Agronegócio

Senar-MT e parceiros se preparam para feira com pequenos produtores

Publicados

em


Com o objetivo de orientar os produtores na nova etapa da Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) que é a comercialização dos produtos, pequenos produtores rurais estão recebendo capacitação de 13 a 15 de outubro. A ATeG é desenvolvida pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT) que está organizando, junto a parceiros, a Feira Natural do Campo onde os produtores rurais poderão comercializar seus produtos e colocar os conhecimentos em prática.

O evento acontecerá todas as quartas-feiras entre 17h30 e 21h, no Shopping Estação Cuiabá, a partir da próxima semana (20.10). Do campo direto para a mesa do consumidor os produtos virão dos municípios de Várzea Grande, Campo Verde, Nossa Senhora do Livramento e Tangará da Serra. Com a participação de cerca de 20 produtores, a ideia é aguçar os cinco sentidos de quem visitar a feira.

Diversidade é a palavra que define este evento. Os consumidores encontrarão frutas, legumes, verduras, derivados de leite, compotas e vários outros tipos de “gostosuras” vindos direto do campo. Mais do que “fazer a feira”, os visitantes terão a oportunidade de conhecer melhor o que o Senar-MT oferece.

Leia Também:  Ministério da Agricultura vai avaliar quais estados do bloco IV podem retirar a vacina da Febre Aftosa

O ambiente será de feira livre onde uns vão para fazer compras e outros para observar o que há de novidade. Mas no final, em uma feira livre, todos acabam criando laços de afetividade que chegam próximo de uma amizade que rompe a relação comerciante-freguês. E é claro que vale lembrar que o que sustenta em grande parte a tradição de ir à feira toda semana é mais que encontrar diversidade de produtos e qualidade, é o prazer das diferentes sensações experimentadas no ambiente.

Alinhamentos – A equipe da ATeG está acompanhando de perto os produtores que irão comercializar seus produtos no evento. O treinamento que será encerrado na sexta-feira (15.10) ocorre de forma presencial. 

De acordo com o coordenador da ATeG, Armando Urenha, os produtores estão recebendo todo o acompanhamento necessário. “Fizemos uma reunião para conhecer a todos, iremos ministrar o treinamento e esclarecer as dúvidas. Tudo para que eles possam trazer seus produtos com segurança e qualidade e colocar em prática os conhecimentos recebidos pela Assistência Técnica”, destaca.

Leia Também:  Seminário vai debater cooperativismo na produção e comercialização de leite
Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agronegócio

Ministério da Agricultura vai avaliar quais estados do bloco IV podem retirar a vacina da Febre Aftosa

Publicados

em


A apreciação será individual e fundamentada por critérios técnicos e por indicadores estabelecidos pelo Mapa

 
O Plano Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA) voltou a ser discutido nesta sexta-feira (15), em encontro virtual que reuniu os integrantes do bloco IV (BA, SE, RJ, SP, MG, GO, MT, TO, MS, ES e DF). Após ouvir os representantes de cada regional, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informou que irá avaliar individualmente cada estado do bloco, podendo atender àqueles que tiverem preparados para a retirada do imunizante, a partir de 2023.

“O pleito era conjunto, de vacinar o rebanho bovino e bubalino destes estados até 2022, para, então, retirar a vacina em todo o bloco. Contudo, alguns estados estão mais adiantados que outros no cumprimento dos indicadores. Então, os que se sentirem prontos para a retirada devem submeter o pleito à apreciação individual”, pontuou o representante do Mapa, Geraldo Marcos de Moraes.

Para o presidente do Sistema Faeb/Senar, que também preside o bloco IV do PNEFA, Humberto Miranda, a decisão é coerente, uma vez que não causa prejuízos individuais nem coletivos aos integrantes do bloco. “Quem estiver apto a seguir com o plano de ação e retirar a vacina no próximo ano, que apresente sua solicitação ao Mapa. Mesmo que um ou outro não se sinta preparado, isso não imputa nenhum risco ao bloco, uma vez que as divisas estarão seguras e todas as ações de defesa sanitária tomadas previamente”, enfatizou Miranda, que defende a última imunização do rebanho baiano em 2022.

Leia Também:  Treinamentos do Senar Roraima beneficiam mais 30 Produtores Rurais

O Estado é considerado zona livre de febre aftosa com vacinação e pretende avançar no título de zona livre sem vacinação. Enquanto isso, a Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) segue com a execução do calendário vacinal. A segunda etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa, deste ano, vai de 1 a 30 de novembro.

O Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa tem como objetivo principal criar e manter condições sustentáveis para garantir o status de país livre da febre aftosa sem vacinação, protegendo o patrimônio pecuário nacional e gerando o máximo de benefícios às entidades envolvidas, aos produtores rurais e à sociedade brasileira.

Fonte: Sistema Faeb/Senar

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA