Economia

Sebrae/ES inicia a campanha Compre do Pequeno com foco na valorização do comércio local

Publicados

em

 

Valorizar, dar suporte e oferecer ferramentas para que as micro e pequenas empresas alcancem o sucesso sempre foi o trabalho do Sebrae/ES. Os impactos causados pela pandemia em pequenos negócios em todo o país mostram o quanto é importante incentivar ainda mais práticas que ofereçam impulso para que empreendedores locais mantenham seus negócios vivos. Com esse propósito, o Sebrae/ES inicia nesta segunda-feira (10) a campanha Compre do Pequeno.

A campanha destaca o encadeamento produtivo envolvido na comercialização de um produto, até mesmo de um simples bolo ou cafezinho, ressaltando a importância do consumo consciente, que valoriza empreendedores locais e fortalece a economia da região. Ao consumir em um pequeno comércio local, o cliente está fomentando essa economia, assim como um empreendedor, ao comprar insumos para seu negócio vindos de uma pequena empresa. Mais detalhes sobre a campanha podem ser acessados em http://sebraees.com.br/compredopequeno.

Para o superintendente do Sebrae/ES, Pedro Rigo, comprar do pequeno tem uma força muito grande em toda a sociedade. “Ao valorizar os pequenos negócios, consumir produtos locais, colaboramos com toda a sociedade. Isso porque o ecossistema de pequenas empresas, comércios, serviços, e produção rural, envolve e mobiliza não só um empreendedor, mas toda comunidade ligada a ele”, explica.

Rigo ressalta também que este é um momento ímpar para todos e que as pessoas e empresas precisam se apoiar. “Essa crise da pandemia foi algo imprevisível que surgiu e afetou todas as empresas, das menores às maiores. Porém, as pequenas foram as mais atingidas. Uma pesquisa do Sebrae mostrou que, no Espírito Santo, 88% dos pequenos negócios diminuíram o faturamento durante a pandemia. E são esses que seguram os empregos e a renda do estado e do país. Precisamos, nesse momento de grandes desafios, nos unirmos: sociedade, empresários, entidades e instituições, para podermos dar a volta por cima. Juntos somos mais fortes!”.

Leia Também:  Terceirizados e contratados podem ter salários diferente exercendo mesma função

O movimento reforça ainda a importância de respeitar protocolos de saúde e segurança na reabertura gradativa da economia. O Sebrae/ES irá orientar os empresários com a disponibilização de protocolos para vários segmentos, já alinhados com o Governo do Estado.

Vale lembrar que a rede de atendimento para as micro e pequenas empresas segue à disposição pela internet. O empreendedor tem a sua disposição os canais de interação Fale com o Sebrae (es.sebrae.com.br), que funciona das 8h às 18h; seu Whatsapp pelo telefone (27) 3041-5500, das 8h às 18h; e a Central de Atendimento 0800 570 0800.

Reação em cadeia

José Hermínio Ribeiro é chef de cozinha. Começou a fazer marmitas saudáveis para a mulher levar para o trabalho e nunca mais parou. Ele, que oferece suas refeições com produtos orgânicos, dá preferência aos feirantes da Praia da Costa. “Com o tempo comecei a perceber que tinha que fortalecer o pequeno negócio e comecei a buscar essas alternativas aqui no bairro. Os produtos são de muita qualidade. Compro também diretamente com os produtores, e está funcionando muito bem”, conta.

Leia Também:  É hoje! Acumulada, Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 50 milhões neste sábado

Para Paulo Gonçalves, que é sócio-proprietário e fundador da empresa familiar Espírito Cacau, uma pequena empresa consegue ir mais longe quando valoriza o comércio local. “A pequena empresa geralmente não consegue manter vários representantes para levar seus produtos para longe. Se não tiver ajuda do comércio local, das confeiteiras, das padarias, se não tiver esse trabalho para ajudar, não consegue fazer com que seu produto chegue aos clientes. Valorizamos muito essa parceria, que nos permite alcançar mercados mais distantes”.

O empresário ressalta ainda que ao escolher fornecedores da região, fortalece toda a cadeia. “Nesse momento de pandemia, os custos só aumentam. Se todo mundo ajudar a cadeia, vai aumentar o consumo, aumentar a produção da indústria, da fazenda, do comércio, quer dizer, fazer com que gire toda a economia. Gira para as pequenas padarias, para as boleiras, ajuda todo mundo”, salienta.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Apesar de congelamento salarial, 162 mil funcionários públicos terão aumento

Publicados

em


source

Brasil Econômico

ministerio
Agência Brasil

Grupo de servidores federais vai se beneficiar de brecha na nova regra barra reajustes até o fim de 2021; veja de quais órgãos são os funcionários

Apesar do congelamento salarial dos servidores, 162 mil  funcionários públicos terão aumento. O grupo corresponde a 25% dos funcionários do Executivo federal, que vai aumentar o salário neste ano com progressões ou promoções na carreira. Isso porque existe uma brecha na  lei que congelou salários do funcionalismo até o fim de 2021, que permite que esses adicionais continuem sendo dados.

A informação é do Ministério da Economia e foi obtida em reportagem deste sábado (26) do jornal Folha de S.Paulo. Os dados mostram que 100 mil servidores subiram na carreira entre janeiro e agosto e outros 62 mil devem ser beneficiados até dezembro. Hoje, o Executivo federal conta com cerca de 602 mil funcionários públicos ativos.

Leia Também:  Dólar fecha R$ 5,55, em alta pela terceira semana seguida

O custo anual com as progressões automáticas por tempo de serviço e promoções por mérito, como no caso de cursos de capacitação, chega a R$ 500 milhões no Executivo federal. 

As progressões são a maior parte do crescimento da folha de salários do governo, pressionando do teto de gastos e limitando outros tipos de despesa no serviço público.

Os 100 mil servidores que avançaram nas carreiras neste ano são do Ministério da Economia, Banco Central e Itamaraty, órgãos que reúnem algumas das carreiras mais bem pagas do serviço público.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA