Esporte

Técnico Bruno Lage deixa Benfica e torcida já sonha com Jorge Jesus

Publicados

em


.

Fim da linha para Bruno Lage no Benfica. Após a derrota por 2 a 0 para o Marítimo, o técnico pediu demissão faltando apenas cinco rodadas para o término do Campeonato Português. Desde o retorno da competição após a paralisação devido ao novo coronavírus, o time de Lisboa conseguiu apenas uma vitória em cinco partidas.

O baixo rendimento fez o Benfica se distanciar do líder Porto. Há duas rodadas, as águias chegaram a liderar a competição ao vencer o Rio Ave por 2 a 1. Porém, as duas derrotas nas partidas seguintes fizeram a equipe de Bruno Lage ficar seis pontos atrás do grande rival.

O presidente do Benfica, Luís Felipe Vieira, assumiu a culpa pela fase ruim do time e revelou o incômodo de Bruno Lage com a situação.

“Sou o único culpado, não há aqui mais culpados. Sou eu. Nosso treinador, Bruno Lage, quando acabou o jogo, dirigiu-se a mim e me disse: presidente, tens meu lugar a sua disposição, porque entendo que neste momento as coisas não são boas para o Benfica. Não quero dizer que eu não tenha qualidade, não tenha capacidade para dar a volta por cima, como já dei. Mas neste momento não há condições para fazer, toda a gente parece que quer que eu vá embora”.

Primeira Liga - Benfica v Tondela Primeira Liga - Benfica v Tondela

No retorno do Campeonato Português, Benfica empatou com o Tondela diante do Estádio da Luz vazio, mas com cachecóis nas arquibancadas – Tiago Petinga/Pool via REUTERS

Leia Também:  São Caetano perde patrocínio e luta para seguir na Superliga feminina

O sentimento de que não havia mais clima para a continuidade de Bruno Lage não é exclusividade do treinador. Torcedor do Benfica, Marco Teles, de 32 anos, entende que o técnico cometeu erros que o levaram a “perder o vestiário”.

“Em relação à saída do Bruno Lage, como benfiquista, acho que foi a melhor solução, pois ele, ultimamente, não tem feito as melhores opções. Foi um técnico muito importante no título da temporada anterior, mas neste ano não está tão bem. Ele excluiu alguns jogadores da equipe e voltou a utilizá-los agora nesta fase que a equipe está pior, como o Zivkovic. Tem também o caso do Samaris, que foi muito importante na temporada passada e nesta foi pouco utilizado. Obviamente, isto tem interferência dentro da equipe. Os jogadores sentem esses erros e também começam a falhar. Às vezes parece até falhas propositais para prejudicar a equipe e mandarem o treinador embora”.

E o futuro? Jornais portugueses apontam três opções no momento: Mauricio Pochettino, Jorge Sampaoli e Marco Silva. O favorito seria Pochettino, que está desempregado. O português Marco Silva também está livre no mercado desde a saída do Everton (ING), em 2019. Jorge Sampaoli é o atual treinador do Atlético-MG, e tem carta branca com a diretoria do Galo para contratações e início de um projeto a longo prazo. Apesar das três opções, o torcedor sente saudade de outro treinador, como lembra o benfiquista Marco Teles.

Leia Também:  Coluna - Clubes e paradesporto

“O Sampaoli eu não sei muito bem o que pode acrescentar ao Benfica e ao futebol português, que é um futebol que ele não conhece. Também se fala no Pochettino, mas não sei se será a melhor solução. Eu, como benfiquista, não me importaria de ver o Jorge Jesus aqui outra vez. Sabendo que é difícil, talvez a melhor opção seja o Marco Silva, por ter sido treinador do Sporting na Liga Portuguesa e conhece bem o futebol português”. 

Jorge Jesus vem sendo cogitado para assumir o Benfica desde o retorno do futebol em Portugal e tem grande apelo dos torcedores, principalmente nas redes sociais. Pelo clube, conquistou três vezes o Campeonato Português, além de uma Taça da Portugal e cinco Taças da Liga de Portugal. O técnico renovou o contrato com o Flamengo até junho de 2021.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Campeonato Mineiro retorna dia 26 de julho

Publicados

em


.

Em reunião nesta terça (7), com os 12 clubes da primeira divisão de Minas Gerais, a Federação Mineira de Futebol (FMF) marcou a volta do Campeonato Estadual para o dia 26 deste mês. O anúncio do recomeço do torneio, paralisado em 15 de março, foi confirmado pelos dirigentes que participaram virtualmente do encontro.

Faltam apenas duas rodadas para o fim da fase de grupos da competição. Segundo o presidente da FMF, Adriano Aro, as datas originais das semifinais em dois jogos estão mantidas. A decisão coincide com o início do Brasileiro marcado para começar no dia 8 de agosto.

 
 
 

 
 
 
 
 

 
 

 
 
 

A FMF se reuniu, na tarde desta terça, (07/07), com os clubes participantes do Módulo I, para discutir a retomada do Campeonato Mineiro Sicoob 2020. A conferência via internet possibilitou que a maioria optasse pela continuação do campeonato no formato original, com alterações apenas no Troféu Inconfidência: os jogo eliminatórios serão disputados em confronto único. Os clubes mandarão seus jogos em suas sedes, desde que exista aprovação das autoridades de saúde locais. Confira as datas para o retorno do Campeonato Mineiro: 26/07 – 10ª rodada 29/07 – 11ª rodada 02/08 – semifinais (ida) 05/08 – semifinais (volta) No dia 06/08, os finalistas se reunirão com a FMF para decidir as datas das finais, de forma adequada ao calendário do Campeonato Brasileiro.

Uma publicação compartilhada por Federação Mineira de Futebol (@fmf_oficial) em 7 de Jul, 2020 às 2:25 PDT

Nos próximos dias, a FMF deve divulgar um protocolo de segurança, enviado dia 17 de junho para as autoridades sanitárias do governo estadual. Entretanto, dificilmente acontecerão partidas em Belo Horizonte por conta da resistência do prefeito Alexandre Kalil, que é ex-presidente do Atlético-MG e considera apressado o retorno do torneio por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Leia Também:  Campeonato Mineiro retorna dia 26 de julho

Para o jornalista esportivo Orlando Augusto, que acompanha há décadas o futebol da região, a volta é precipitada: “Os casos da pandemia estão crescendo absurdamente e já se fala até em lockdown (fechamento total) na capital”.

Segundo dados recentes do boletim epidemiológico do estado, BH tem 8.085 casos confirmados e 188 mortes. Já todo o território de Minas totaliza 1.230 óbitos em decorrência da doença com cerca de 60 mil casos confirmados.

Edição: Fábio Lisboa

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA