Política Nacional

Suplicy foi ‘agressivo’ ao interromper evento petista, diz Mercadante

Publicado em

source
Eduardo Suplicy, Mercadante e Carlos Siqueira
Reprodução/TV PT – 24.06.2022

Eduardo Suplicy, Mercadante e Carlos Siqueira

O ex-ministro Aloizio Mercadante disse que o vereador e ex-senador Eduardo Suplicy teve uma atitude “desrespeitosa e agressiva” ao interromper o evento de lançamento das diretrizes do programa de governo da chapa Lula-Alckmin, na última terça-feira.

Em entrevista ao GLOBO, Suplicy havia acusado Mercadante, que coordena o programa de governo de Lula, de não responder a um email enviado após o ato de terça-feira com pedido de desculpas. Mas o ex-ministro mandou a resposta na quarta-feira.

No evento, Suplicy interrompeu uma fala de Mercadante e reclamou de não ter sido convidado para o ato e do fato de não haver referência à renda básica de cidadania no texto que estava sendo lançado.

No texto de resposta ao vereador ao qual o GLOBO teve acesso, o ex-ministro disse que a atitude não condiz com o histórico de Suplicy que tem a postura “respeitosa como marca da sua vida pública”. “Sua atitude desrespeitosa e agressiva, durante o lançamento das diretrizes, prejudicou o debate qualificado sobre os grandes desafios do país”, escreveu Mercadante.

Leia Também:  Rosa Weber inicia transição para presidir STF durante as eleições

O ex-ministro ainda afirma que bastaria a leitura do documento para saber que a renda básica de cidadania está no item 20 do texto. Sobre as queixas de Suplicy por não ter sido convidado, Mercadante explicou que a equipe responsável não convidou nenhum vereador, deputado estadual, federal ou senador, já que são muitos e não queriam diferenciar o tratamento entre os parlamentares. O ex-ministro diz, porém, que na opinião dele, Suplicy deveria ter sido, sim, convidado.

Mercadante ainda destacou que não foram poucas as manifestações públicas suas reconhecendo que o vereador é sincero, honesto, generoso e cortês. E mesmo com as relações mais agressivas, tensas e com debates políticos cada vez mais contaminados, espera que o fato não mude a essência da relação entre os dois.

O ex-ministro ainda enfatizou que o pedido de desculpas manifestado por Suplicy deveria ser dirigido a todos que contribuíram com a construção das diretrizes e não somente a ele. Lideranças petistas dizem, reservadamente, que Suplicy está, na verdade, chateado com Lula, que vem adiando há meses uma conversa com o vereador sobre a qual posto ele deveria se candidatar na eleição deste ano.

Leia Também:  Ex-ministro Abraham Weintraub declara mais de R$ 15 milhões ao TSE

Após o evento de terça-feira, o ex-presidente foi questionado sobre a reunião por Suplicy teria respondido que a conversa seria marcada. A última conversa entre eles aconteceu em junho do ano passado, em uma transmissão online para celebrar os 80 anos do vereador.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política Nacional

‘Trabalhei pro Bolsonaro e votei nele’, diz Elvis Cezar, do PDT

Published

on

Elvis Cezar é candidato ao governo de SP pelo PDT
Reprodução – 17.08.2022

Elvis Cezar é candidato ao governo de SP pelo PDT

O candidato ao governo do estado de São Paulo, Elvis Cezar, afirmou durante sabatina organizada pelo Estadão em parceria com a Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), nesta quarta-feira (17), que votou e trabalhou para o presidente Bolsonaro nas eleições de 2018.

“Em um primeiro momento em 2018, nós votamos contra um sistema que estava implantado no Brasil, contra o PT, todos nós votamos e votamos em massa em São Paulo. Eu fiz essa atividade, eu era do PSDB, coordenei, fui um dos coordenadores da campanha do Dória, e coordenei no segundo turno uma atuação muito forte e incisiva, trabalhei pro Bolsonaro e votei no Bolsonaro.”

Segundo Cezar, o contexto das eleições de 2018 merecia essa atitude, já que de acordo com ele era a condição mais ‘razoável’ no momento.

Questionado se teria se arrependido por ter votado em Bolsonaro em 2018, Elvis Cezar respondeu:

“Eu tenho hoje uma grande convicção, eu acho que o Brasil não merecesse votar por exceção, e eu votei por exceção naquelas eleições.”

Leia Também:  Rosa Weber inicia transição para presidir STF durante as eleições

Logo depois, o candidato derramou elogios ao candidato a Presidência da República também pelo PDT Ciro Gomes.


Fonte: IG Política

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA