Estado

Reuniões virtuais discutem pesquisa sobre sistema de café arborizado

Publicados

em


.

As reuniões pela internet entraram na rotina das equipes do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper). Os profissionais envolvidos no projeto de pesquisa sobre o “Desempenho agronômico do cafeeiro em sistemas arborizados no Estado do Espírito Santo” fazem o intercâmbio das informações técnicas por meio de encontros virtuais realizados periodicamente.

O projeto tem por objetivo avaliar o desempenho de cafeeiros arábica e conilon em cultivos arborizados e consórcios perenes, e o desenvolvimento de genótipos de cafeeiro arábica e conilon nesses consórcios. Desta maneira, pretende-se ampliar os conhecimentos técnico-científicos e a rede de pesquisa em cultivos arborizados, envolvendo pesquisadores, professores, extensionistas e agricultores.

Segundo Ricardo Eugênio Pinheiro, extensionista do Incaper e responsável pelo plano de ação do projeto, o objetivo das reuniões virtuais é dar continuidade às atividades. “Neste momento de pandemia, não dará para executar todas as atividades conforme foram planejadas. Mas podemos ‘edificar e/ou solidificar’ algumas, utilizando metodologias e meios remotos, com agricultores e entre nós. Assim, no momento em que tudo isso passar, estaremos mais preparados para executar as implementações das ações do projeto”, disse Ricardo Eugênio.

Leia Também:  Sesa divulga 26º boletim da dengue, zika e chikungunya no Espírito Santo

Uma das propostas do projeto de pesquisa é a instalação e o monitoramento de quatro Unidades de Pesquisa Participativas (UPPs), nos municípios de Cachoeiro de Itapemirim, Alegre, Ibitirama e Iúna. Outros municípios das regiões sul e Caparaó também serão envolvidos: Guaçuí, Dores do Rio Preto, Irupi e Jerônimo Monteiro.

 “As UPPs devem avaliar o desempenho do cafeeiro arábica e conilon em cultivo arborizado e consórcio perene, em nível da propriedade familiar e de modo participativo, buscando obter indicadores econômicos da implantação de sistemas arborizados levantados e resultados econômicos mensurados na visão do agricultor”, explicou o responsável.

Ainda segundo Ricardo Eugênio, as UPPs serão implantadas em propriedades de agricultores, utilizando as metodologias de pesquisa participativa, acompanhadas e monitoradas por extensionistas, pesquisadores, bolsistas e pelos próprios agricultores. Desta maneira, o projeto pretende analisar a viabilidade do sistema sob o aspecto socioeconômico, tomando por base a percepção dos agricultores, visando a construir consórcios adequados, além de promover a difusão simultânea de resultados nas regiões sul e Caparaó.

Sobre o projeto

O projeto de pesquisa intitulado “Desempenho agronômico e econômico do cafeeiro em sistemas arborizados no Estado do Espírito Santo” é desenvolvido pelo Incaper em parceria com a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e o Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes). Além da implantação das UPPs, o projeto propõe outras quatro soluções para inovação: Gestão do Projeto; Sistema Agroflorestal (SAF) Pacotuba, Café Aránica e Juçara e Seleção de Genótipos.

Leia Também:  Governo do Estado investe R$ 1,5 milhão em obras de infraestrutura em Atílio Vivácqua

 

Texto: Juliana Esteves

Informações à imprensa
Coordenação de Comunicação e Marketing do Incaper
Juliana Esteves
(27) 3636-9868 / (27) 3636-9865
[email protected]

Fonte: Governo ES

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estado

Governo do Estado inicia trabalho de elaboração do projeto de restauro e modernização do Teatro Carlos Gomes

Publicados

em


.

O Teatro Carlos Gomes, no Centro de Vitória, recebeu, na última segunda-feira (29), uma visita técnica para início dos trabalhos de elaboração do projeto de restauro e modernização. Estiveram presentes, as equipes da Gerência de Memória e Patrimônio e da Gerência de Espaços e Articulação Cultural da Secretaria da Cultura (Secult), representantes do Departamento de Edificações e de Rodovias do Espírito Santo (DER-ES) e da empresa Arquistudio Arquitetura e Urbanismo, vencedora da licitação para elaboração do projeto técnico.

A elaboração do projeto de restauro e modernização do Teatro Carlos Gomes foi pactuado no último dia 23 de junho, com a assinatura da Ordem de Serviço entre o Governo do Estado, por meio do DER-ES, e a empresa vencedora do certame. A empresa tem até fevereiro de 2021 para apresentar a elaboração do todo o projeto arquitetônico. Após essa entrega, o trabalho entra em uma nova etapa com a licitação para a execução das obras. 

A visita técnica teve o objetivo de realizar os primeiros diagnósticos para o projeto arquitetônico que vai contemplar obras de melhoria no tratamento acústico, na climatização e nas instalações do teatro, além da modernização dos sistemas hidráulico e elétrico e dos equipamentos de segurança.

Leia Também:  João Neiva recebe mais de R$ 5,5 milhões em investimentos na revitalização do Centro e novas obras

O investimento na fase de projeto é de R$ 337 mil em recursos do Estado. A gestão do contrato é de responsabilidade do DER-ES, enquanto o acompanhamento técnico da obra será feito pela Gerência de Memória e Patrimônio (GMP) da Secult e pelo Conselho Estadual de Cultura (CEC).

 O secretário de Estado da Cultura, Fabricio Noronha, destacou a relevância do projeto: “a reforma do Teatro Carlos Gomes é uma das prioridades da nossa gestão. Nosso principal palco das artes e um dos patrimônios culturais mais importantes. A etapa do projeto é muito importante, pois ele subsidiará a reforma completa, com a requalificação completa do espaço”.

Para o diretor presidente do DER-ES, Luiz Cesar Maretto Coura, a obra será um importante marco para os capixabas: “Recebemos a missão de participar do projeto e execução da obra com muita alegria. O povo capixaba merece um teatro bonito e bem estruturado e nós estamos empenhados neste importante trabalho”, afirmou. 

História do Teatro Carlos Gomes

O Teatro Carlos Gomes, o mais antigo do Espírito Santo, abriu suas cortinas pela primeira vez em 1927. A inauguração preencheu a lacuna deixada pelo Teatro Melpômene, demolido após um incêndio. Projetado pelo arquiteto italiano André Carloni, sua arquitetura de estilo neorrenascentista foi inspirada no Teatro Alla Scala, de Milão, na Itália. Administrado inicialmente pelo próprio André Carloni, a primeira peça encenada foi “Verde e Amarelo”, de José do Patrocínio e Ruy Pavão, com a Companhia da Revista Tam-Tam.

Leia Também:  Google Meet reforça aulas de redação em escola de Pedro Canário

O Teatro Carlos Gomes foi tombado pelo Conselho Estadual de Cultura (CEC) em 1983, mantendo-se ativo na apresentação de peças e espetáculos de música e dança.O imóvel atualmente encontra-se fechado para reforma e terá previsão de reabertura após a conclusão das obras. 

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação da Secult
Aline Dias / Danilo Ferraz / Erika Piskac
(27) 3636-7111 / 99808-7701 / 99902-1627
[email protected]
[email protected]
Facebook: secult.espiritosanto
Instagram: @secult.es

 

Fonte: Governo ES

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA