Saúde

Santa Casa de Cachoeiro vai abrir dez novos leitos de UTI

Publicados

em

Por | 07.02.2015

A Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) da Santa Casa de Misericórdia de Cachoeiro de Itapemirim (ES) passará a contar, este ano, com pelo menos dez novos leitos para o Sistema Único de Saúde (SUS).

 

A ampliação do hospital, que é referência no Sul do Espírito Santo e passará assim a ter 35 leitos de UTI, está sendo possível devido, em grande parte, a uma destinação de recursos da Usina Paineiras, de Itapemirim (ES).

 

A ampliação da UTI vai ser realizada após o remanejamento de espaço de uma outra unidade, que vai passar a funcionar em novo andar, cujas obras estão concluídas, e que aguarda ajustes finais para ser usada. Esta outra unidade é a de Alta Dependência de Cuidados (UADC). Os novos espaços devem ser inaugurados no segundo semestre.

 

Relevância

 

“A Santa Casa é referência para 640 mil pessoas, de todo o Sul do estado. Tinha área disponível para ampliar, mas faltavam recursos. A destinação da Usina Paineiras está sendo fundamental”,assegura Dimas Magnago, vice-presidente do Conselho Deliberativo do hospital.

Leia Também:  Covid-19: Brasil registra 76.692 casos e 2.494 mortes

 

Em visita de representantes da Usina Paineiras à Santa Casa em dezembro, o diretor de Negócios da empresa, Antonio Carlos de Freitas, elogiou as instalações do hospital e parabenizou a diretoria da Santa Casa pela realização.

 

“A Usina Paineiras se sente muito satisfeita em saber que os recursos estão sendo usados para a construção de instalações de alto nível, sobretudo porque são para o SUS”, destacou o diretor da usina.

 

Investimentos

 

O custo total das obras na UADC ficará em R$ 142.606,80, e a Usina Paineiras repassou R$ 100.489,16 para a Santa Casa em equipamentos e serviços de reforma e construção. Condicionadores de ar, computadores e um cardioversor (aparelho de uso médico) estão entre os itens adquiridos com a verba.

 

A destinação foi realizada porque a Santa Casa é hospital de referência para atendimento de vítimas de acidentes graves para os municípios da região. Ela estava prevista no Termo de Ajuste de Conduta (TAC) assinado pela Usina Paineiras, com o Ministério Público do Trabalho (MPT), devido a um acidente ocorrido na área agrícola da empresa que, mesmo discordando da imputação de responsabilidade, concordou em realizar um acordo destinando os recursos ao hospital.

 

Leia Também:  Novo lote de vacinas da Pfizer chega ao Brasil

 

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Rio inaugura primeiras unidades do Espaço Maternidade

Publicados

em


As duas primeiras unidades do Espaço Maternidade, projeto concebido pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Diretos Humanos para incentivar o aleitamento materno e promover saúde e bem-estar de mães trabalhadoras e de seus bebês, foram inauguradas hoje (13) no campus de laboratórios do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) em Xerém, Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

O Espaço Maternidade conta com estrutura própria para amamentação e retirada de leite materno para consumo posterior das crianças. Para a adequação do local, foram investidos R$ 40 mil pela Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres com a aquisição de poltronas de amamentação, cadeira de alimentação, cômoda com trocador de fraldas, geladeira, entre outros itens.

Segundo a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, o Espaço Maternidade é uma prática que a pasta quer levar para todos os órgãos da esfera federal. Ela destacou ser muito importante que as empresas tenham um espaço para que a mãe amamente seu bebê.

“Aí tem gente dizendo ‘mas precisa mesmo disso?’. Precisa, gente. Claro que precisa. Todos nós um dia mamamos no peito da mãe. Que bom que a mãe estava lá para nós”, disse a ministra, que participou da inauguração.

Leia Também:  Lei que determina afastamento de gestante na pandemia é sancionada

O presidente do Inmetro, Marcos Heleno Guerson, ressaltou que o instituto tem que fazer o possível para a apoiar a maternidade das servidoras, colaboradoras, bolsistas, pesquisadoras e alunas de pós-graduação.

“Nesse projeto-piloto que vai funcionar no Inmetro, nós temos a expertise para poder avaliar, contribuir, verificar o que pode melhorar. Isso é muito importante: dar infraestrutura de qualidade que uma política pública precisa para ser implementada no país”, afirmou Guerson.

De acordo com o Ministério da Saúde, o aleitamento materno reduz a mortalidade infantil em 13%. Além de estimular a amamentação e reduzir o desmame precoce após o período da licença maternidade, o projeto também visa a contribuir para o equilíbrio entre trabalho e família.

Edição: Maria Claudia

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA