiana da Toyota em unidades importadas da Tailândia. O coração do modelo era o motor 4.0 V6 a gasolina, que recebia um compressor volumétrico para desenvolver 306 cv e fazer a picape acelerar de 0 a 100 km/h em 7,2 segundos.

4 – Hilux de suspensão baixa

Toyota Hilux Revo Z Edition: combina suspensão que deixa menor vão livre do solo com tração 4x2
Divulgação

Toyota Hilux Revo Z Edition: combina suspensão que deixa menor vão livre do solo com tração 4×2

Independente do sistema de tração escolhido, a Toyota Hilux de 8ª geração montada na fábrica de Zárate (Argentina) sempre tem o conjunto de suspensão mais alto, previsto inicialmente para as variações 4×4.

Mas na Tailândia, onde a picape atual é vendida como Hilux Revo, o consumidor pode optar pela variação Z Edition . Com cabine dupla ou estendida, combina a suspensão baixa e a tração 4×2 com um motor 2.4 turbodiesel de 150 cv.

5- Hilux Revo Rocco

Toyota Hilux Revo Rocco: feita na Tailândia, vem com uma série de itens exclusivos, com apelo aventureiro
Divulgação

Toyota Hilux Revo Rocco: feita na Tailândia, vem com uma série de itens exclusivos, com apelo aventureiro

Além do visual reestilizado lançado no Brasil no final do ano passado, a Hilux é oferecida na Tailândia numa variação que recebe o nome de Revo Rocco.

Versão de topo da Toyota Hilux no país asiático, traz dianteira com grade e para-choque diferentes do restante da linha, além de molduras nas laterais e rodas com visual exclusivo.

O motor pode ser o 2.4 diesel de 150 cv ou o mesmo 2.8 turbodiesel de 204 cv da picape argentina, com tração 4×2 ou 4×4 e câmbio automático de seis marchas.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA