Saúde

Rondônia estuda transferir pacientes com covid-19 para outros estados

Publicados

em


O governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha (Sem Partido), avalia com o governo federal a possibilidade de transferir para outros estados pacientes com covid-19 que aguardam vagas em unidades de terapia intensiva. Dados da secretaria estadual de saúde apontam que, até sábado (23), havia 543 pessoas internadas com a doença. Rocha, entretanto, não citou a quantidade de pacientes a serem transferidos.

A declaração foi feita neste domingo (24) durante uma live no Facebook para tratar do recebimento de novas doses da vacina de Oxford. Rondônia recebeu, até o momento, 13 mil doses.

De acordo com o governador, no sábado, foi feito um contato com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para debater a questão. A medida seria uma alternativa para desafogar a rede de saúde no estado, que já está com 100% dos leitos ocupados.

“Apesar de todas as ações desenvolvidas pelo estado de Rondônia, infelizmente as festas e o avanço rápido da doença fizeram com que nossos leitos ficassem todos ocupados. Desde sexta-feira, estamos trabalhando muito com a transferência de pacientes para hospitais federais no território brasileiro”, disse o governador.

Leia Também:  Covid-19: começa hoje vacinação no DF para idosos de 76 a 78 anos

Rocha destacou ainda que estuda uma alternativa para evitar a transferência de pacientes, também debatida com o Ministério da Saúde. O plano B seria o envio de médicos e equipamentos por parte do governo federal para atender os pacientes.

“Essa madrugada, nós tivemos outra possibilidade: de o governo federal trazer médicos, mais monitores multi-paramétricos, mais bombas de infusão para que pudéssemos, então, atender os pacientes aqui. Porque temos pessoas contaminadas pela covid-19 que estão aguardando a possibilidade de ir para a UTI”, afirmou Rocha, sem dar mais detalhes sobre as negociações.

Desde o início dos registros de casos da pandemia, são 116.133 casos confirmados em Rondônia, sendo 18.350 casos ativos e 2.097 óbitos. Ontem, foram registrados 933 novos casos e 12 óbitos.

Durante o pronunciamento, o governador ressaltou a necessidade de a população reforçar medidas de distanciamento social e de prevenção contra o vírus – entre elas, o uso de máscaras, de álcool em gel. Rocha destacou que a prevenção é agir para proteger “uns aos outros”.

“Há uma necessidade que eu quero deixar bem claro para toda a população: a prevenção é o melhor remédio neste momento. Vamos vencer, sim, essa pandemia, mas precisamos agir neste momento com a prevenção”, afirmou. “Peço que não façam festas, não façam aglomerações, ainda que de família ou com amigos. Evitem os churrascos de final de semana. Nós estamos em guerra”, disse.

Leia Também:  Primeiro caso de covid-19 no Brasil completa um ano

Edição: Paula Laboissière

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Mesmo com multas, torcedores do Flamengo fizeram aglomeração no Rio

Publicados

em


As equipes de fiscalização da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) do Rio de Janeiro, aplicaram 25 multas em estabelecimentos por aglomeração e outras irregularidades na noite de ontem (25) em locais onde houve intensa aglomeração de torcedores do Flamengo. As multas foram resultado da ação conjunta da Seop com a Guarda Municipal e o Instituto de Vigilância Sanitária (Ivisa), além do apoio da Polícia Militar. Na fiscalização houve patrulhamento e monitoramento de diversas áreas da cidade durante a transmissão do jogo do Flamengo, com a participação de 100 agentes.

A operação foi feita na Rua Dias Ferreira e Avenida Ataulfo de Paiva, no Leblon; Praça Santos Dumont, na Gávea, as duas áreas na zona sul; nas Avenidas Olegário Maciel e Érico Veríssimo, na Barra da Tijuca, na zona oeste; na Praça Varnhagem, na Tijuca e entorno do Maracanã, na zona norte; e na Lapa, centro da cidade.

Os fiscais flagraram ainda outras irregularidades como distanciamento inadequado entre mesas, pessoas consumindo bebidas em pé ou fumando em ambiente fechado, e falta de autorização para mesas e cadeiras em área externa. “As autuações foram feitas por fiscais da Vigilância Sanitária e da Coordenadoria de Licenciamento e Fiscalização (CLF), da Seop”, informou a secretaria.

Leia Também:  Após suspensão, voo comercial traz brasileiros que vivem em Portugal

Agentes da Coordenadoria de Controle Urbano (CCU), vinculada à Seop, orientaram ambulantes não autorizados a desocupar o espaço público na Praça Santos Dumont e na Rua Rainha Guilhermina (Leblon). Dois veículos por estacionamento irregular foram removidos pela Coordenação de Fiscalização de Estacionamentos e Reboques (Cfer), que também é um órgão da pasta.

Pelos dados da Seop, desde o início das ações conjuntas coordenadas pela Seop, no dia 15 de janeiro, para fiscalizar as medidas de proteção à vida e combate à covid-19, foram registradas 655 inspeções em estabelecimentos, 397 infrações sanitárias e 94 interdições, incluindo de eventos clandestinos e comércios com aglomeração.

Aglomerações

Ontem torcedores do Flamengo se aglomeraram em vários pontos do Rio para acompanhar o jogo e depois nas comemorações pelo segundo título consecutivo do Campeonato Brasileiro. Na Praça Varnhagem, na Tijuca, onde foi feita a fiscalização, era grande a quantidade de pessoas em grande parte sem máscaras de proteção e houve confusão com a chegada de policiais militares. Um homem foi preso. O mesmo cenário se viu em Copacabana e no Leblon, na zona sul, repetindo as aglomerações que já se tornaram constantes nesses bairros. Na zona oeste, além da Barra da Tijuca, várias ruas do Recreio estavam cheias de torcedores do clube, como se a cidade não estivesse em meio a pandemia da covid-19.

Leia Também:  Três regiões do Rio saem do nível de alto risco para covid-19

Hoje cedo, foi a vez do Aeroporto Internacional Tom Jobim/RioGaleão, na zona norte. Parte da torcida foi ao local para receber a delegação do Flamengo que voltava para o Rio, depois do jogo de ontem à noite em São Paulo. Muitos ficaram na área de desembarque, mas os que tentaram se deslocar para o portão do terminal de cargas, onde haveria a saída do ônibus com alguns jogadores, foram impedidos pela Polícia Militar, que bloqueou a passagem.

Edição: Valéria Aguiar

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA