Economia

SP: entregadores de app fazem manifestação por condições de trabalho melhores

Publicados

em


source
Entregadores de apps como Rappi, iFood, Uber Eats e Loggi reivindicam taxas de entrega mais justas
Reprodução/Twitter/@jairomalta

Entregadores de apps como Rappi, iFood, Uber Eats e Loggi reivindicam taxas de entrega mais justas


Mais de 3000 entregadores de aplicativos como Rappi, Uber Eats, Loggi e iFood se reuniram nesta sexta-feira (16) em uma manifestação contra as taxas de comercialização cobradas pelas empresas e pediram vacinação para os trabalhadores das ruas. A concentração foi às 13h, em frente ao estádio do Pacaembu, na zona oeste da cidade de São Paulo.

O protesto foi organizado em grupos de whatsapp e exige uma taxa mínima por pedido (a sugestão é de R$ 10 até 5 km), R$ 2 por quilômetro adicional, transparência nos cálculos, fim dos chamados bloqueios indevidos e de programas como o “Rappi Turbo”, de entregas mais ágeis.

Leia também

Leia Também:  Bolsonaro defende isenção de motos em pedágios e diz que já avisou ministro

No início do ano, a Amobitec, associação que reúne iFood, Uber Eats e Zé Delivery, enviou um requerimento ao Centro de Contingência do Coronavírus de SP que pedia a inclusão da categoria na vacinação prioritária.

Em março, a Uber enviou uma carta para o Ministério da Saúde pedindo que seus  motoristas e entregadores tenham prioridade na fila da vacina e sejam imunizados junto aos demais trabalhadores do setor de transportes.

As primeiras manifestações de motoboys aconteceram ainda no começo da pandemia, no segundo trimestre de 2020. O enclausuramento evidenciou a importância dos trabalhores de entregas e transportes, que se reuniram nos primeiros atos para chamar a atenção sobre suas condições de trabalho. 

Um estudo do Ministério Público do Trabalho e de pesquisadores trabalhistas de universidades federais, divulgado na época, mostrava que 59% dos motoristas passaram a ganhar menos com as plataformas durante a pandemia. De quase 300 motoboys ouvidos, 52% disseram que aumentaram a jornada e tiveram queda nos ganhos.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Petrobras pretende vender campos de gás e acabar com exploração na Bolívia

Publicados

em


source
Petrobras pretende se desfazer de suas atividades de exploração na Bolívia
Redação 1Bilhão Educação Financeira

Petrobras pretende se desfazer de suas atividades de exploração na Bolívia

A Petrobras vem se desfazendo de diversos ativos, e pretende agora vender seus campos de gás na Bolívia . Também cogita encerrar suas operações na Argentina e Colômbia.

De acordo com o jornal O Globo, na Bolívia a produção de gás vem principalmente dos campos de San Alberto e San Antonio, onde a petroleira detém 35% de participação em contratos de operação de serviços, que são operados principalmente para fornecer gás para o Brasil e a Bolívia.

Você viu?

Na última semana a companhia iniciou a fase vinculante referente à venda de seus 51% na Transportadora Brasileira Gasoduto Bolívia-Brasil (TBG), dona e operadora do gasoduto Bolívia-Brasil em território brasileiro, com extensão de 2.593 km e capacidade de transporte de até 30 milhões de metros cúbicos de gás por dia.

Conforme o jornal, a estatal está em negociações para vender, além dos campos de produção, as três unidades de processamento de gás natural (UPGN) que tem no país.

Leia Também:  Senado estuda 14º salário para aposentados e pensionistas; entenda

Para saber mais, confira o post completo , que apareceu primeiro em 1Bilhão Educação Financeira .

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA