Agronegócio

Senar capacita instrutores em tecnologias de agricultura de precisão

Publicados

em


Brasília (25/11/2020) – O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) promoveu o primeiro treinamento totalmente online sobre equipamentos de agricultura de precisão para instrutores da instituição nos dias 11 e 12 de novembro.

O curso foi realizado em parceria com a John Deere, empresa que trabalha com soluções tecnológicas em máquinas e equipamentos agrícolas e parceira do Senar desde 2014.

Ao todo, o treinamento teve a participação de 28 instrutores das administrações regionais do Senar da Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pará, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rondônia, Rio Grande do Sul e Tocantins.

A capacitação abordou os princípios básicos da agricultura de precisão, tecnologia que proporciona redução do uso de insumos e amplia a eficiência na produção agrícola.

“Os especialistas da John Deere abordaram sobre o uso dos monitores GreenStarTM modelos GS3 e GEN4 e as funções que podem auxiliar o produtor rural no aumento da produtividade em campo”, explicou o assessor técnico do Senar, Gabriel Sakita.

Para o Senar, as atualizações dos instrutores por meio digital é uma tendência, como explica o assessor técnico da instituição, Mateus Tavares. “Os treinamentos online exigem menos logística, possibilitam contato mais próximo com os instrutores e são tão eficazes quanto às capacitações presenciais”, destacou.

Leia Também:  Todos os criadores de animais precisam atualizar o cadastro no Sistema de Integração Agropecuária
O instrutor Gibson Neres em treinamento de Agricultura de Precisão
O instrutor Gibson Neres em treinamento de Agricultura de Precisão

Gibson Neres Rufo é instrutor de cursos na área de mecanização agrícola do Senar Tocantins e foi um dos participantes.

“O treinamento foi muito bom porque tivemos acesso às configurações novas dos equipamentos, pois o controlador geralmente é uma ferramenta complexa. A oportunidade desse treinamento abriu a minha visão para utilização na prática do campo”. 

Os interessados em saber mais sobre agricultura de precisão podem se matricular nos cursos à distância e gratuitos do Senar. São sete capacitações com matrículas abertas de acordo com a disponibilidade de vagas.

Acesse:  http://ead.senar.org.br/cursos/agricultura-de-precisao/

Assessoria de Comunicação CNA

Foto: Wenderson Araujo 

Telefone: (61) 2109-1419

flickr.com/photos/canaldoprodutor

cnabrasil.org.br

twitter.com/SistemaCNA

facebook.com/SistemaCNA

instagram.com/SistemaCNA

facebook.com/SENARBrasil

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agronegócio

Quebra de safra preocupa cafeicultores

Publicados

em


Minas pode colher uma safra de café até 43% menor este ano. É o que revela o 1º Levantamento da Safra 2021 de café, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) nesta quinta-feira (21). Ainda segundo o estudo, o Sul de Minas deve amargar perdas entre 43 e 47%, em relação ao ano anterior.

O vice-presidente do Sistema FAEMG e presidente das Comissões de Cafeicultura da entidade e da CNA, Breno Mesquita, confirma que os números batem com a percepção do setor produtivo. “Já vínhamos alertando para este cenário desde o ano passado. Além da bienalidade negativa, tivemos graves problemas climáticos em 2020, que já nos sinalizavam uma perda preocupante para a safra atual. Os percentuais levantados pela Conab são bastante similares aos que temos recebido de feedback dos produtores e cooperativas”.

Minas Gerais responde por quase metade de toda a produção nacional, e deve alcançar entre 19,8 milhões e 22,1 milhões de sacas (redução de 42,8% em relação ao último ano). A perda mineira pode ser percentualmente maior do que a média de outros estados, pela predominância do café arábica, que sofre maior influência da bienalidade negativa. Mas as perdas apontadas pela Conab são igualmente preocupantes para todo o país: o documento estima uma produção nacional total – somados conilon e arábica -, entre 43,8 milhões e 49,5 milhões de sacas, indicando uma redução entre 30,5% e 21,4%, em comparação ao resultado apresentado na safra passada.

Leia Também:  Com orientação do Senar/MS, produtor de Tacuru investe em sistema integrado e aumenta produtividade

“É uma perda muito significativa e que nos preocupa muito, porque esses reflexos do clima provavelmente impactarão também a safra seguinte, de 2022. Precisaremos criar dispositivos para que o cafeicultor brasileiro tenha condições de ultrapassar esse momento. Desde o ano passado temos trabalhado nessa busca por recursos, linhas de crédito e instrumentos de renda para o produtor. Já conseguimos o aporte de 150 milhões para a recuperação de cafezais danificados, que estão disponíveis aos produtores e serão essenciais para dar fôlego à cafeicultura brasileira“. – conclui Breno Mesquita.

Clique aqui para acessar as tabelas e o Boletim completo do 1° Levantamento da Safra de Café 2021.

Imagem: Flickr CNA

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA