Política

Thiago Peçanha segue favorito, mas Antonio Rocha cresce no momento certo em Itapemirim

Publicados

em

Indiscutivelmente Dr. Thiago Peçanha (Podemos) avança para uma reeleição em Itapemirim. Mas, como ninguém ganha eleição de véspera, é bom que abra o olho com o visível crescimento do seu principal e único adversário: Dr Antônio Rocha (PP).

A pré-candidatura de Dr. Antonio começou tímida, mas ganha musculatura no momento certo. Com apoio inicial do PSB, de Renato Casagrande, do DEM, de Theodorico Ferraço e Norma Ayub, e com suporte político do ex-prefeito Alcino Cardoso, o adversário do atual prefeito aumenta o diálogo com outras siglas e com lideranças insatisfeitas com a administração.

Dr. Antônio Rocha é médico carismático. Já teve a experiência de ser secretário de saúde em Itapemirim, tem experiência de gestão, além de ter trabalhado em todas regiões do município exercendo a medicina, ou seja, conhece de perto o povo.

Em conversa com este colunista, um interlocutor confirma que Dr Antônio Rocha buscará uma administração moderna voltada para geração de emprego e renda, sendo que áreas como saúde, educação e segurança pública serão prioridade.

Leia Também:  Entrevista: Dorimar Mandatto

É intenção do pré-candidato dinamizar áreas como Turismo, e reforçar a assistência social em Itapemirim. Naturalmente, segue o interlocutor, que a agricultura será valorizada ao máximo por se tratar de carro chefe da economia local.

Mas quem acompanha de perto Dr. Antonio Rocha diz que ele tem uma preocupação especial com o Itapemirim do futuro. O pré-candidato diz que a ideia é valorizar o funcionário público, qualificando a mão de obra, e investindo nos jovens e oportunizando o primeiro emprego.

Com a eleição empurrada mais para o fim do ano, Dr. Antonio ganha mais um fôlego para mostrar todas essas ideias para a população. Para quem está no poder, e que naturalmente ganha vantagem por isso, o ideal era que as urnas se abrissem hoje. Caso de Dr. Thiago Peçanha. Hoje estaria reeleito, mas a eleição não é hoje.

Enquanto trabalha, o grupo opositor em Itapemirim aposta também no desgaste do prefeito junto a lideranças locais. O interlocutor argumenta que Dr. Thiago é afeito a não cumprir acordos locais, o que tornam suas relações estremecidas com boa parte dos detentores de votos no município. Esses caciques estariam procurando espaço no ninho oposicionista.

Leia Também:  PM apreende drogas, armas e recupera carro roubado na região do Caparaó

Seja como for, observando de perto o cenário com a devida isenção e devido afastamento das paixões acaloradas enxerga-se Dr. Thiago mais perto de se reeleger. Mas, como já disse: a eleição não é hoje.

Dr. Antonio ganha musculatura no momento certo e parece ter pouquíssima rejeição. Ou seja, tem margem para crescer ainda mais e se colocar como uma real ameaça ao consolidado nome de Dr. Thiago Peçanha.

***************************************************************************************************

No próximo artigo, trago meu diálogo com Dr. Luciano de Paiva Alves, que também será peça decisiva no processo eleitoral de Itapemirim.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Eleições: calendário e serviços remotos entre as mudanças

Publicados

em


.

Devido à pandemia do novo coronavírus, algumas mudanças foram necessárias ao processo eleitoral do pleito municipal que acontece este ano. Alterações nas datas do pleito, uso de tecnologia para regularizar a situação eleitoral e registro de candidaturas online são algumas delas. Os pontos foram esclarecidos pelo procurador-geral da Assembleia Legislativa (Ales), Rafael Teixeira de Freitas, em live sobre o processo eleitoral de 2020 realizada nesta quinta-feira (13), pela Secretaria de Comunicação Social da Ales.

A Constituição Federal precisou ser alterada para adiar a data de votação do primeiro e segundo turnos das eleições para os dias 15 e 29 de novembro, respectivamente. Além disso, foi possível obter o título de eleitor, ou a segunda via, sem sair de casa. Por meio dos recursos tecnológicos o registro de candidatura poderá ser online.

Outra mudança que deve acontecer este ano é quanto às reuniões de comitês, que dependem de regras locais. “Se há proibição de reuniões devido à pandemia, então não poderá haver comitê também. Essa não é uma regra imposta pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral), mas sim pelos governos locais”, explicou o procurador-geral da Casa.

No bate-papo, mediado pela jornalista Silvia Magna, Rafael ainda observou que o Direito Eleitoral é dinâmico e tem passado por mudanças justamente para tentar garantir a isonomia a todos os candidatos. “É preciso evitar o abuso do poder político e o abuso do poder econômico, por isso há tantas resoluções do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)”, esclareceu.

Leia Também:  Presidente Kennedy: Justiça manda empresário informar quem patrocina outdoor que ofende agentes públicos

Entre as mudanças mais recentes, de 2019, o procurador citou questões relativas à fixação do limite de gastos, previsão e regulação do autofinanciamento, pagamento de honorário de advogados, doações de partidos e de pessoas físicas e sobre  impulsionamento nas redes sociais. “Até mesmo pelo isolamento social gerado pela pandemia, este será um ano de campanha em redes sociais”, frisou a mediadora da live.

Pré-campanha e campanha

Diante do cenário o convidado explicou que é preciso ser cauteloso, principalmente na pré-campanha. “Nessa época, não pode ter gasto de campanha. Já vimos uma condenação do TRE de Mato Grosso a uma candidata, que foi cassada mesmo após ter sido eleita, porque impulsionou um valor muito alto, de R$ 20 a R$ 30 mil, durante a pré-campanha”, contou.

Segundo Rafael, na pré-campanha não se pode pedir voto explicitamente. “Não pode usar número partidário, marca, slogan, jogo de cor, nenhum marketing que vai ser usado posteriormente na campanha”, explica. Já durante a campanha, não é permitida a circulação de trio elétrico, a exceção é para o veículo parado, com limitação de até 80 decibéis. Também é vedado uso de outdoor e outros elementos impressos maiores que 50 cm².

Prestação de contas

Outro assunto abordado foi a prestação de contas da campanha, que acontece em dois momentos e de duas formas. Na primeira os partidos e os candidatos fazem, sendo uma prévia, antes do fundo das eleições. A outra, ao fim da campanha, é encaminhada ao TRE para aprovação ou não. “É bom o candidato ter uma assessoria para ajudá-lo com isso. Mas, em geral, os partidos oferecem essa assessoria básica, com contador e advogado. A responsabilidade, porém, é do candidato”, frisou.

Leia Também:  Em Cachoeiro, faixas elevadas vão garantir mais segurança e acessibilidade na Beira Rio

Sobre como será o processo no dia da votação em si, o procurador explicou que a Justiça Eleitoral ainda está se ajustando, analisando possíveis mudanças. Mas as regras já existentes continuam valendo, como não poder usar camisa de candidato ou fazer boca de urna.

Por fim, após responder diversos questionamentos dos internautas, Rafael Teixeira de Freitas deixou suas recomendações aos candidatos. “As regras do processo eleitoral têm que ser conhecidas por todos, especialmente aqueles que estão na administração pública, o servidor de modo geral – que precisa fazer a desincompatibilização de cargos”, aconselhou.

De acordo com ele, por mais que as assessorias sejam necessárias, o próprio candidato precisa saber o que está fazendo, e seguir toda a legislação eleitoral de forma parcimoniosa. “É muito triste, como já vimos exemplos, o candidato ganhar no voto, mas ser cassado por alguma irregularidade, alguma informalidade, algo que às vezes foi feito sem a intenção de desequilibrar o pleito”, finalizou.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA