Economia

Subida dos juros deve provocar desaceleração na economia, diz Guedes

Publicados

em


source
Paulo Guedes, ministro da Econimia
[email protected] (O Dia)

Paulo Guedes, ministro da Econimia

O ministro da economia, Paulo Guedes, reconheceu que a subida dos juros para combater a inflação vai provocar uma desaceleração na economia no ano que vem. Para ele, o resultado será o melhor possível a ser feito, e a política econômica está seguindo o caminho correto.

“A Faria Lima e os banqueiros estão prevendo um crescimento menor. É natural. No ângulo de visão de financistas, é claro que vai haver uma desaceleração forte, porque os juros estão subindo. A inflação subiu, de novo estamos fazendo a coisa certa. O importante não é a previsão. O importante é fazer a coisa certa. O resultado será o melhor possível. Quando previram que o Brasil ia cair 10 [%], eu apenas descredenciei a previsão de 10. Eu não disse quanto ia cair. Aí surgiu uma guerra de fatos. Eu acreditava em recuperação em V. Não disse em quanto tempo e aconteceu até mais rápido do que eu esperava. Em compensação, veio acompanhada do componente inflacionário”, disse, ao participar nessa sexta-feira (3) do Encontro Anual da Indústria Química.

Leia Também:  Investimentos externos no Brasil crescem 104% em 2021

Em contrapartida ao efeito dos juros, Guedes conta com o avanço da taxa de investimentos, que vem registrando evolução e pode chegar em 2022 a 20% do Produto Interno Bruto (PIB). Para o ministro, o crescimento do Brasil é inevitável e o país está recuperando sua economia de forma sustentável. Segundo ele, a economia passa por uma fase de recuperação cíclica em forma de V, que é quando registra recuo seguido de ascensão, baseada em transferência de renda e agora passa para a etapa do aumento dos investimentos.

Leia Também

“É um número importante. Estamos subindo a nossa taxa de investimentos”, afirmou.

Guedes acrescentou que não vai fazer projeções do crescimento do PIB para 2022 .

“Eu não estou prevendo quanto vai ser o crescimento do ano que vem. Eu estou tentando de novo colocar um certo ceticismo nessas previsões, que foram de queda de 10%, de depressão, de desemprego em massa. Estou tentando justamente inspirar uma volta à normalidade da economia brasileira e até transcender esse estado, questionando essas previsões do PIB e de crescimento zero. É verdade que a subida de juros para combater a inflação desacelera o crescimento, mas também é verdade que uma taxa de investimento de 20% do PIB é um sinal de bom crescimento à frente”, observou.

Leia Também:  Governo quer antecipar obras para escoar energia gerada no Nordeste

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Investimentos externos no Brasil crescem 104% em 2021

Publicados

em


source
Investimentos externos ao Brasil subiu 104%
Sophia Bernardes

Investimentos externos ao Brasil subiu 104%

O fluxo de investimentos externos no Brasil atingiu US$ 58 bilhões no ano passado, uma alta de 104% se comparado a 2020. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (19) pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Os números fazem o Brasil retomar a sétima posição do ranking de países que mais recebem investimentos. Em 2020, o país ocupou a oitava posição, após perder US$ 28 bilhões em investimentos.

Embora o número positivo em 2021, o Brasil ainda não conseguiu atingir os níveis registrados pré-pandemia. Em 2019, por exemplo, o fluxo de investimentos no país atingiu US$ 65 bilhões.

Países, como os Estados Unidos e China, registraram ótimos índices de investimentos e seguem entre os líderes de preferência dos investidores. Os EUA registraram crescimento de 114% em investimentos, atingindo a marca de US$ 323 bilhões.

Leia Também:  Governo quer antecipar obras para escoar energia gerada no Nordeste

O país asiático registou US$ 179 bilhões em investimentos, alta de 20% se comparado a 2020. O índice é recorde já apresentado pelos chineses.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA