Esporte

Time principal do Fluminense tem cinco jogadores com covid-19

Publicados

em


.

O Fluminense confirmou na tarde deste sábado (26) que cinco jogadores do time principal testaram positivo para o novo coronavírus (covid-19), após testes realizados ontem (25). São eles: Calegari, Luccas Claro, Miguel, Luiz Henrique e Marcos Paulo.  Além deles, outros quatro atletas da equipe sub-23 também estão contaminados: André, Luan, Martinelli e Nascimento. Todos os jogadores já entram em quarentena e  cumprem isolamento social. 

De acordo com o clube, antes do jogo contra o Atlético Goianiense pela Copa do Brasil, na última quinta (24), os resultados dos testes de covid-19 e o inquérito epidemiológico atestavam que os cinco atletas não estavam infectados. Mesmo assim, Marcos Paulo sentiu-se mal no hotel e nem chegou a seguir com o elenco do Tricolor para o estádio Olímpico, em Goiânia (GO).  De acordo o clube, ainda durante o confronto com o Atletico-GO, Luís Henrique também não se sentiu bem, e precisou ser substituído. 

Desde o retorno do Campeonato Brasileiro, outros três jogadores já testaram positivo para a covid-19 e foram afastados: Nenê, Fred e Wellington Silva. O próximo compromisso do clube carioca será na próxima segunda (28): O Flu recebe o Coritiba, às 20h, no estádio Nilton  Santos, no Rio de Janeiro (RJ), em partida que encerra a 12 rodada da Série A do Brasileirão.

Leia Também:  Presidente da Fifa, Gianni Infantino, é diagnosticado com covid-19

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Inea bloqueia concessão de licença ambiental de autódromo de Deodoro

Publicados

em


O Instituto Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro (INEA) publicou parecer técnico nesta terça-feira (27) em que aponta diversos problemas no Estudo de Impacto Ambiental (EIA) apresentado pela Prefeitura do Rio de Janeiro carioca para justificar a construção de um autódromo na área conhecida como Floresta do Camboatá, no bairro de Deodoro, zona oeste da capital fluminense. Dessa forma, ficou bloqueada a concessão da licença ambiental para a obra.

O documento, com mais de 100 páginas, foi enviado à Procuradoria do INEA. O parecer do entidade jurídica do Instituto é o próximo passo do processo que visa à concessão ambiental. Contrariando a visão da Prefeitura do Rio, a equipe técnica do órgão ambiental considerou que a Floresta do Camboatá não é o melhor local para a realização da obra.

“Há forte indício de que outras alternativas locais apresentadas têm características ecológicas menos complexas e provavelmente com menor biodiversidade … “, diz o parecer técnico.

As outras opções citadas no EIA da prefeitura do Rio também estão localizadas na zona oeste da cidade: uma área usada como campo de instrução do Exército, no bairro de Gericinó;  um espaço próximo à uma cervejaria no Campo Grande; uma área na Estrada Aterrado do Leme, ao lado da Avenida Brasil, em Santa Cruz;  Cidade das Crianças,  na Rodovia Rio-Santos; e o espaço do antigo Centro de Instrução de Operação Especial do Exército, em Deodoro.

Leia Também:  Campeão mundial nos 100m perderá Tóquio por faltar a exame antidoping

Além disso, o parecer técnico apontou diferenças entre o que foi apresentado no relatório da Prefeitura e aquilo que foi constatado no próprio terreno. Segundo o INEA, cursos d’água que constam no documento da Prefeitura não foram encontrados na área da Floresta. O órgão também constatou irregularidades no registro profissional de biólogos participantes da elaboração do EIA apresentado pela prefeitura do Rio.
Contatada pela  Agência Brasil, a assessoria de imprensa da prefeitura do Rio de Janeiro informou que “o executivo carioca recebeu o parecer técnico do INEA, nesta terça-(27) e que serão verificados os apontamentos do órgão ambiental”.
A obra do novo autódromo de Deodoro, na Floresta do Camboatá, é um processo que se arrasta desde 2010, com várias idas e vindas, envolvendo a Prefeitura, o INEA, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), a Justiça estadual, órgãos do Governo Federal e empresas privadas.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA