Agronegócio

SENAR – AC promove encontro para debater futuras ações em Tarauacá e Feijó

Publicados

em


A agenda de atividades do Plano Anual de Trabalho (PAT) 2022 marcou presença na última quarta-feira (15) no município de Tarauacá. O encontro, promovido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR – AC), reuniu lideranças institucionais, representantes sindicais e produtores rurais de Tarauacá e Feijó.

pat22tca1
Reunião contou com presença de equipe do SENAR e representantes dos dois municípios. Foto: ASCOM/SENAR – AC

O principal objetivo dos encontros do PAT, além de afinar os laços entre SENAR e os parceiros municipais, é definir com o apoio dos protagonistas rurais quais as ações mais solicitadas para os respectivos municípios, além da troca de experiências e sugestões para melhorar ainda mais a oferta do SENAR – AC nestas localidades.

pat22tca3
Encontros do PAT estimulam troca de ideias e busca de soluções para problemas locais. Foto: ASCOM/SENAR – AC
pat22tca2
Parcerias institucionais foram reforçadas durante a reunião. Foto: ASCOM/SENAR – AC

Representando o SENAR – AC para apresentar as ações e prestar apoio à realização do evento, estiveram presentes Ilcilene Malini (gerente técnica); Andreia Regina Golombieski (gerente administrativa); Thiago Rodrigues (analista de controle interno); e Maria Claudilene Paiva, representante do Sindicato Rural de Tarauacá.

pat22tca5
Ilcilene Malini, gerente técnica do SENAR – AC, Foto: ASCOM/SENAR – AC

 “Estimular o diálogo e a política da boa vizinhança sempre estiveram lado a lado com a nossa missão institucional, que é promover a qualidade da produção rural e a melhora na qualidade de vida dos homens e mulheres do campo. Com esse feedback, temos uma noção do que precisa ser readaptado e do que precisa ser direcionado para o crescimento dos respectivos municípios, já que cada um possui uma realidade diferente.” – Ilcilene Malini, gerente técnica do SENAR – AC

Leia Também:  FIP Paisagens Rurais promove o dobro de produtividade e redução de custos de produção em Uberaba
pat22tca6
Narcélio Silva, secretário de produção do município de Tarauacá. Foto: ASCOM/SENAR – AC

“Este ano, tivemos o prazer de firmar, juntamente ao SENAR, um termo de cooperação técnica, e acreditamos que os resultados serão os melhores possíveis. Por meio dos cursos e assistência técnica e gerencial (ATeG), observamos a melhoria na qualidade dos produtos – e consequentemente, uma melhora na rentabilidade e na qualidade de vida. Tarauacá já conta com duas ATeG, nas cadeias da piscicultura e fruticultura, e o nosso objetivo é crescer cada vez mais através da assistência técnica.” – Narcélio Silva, secretário de produção do município de Tarauacá

pat22tca7
Maria Claudilene Paiva, representante do Sindicato Rural de Tarauacá. Foto: ASCOM/SENAR – AC

“Este tipo de encontro abre novas ideias para quem participa, e é exatamente o que estamos precisando. O crescimento não se faz sozinho, então o bom relacionamento e a parceria com SENAR, federação, prefeituras e outras instituições é essencial para os produtores rurais.” – Maria Claudilene Paiva, representante do Sindicato Rural de Tarauacá

pat22tca8
Elvanis Marques de Araújo, comerciante e membro do Sindicato Patronal de Tarauacá. Foto: ASCOM/SENAR – AC

“A parceria com o SENAR engrandece muito mais, pois facilita o andamento e a execução de diversos projetos. Temos esperança de muitas ações voltadas para o nosso município, onde não falta gente disposta a trabalhar e crescer.”  – Elvanis Marques de Araújo, comerciante e membro do Sindicato Patronal de Tarauacá

Leia Também:  Aliança Agroeconômica lança relatório do 3° trimestre de 2021
pat22tca9
Francisco Valério da Silveira, representante da Secretaria Municipal de Agronegócio de Feijó. Foto: ASCOM/SENAR – AC

“Estamos naquele momento de incentivo, de tentar realmente melhorar a autoestima dos produtores rurais para que possam desenvolver cada vez mais. O SENAR distribui conhecimento essencial para repassar aos produtores menos favorecidos, para que descubram seu potencial e desenvolvam o setor rural. Aqui em Feijó, temos um dos melhores açaís do Brasil, além de café clonal, mandioca, milho, arroz… E ainda sobre o desenvolvimento, creio que só o que pode detectar os problemas corretamente, e apontar soluções para eles, é a assistência técnica, que já vem sendo ofertada pelo SENAR através da ATeG.” – Francisco Valério da Silveira, representante da Secretaria Municipal de Agronegócio de Feijó

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agronegócio

Ministério da Agricultura vai avaliar quais estados do bloco IV podem retirar a vacina da Febre Aftosa

Publicados

em


A apreciação será individual e fundamentada por critérios técnicos e por indicadores estabelecidos pelo Mapa

 
O Plano Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA) voltou a ser discutido nesta sexta-feira (15), em encontro virtual que reuniu os integrantes do bloco IV (BA, SE, RJ, SP, MG, GO, MT, TO, MS, ES e DF). Após ouvir os representantes de cada regional, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informou que irá avaliar individualmente cada estado do bloco, podendo atender àqueles que tiverem preparados para a retirada do imunizante, a partir de 2023.

“O pleito era conjunto, de vacinar o rebanho bovino e bubalino destes estados até 2022, para, então, retirar a vacina em todo o bloco. Contudo, alguns estados estão mais adiantados que outros no cumprimento dos indicadores. Então, os que se sentirem prontos para a retirada devem submeter o pleito à apreciação individual”, pontuou o representante do Mapa, Geraldo Marcos de Moraes.

Para o presidente do Sistema Faeb/Senar, que também preside o bloco IV do PNEFA, Humberto Miranda, a decisão é coerente, uma vez que não causa prejuízos individuais nem coletivos aos integrantes do bloco. “Quem estiver apto a seguir com o plano de ação e retirar a vacina no próximo ano, que apresente sua solicitação ao Mapa. Mesmo que um ou outro não se sinta preparado, isso não imputa nenhum risco ao bloco, uma vez que as divisas estarão seguras e todas as ações de defesa sanitária tomadas previamente”, enfatizou Miranda, que defende a última imunização do rebanho baiano em 2022.

Leia Também:  Presidente da federação da agricultura e pecuária capixaba concorre ao 21º Prêmio Líder Empresarial

O Estado é considerado zona livre de febre aftosa com vacinação e pretende avançar no título de zona livre sem vacinação. Enquanto isso, a Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) segue com a execução do calendário vacinal. A segunda etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa, deste ano, vai de 1 a 30 de novembro.

O Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa tem como objetivo principal criar e manter condições sustentáveis para garantir o status de país livre da febre aftosa sem vacinação, protegendo o patrimônio pecuário nacional e gerando o máximo de benefícios às entidades envolvidas, aos produtores rurais e à sociedade brasileira.

Fonte: Sistema Faeb/Senar

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA