Saúde

Rio inicia distribuição de seringas e agulhas para os municípios

Publicados

em


O governo do Rio deu início, neste sábado (16), à distribuição do primeiro lote de seringas para a campanha de vacinação contra a covid-19. Ao todo, nesta primeira fase, a Secretaria de Saúde (SES) enviará 5,5 milhões de seringas descartáveis de 3 milímetros (ml) com agulha aos 92 municípios do estado.

A operação para a entrega do material, em apenas quatro dias para todos os municípios, tem o apoio da Polícia Militar (PM). A PM dará suporte, com 17 comboios, fazendo a escolta dos veículos da secretaria que levarão as seringas para as cidades. Cem policiais militares participarão diariamente da ação, que será monitorada pelo Centro Integrado de Comando e Controle (CICC).

Na última quarta-feira (13), a SES encaminhou aos secretários municipais de Saúde um ofício recomendando que as seringas sejam de uso exclusivo da campanha de vacinação contra a covid-19. O material corresponde ao mesmo número de doses que serão necessárias para imunizar a população, que se encaixa nas quatro fases iniciais da vacinação.

O governador Claudio Castro disse que está tudo pronto para a vacinação. “Estamos prontos para vacinar a população fluminense. Agora, é hora de cada cidade do estado receber seringas e agulhas para a primeira fase de imunização. Cada cidadão, de forma igualitária e seguindo o Plano Nacional de Imunização, terá direito à vacina, de Natividade à Paraty”, disse.

Leia Também:  Covid-19: Brasil tem segundo dia com mais mortes confirmadas

O secretário de Saúde, Carlos Alberto Chaves, destacou a experiência dos profissionais de saúde em ações de vacinação desse tipo. “A secretaria já tem em sua rotina as vacinações pelo SUS e histórico de grandes campanhas de imunização. Estamos preparados para dar início à vacinação. A distribuição das seringas é mais um passo desse processo para garantir que toda a população do Estado seja vacinada”, disse.

Outro lote

Em dezembro do ano passado, a SES recebeu 8 milhões de agulhas e seringas adquiridas por meio de licitação. Um segundo lote, com mais 8 milhões de agulhas e seringas, tem previsão de entrega à secretaria, em fevereiro. Esse material foi comprado a R$ 0,17 a unidade, abaixo do valor estabelecido nas atas de preço vigentes. Outro processo de aquisição, de mais 50 milhões de agulhas e seringas, já foi iniciado e estará concluído para as fases seguintes da campanha de vacinação contra a covid-19.

Plano Nacional de Imunização

A SES vai seguir o Plano Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde (MS), que prevê a distribuição de vacinas contra a covid-19 para todos os estados do país. O PNI ocorrerá inicialmente em quatro fases, obedecendo a critérios logísticos de recebimento e distribuição das doses.

Leia Também:  SP: Sindicato confirma quase 2 mil casos de covid-19 em rede de ensino

Fases da vacinação

A primeira fase prioriza os trabalhadores da saúde, a população idosa a partir de 75 anos de idade, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (asilos e instituições psiquiátricas) e população indígena; a segunda fase inclui pessoas de 60 a 74 anos;  a terceira prevê a vacinação de pessoas com comorbidades e, por isso, maior risco de agravamento da doença (como portadores de doenças renais crônicas e cardiovasculares) e  a quarta fase abrangerá professores, forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade.

Edição: Aécio Amado

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Justiça manda prefeito de Duque de Caxias seguir o PNI

Publicados

em


Após um dia confuso, com filas quilométricas e muita aglomeração em busca da vacina contra a covid-19 no município de Duque de Caxias, a Justiça determinou que o prefeito e o secretário de Saúde da cidade sigam o Plano Nacional de Imunização (PNI), sob pena de sofrerem multa pessoal no valor de R$ 50 mil. Desde as primeiras horas desta sexta-feira (5), milhares de pessoas se dirigiram aos postos do município após o anúncio de que todos a partir de 60 anos seriam vacinados.

A quantidade de população estimada em Duque de Caxias nesta faixa etária é de cerca de 100 mil pessoas, muito superior às 7 mil doses de vacina que a prefeitura tinha disponível. Centenas de carros formaram longas filas para a vacinação no sistema de drive-thru, chegando a paralisar rodovias e vias internas, por causa de engarrafamentos. Nas calçadas, milhares de pessoas acima de 60 anos formaram filas e aglomerações em busca da imunização.

Na decisão judicial, publicada no início da noite, a juíza Elizabeth Maria Saad, titular da 3ª Vara Cível de Duque de Caxias, ordena que o prefeito, Washington Reis, e o secretário municipal de Saúde, Antônio Manoel de Oliveira Neto, sigam o PNI.

Leia Também:  Na primeira noite de restrições no Rio, bares insistem em abrir

A juíza também determinou que a vacinação no município seja feita de acordo com a faixa etária dos idosos, da idade mais elevada para a mais baixa, independentemente da atividade profissional, tendo em vista a maior taxa de letalidade entre os mais velhos. A magistrada determinou ainda que seja reservada e garantida a segunda dose da vacina para todos aqueles que receberam a primeira dose do imunizante CoronaVac pelo município de Duque de Caxias.

Outro lado

A prefeitura foi procurada para se pronunciar sobre a decisão e informou que ainda não havia sido intimada de nenhuma decisão, além de uma anteriormente recebida “e integralmente cumprida, inclusive com a suspensão da vacinação (àquela época) nos profissionais de educação com idade acima de 60 anos”. 

A administração também afirmou que está reservando e efetivando a segunda dose da CoronaVac para os que receberam a primeira dose na cidade.

“O Plano Nacional de Imunização está sendo plenamente cumprido pela municipalidade, dentro da competência que lhe confere a Constituição Federal, para gerir as políticas materializadoras das campanhas de vacinação em seu território e para seus jurisdicionados.”

Leia Também:  Pandemia prejudica transplante de órgãos no Brasil

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA