Agronegócio

Revitalização de bacias hidrográficas vai auxiliar na segurança alimentar, avalia CNA

Publicados

em


Brasília (10/06/2021) – A criação de uma plataforma de marketplace para alavancar a revitalização de bacias hidrográficas no Brasil é uma iniciativa importante para garantir a manutenção da água em quantidade e qualidade suficiente para a produção de alimentos e os outros usos da água na bacia, avalia o presidente da Comissão Nacional de Irrigação da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Eduardo Veras.

“Isso vai ser importante tanto para o meio rural quanto para a cidade porque poderemos revitalizar as bacias hidrográficas que carecem de alguma recuperação como proteção das nascentes e corpos hídricos para enfrentar as crises hídricas que vêm acontecendo ao longo do tempo. Com água em quantidade e qualidade, teremos mais água para atender os múltiplos usos e, no caso do agro, para manter a produção de alimentos.”

A iniciativa é do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e faz parte do Programa Águas Brasileiras do Governo Federal, para ampliar a quantidade e a qualidade da água disponível para consumo e para o setor produtivo, de forma a fomentar o desenvolvimento regional e garantir mais qualidade de vida para a população.

Leia Também:  Faeg, Senar e Sebrae promovem Encontro de Dirigentes Sindicais

O órgão publicou esta semana um edital para contratar empresa ou entidade que desenvolva uma plataforma com o conceito de marketplace que irá proporcionar o encontro de organizações que elaboram e executam projetos de revitalização de bacias com empresas, fundos nacionais e internacionais e pessoas físicas que buscam se engajar na agenda de sustentabilidade. As inscrições estão abertas até 5 de julho.

Eduardo Veras ressaltou que o produtor rural pode contribuir com a iniciativa protegendo nascentes nas propriedades e fazendo um uso correto das tecnologias de irrigação.

“O produtor tem a cultura de proteger a agua dele. É um bem valoroso e por isso temos cada vez mais que incentivá-lo a proteger as nascentes. Essa união entre produtor e iniciativa privada é benéfica porque também contribuirá para que esse produtor possa receber pelos serviços ambientais prestados”.

Luna Viana, assessora especial do Ministério do Desenvolvimento Regional, explica que a plataforma vai viabilizar o acesso a bons projetos e uma estrutura de gestão com segurança e efetividade.

“Para aqueles produtores rurais que têm uma visão do valor da água e da importância da adoção de práticas sustentáveis, tanto de produção quanto de manejo, a plataforma marketplace vai viabilizar esse acesso, permitindo que as propriedades consigam preservar e manter seus recursos hídricos”, afirma.

Leia Também:  Chuva deve seguir a conta gotas no Paraná

Além do MDR, integram o Programa os Ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), do Meio Ambiente (MMA) e da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e a Controladoria-Geral da União (CGU), além de estados e municípios.

Assessoria de Comunicação CNA
Telefone: (61) 2109-1419
flickr.com/photos/canaldoprodutor
cnabrasil.org.br
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
facebook.com/SENARBrasil
youtube.com/agrofortebrasilforte

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agronegócio

Senar debate ações do projeto FIP Paisagens Rurais em MS

Publicados

em


Projeto atende as cadeias da pecuária de corte e de leite.

Brasília (24/06/2021) – O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) participou, na quinta (24), da oficina do projeto FIP Paisagens Rurais para apresentar os objetivos e resultados esperados com a implementação do projeto em Mato Grosso do Sul.

O debate foi promovido pela Agência de Cooperação Técnica Alemã (GIZ) e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio do Serviço Florestal Brasileiro (SFB), e reuniu entidades parcerias do projeto no estado.

O Paisagens Rurais abrange 14 municípios dentro da bacia prioritária do Mato Grosso do Sul e a meta do Senar é atender 600 propriedades rurais na região até setembro de 2021, explicou Fabiano Pessatti, gestor do projeto no Senar em Mato Grosso do Sul.

“Até o momento já realizamos 736 visitas e atendemos 168 propriedades com assistência técnica e gerencial na cadeia da bovinocultura de corte. Os resultados esperados são aumento de produtividade, geração de renda, além de melhorias na cobertura vegetal da paisagem e no monitoramento das áreas de cerrado”.

Para Rafael Costa, assessor técnico da Diretoria de Assistência Técnica e Gerencial do Senar, a entidade tem conseguido executar o projeto no estado focando nos resultados.

Leia Também:  CNA discute os impactos da MP 1.052 no agronegócio

“Apesar dos gargalos e desafios encontrados, as propriedades atendidas no estado, devido ao perfil fundiário e ao engajamento dos produtores da pecuária de corte, vão contribuir para os resultados globais do Paisagens Rurais”, disse. “Contamos com os parceiros estaduais para trazer mais produtores para o projeto”, ressaltou.

O secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar de Mato Grosso do Sul (Semagro), Jaime Verruc, destacou a importância do projeto, que segundo ele, “está alinhado à estratégia de desenvolvimento sustentável do estado”.

“É um grande desafio construir esse desenvolvimento sustentável junto com os produtores, por isso é importante o engajamento de todos os parceiros para atingirmos as metas, tratando de forma adequada o uso de solo e fazendo a recuperação ecológica de algumas regiões.”

A coordenadora-geral de Apoio aos Estados da Diretoria de Regularização Ambiental do SFB, Jaine Cubas, afirmou que o projeto é estratégico para a entidade porque trará subsídios para a regularização ambiental e para “melhorar a paisagem dentro de um ecossistema de pastagem e recuperação produtiva”.

Segundo Sidney Medeiros, auditor fiscal do Ministério da Agricultura, o Paisagens Rurais é um projeto inovador que vai proporcionar melhoria de renda para o produtor e contribuir para que ele se adapte às mudanças climáticas e faça as adequações ambientais necessárias na propriedade rural.

Leia Também:  Faeg, Senar e Sebrae promovem Encontro de Dirigentes Sindicais

O FIP Paisagens Rurais vai beneficiar quatro mil produtores rurais com ações de ATeG e mais 5,2 mil pessoas por meio de capacitação, estimulando a adoção de práticas agropecuárias de baixa emissão de carbono em 100 mil hectares e de conservação e recuperação em sete mil hectares de área.

A oficina desta quinta-feira completou a rodada de encontros virtuais com as entidades parceiras do projeto nos estados da Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Tocantins.

FIP Paisagens Rurais – O Projeto Gestão Integrada da Paisagem no Bioma Cerrado (FIP Paisagens Rurais) é financiado com recursos do Programa de Investimento Florestal, através do Banco Mundial. A coordenação é do Serviço Florestal Brasileiro (SFB) e da Secretaria de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), com parceria da Agência de Cooperação Técnica Alemã (GIZ), do Senar e do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI), por meio do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e da Embrapa.

Assessoria de Comunicação CNA
Telefone: (61) 2109-1419
flickr.com/photos/canaldoprodutor
cnabrasil.org.br
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
facebook.com/SENARBrasil
youtube.com/agrofortebrasilforte

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA