Economia

Tarifas de gás ficam mais caras no Rio em agosto

Publicado em

Gás natural fica mais caro para residências e automóveis no Rio em agosto
Ivonete Dainese

Gás natural fica mais caro para residências e automóveis no Rio em agosto

Enquanto a  gasolina deve ficar mais barata nos próximos dias, depois de a Petrobras anunciar a redução no preço de venda às distribuidoras, as tarifas de gás natural vão ficar mais caras a partir da próxima segunda-feira (dia 1º) no Rio.

A Naturgy, concessionária que opera a distribuição do combustível no Rio, anunciou um novo reajuste nesta quinta-feira (dia 28) tanto para o gás encanado quanto para o Gás Natural Veicular (GNV).

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia . Siga também o  perfil geral do Portal iG

De acordo com a empresa, o reajuste deve atingir pouco mais de 1 milhão de clientes e 630 postos de combustíveis em todo o estado, e acontece por conta do aumento no custo de aquisição do gás natural fornecido pela Petrobras. O último aumento aplicado pela estatal às distribuidoras foi de 19%, em abril.

Leia Também:  Bradesco deverá pagar R$ 3 milhões por falha em app, determina Procon

“São custos não gerenciáveis pela Naturgy e, portanto, o aumento do preço não traz nenhum ganho para a distribuidora”, justificou a companhia.

As porcentagens de aumento são diferentes para o tipo de cliente e a localização. Na Região Metropolitana do Rio (CEG), o reajuste será em média de 0,2% para os clientes residenciais. O aumento vai elevar a taxa mínima, de clientes que consomem até 7 m³/mês, dos atuais R$ 67,02 para R$ 67,15.

Nos estabelecimentos comerciais, o reajuste também será de 0,2%, e nas indústrias, 0,4%. Já no interior do Estado (CEG Rio), o aumento é de 1,0% para as residências, aumentando a tarifa mínima de R$ 52,83 para R$ 53,36. O reajuste nos comércios será de 1,1% e nas indústrias, 1,9%.

Aumento na hora de abastecer

O reajuste também vai elevar o preço do GNV para os automóveis. Na capital e região, o aumento é de 0,4% para no preço do combustível vendido aos postos, e 1,9% no restante do Rio. O repasse aos motoristas, no entanto, varia de acordo com o estabelecimento.

Leia Também:  Mercado sorteia vale-compras de até R$ 500 com app

“Vai depender de cada empresário, que sabe seus custos. O posto é quem decide seus preços, mas acho que ainda não devem repassar (o reajuste) de imediato, até por conta da redução da energia, então acho possível que (os postos) absorvam e segurem o aumento por um tempo”, explica Manuel Fonseca da Costa, presidente do Sindicato dos Postos de Serviço do Rio de Janeiro (Sindcomb).


Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

Eletrobras reduz lucro em 45% após investimento em Furnas

Published

on

Eletrobras
Agência Brasil

Eletrobras

A Eletrobras obteve lucro líquido de R$ 1,401 bilhão no segundo trimestre do ano , queda de 45% na comparação com o mesmo período de 2021. No acumulado do ano até junho, o lucro da companhia caiu 1%, para R$ 4,117 bilhões.

Segundo a estatal, o resultado foi impactado negativamente pela provisão para perdas em investimentos no montante de R$ 890 milhões, em função, principalmente, do  aporte de capital realizado por Furnas na SPE Santo Antônio Energia.

No trimestre também pesou o registro de R$ 694 milhões em Provisão para Crédito de Liquidações Duvidosas (PCLD) relativo à inadimplência da distribuidora Amazonas Energia.

A receita operacional líquida atingiu R$ 8,856 bilhões no período, 19,1% superior à observada no mesmo período do ano passado, influenciada pela melhor performance nos contratos bilaterais e pelo reajuste anual das receitas de transmissão cuja base de ativos foi ampliada no ciclo 2021/2022 pelo reperfilamento da Rede Básica Sistema Existente (RBSE).

Leia Também:  'Urubu do Pix' promete dinheiro fácil, mas é golpe

De janeiro a junho, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado somou R$ 4,861 bilhões, alta de 6% em comparação com igual intervalo do ano anterior. Considerando os seis primeiros meses de 2022, o Ebitda ajustado aumentou 5% para R$ 9,791 bilhões. A margem Ebitda ajustada do período alcançou 55%, queda de 7,08 pontos percentuais (p.p.) na base anual.

Ao final do trimestre, a dívida líquida recorrente da Eletrobras era de R$ 15,142 bilhões, 11% menor que no mesmo intervalo do ano anterior. A alavancagem, medida pela relação dívida líquida por Ebitda LTM ajustado, alcançou 0,7 vez no trimestre, queda de 24% na base anual.

Os investimentos da Eletrobras no trimestre totalizaram R$ 2,548 bilhões, crescimento de 159% em base anual de comparação. No semestre os investimentos avançaram 103%, para R$ 3,050 bilhões.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia . Siga também o  perfil geral do Portal iG .

Leia Também:  Mercado sorteia vale-compras de até R$ 500 com app

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA