Economia

Salário mínimo pode aumentar para R$ 1.069,55 após INPC subir

Publicados

em


source

Brasil Econômico

Salário mínimo pode aumentar para R$ 1.069,55 após INPC subir
iStock

Salário mínimo pode aumentar para R$ 1.069,55 após INPC subir

O Ministério da Economia revisou, nesta terça-feira (15), a estimativa para o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) de 2020, passando de 2,09% para 2,35%. Este indicador é utilizado para reajustar o valor do salário mínimo, que pode sair de R$ 1.045 para R$ 1.069,55.

No dia 31 de agosto, o governo de Jair Bolsonaro enviou ao Congresso uma proposta de salário mínimo de R$ 1.067 em 2021. Dessa forma, o piso não terá um aumento real pelo segundo ano seguido. A projeção faz parte do PLOA (Projeto de Lei Orçamentária Anual).

O valor que foi mandado pelo governo leva em conta uma alta de 2,09% do INPC . Hoje, a Secretária de Política Econômica do Ministério da Economia estimou um INPC de 2,35%.

Leia Também:  Auxílio de mil dólares: Bolsonaro diz que arredondou o valor no discurso na ONU

Não há aumento real desde 2019

A estimativa de valor do salário mínimo prevista no PLOA é R$ 12 menor que a que foi apresentada no PLDO (Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias). No dia 15 de abril, quando enviou a proposta ao Congresso, o governo de Jair Bolsonaro projetou que o piso salarial em 2021 seria de R$ 1.079, por conta da projeção, à época, de 3,29% para o INPC .

Entre 2007 e 2019, a lei garantia que o salário mínimo tivesse um aumento real, acima da inflação, toda vez que houvesse um crescimento econômico nas gestões petistas.

A fórmula de cálculo levava em conta a inflação de seu ano anterior, que é medida pelo INPC , mais o resultado do PIB de dois anos antes.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Auxílio de mil dólares: Bolsonaro diz que arredondou o valor no discurso na ONU

Publicados

em


source

Brasil Econômico

Bolsonaro
Reprodução YouTube/Jair Bolsonaro

Presidente chamou de ‘esquerdalha’ a imprensa e a população que questionou o valor citado na conferência das Nações Unidas

Durante live nas redes sociais nesta quinta-feira (24), o presidente Jair Bolsonaro admitiu ter arredondado o valor do  auxílio emergencial em seu discurso durante conferência da Organização das Nações Unidas na última terça-feira (22).

Bolsonaro afirmou que o valor correto seria 960 dólares, mas, no discurso oficial, ele disse mil dólares. Nesta quinta (24), o presidente chamou de “esquerdalha” a imprensa e a população que questionou o valor citado na ONU.

“Eu disse no meu discurso da ONU que o total do auxílio emergencial será próximo de mil dólares, mas na verdade, dá 960 dólares. Mas foi o suficiente para baterem em mim. Agora, se você dividir simplesmente o volume, pela quantidade, você tem um número. Das 65 milhões de pessoas que receberam o auxílio emergencial de R$ 600, nas cinco primeiras parcelas, tínhamos ali 12 milhões de senhoras com filhos, e elas receberam o dobro, o que leva a média para em torno de 970, 960 dólares. Então, eu fiz a aproximação e foi o suficiente para a esquerdalha me acusar de mentiroso”, disse Bolsonaro na live de hoje.

Leia Também:  Defesa do consumidor: a relação entre ingestão de corpo estranho e o dano moral

O iG checou as contas. No total, o  auxílio emergencial pagará aos beneficiários cinco parcelas de R$ 600 e quatro de R$ 300. Juntas, elas somam R$ 4,2 mil. 

Na cotação do dia,  mil doláres  equivaliam a mais de R$ 5,4 mil, o que significa que o arredondamento do presidente ignorou cerca de R$1,2 mil – ou duas parcelas de R$ 600 do auxílio emergencial. 

Além disso,  nem todos os benefíciários receberão as nove parcelas, que devem ser pagas até dezembro. Por outro lado, alguns grupos receberam um benefício maior, como  mães chefes de família, cuja parcela foi de R$ 1,2 mil.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA