Artigo

Recursos da saúde

Publicado em

Por | 19.01.2012

 

 

O governo do estado anunciou, como faz a cada início de ano, um pacote milionário de recursos para os hospitais filantrópicos estaduais, o que inclui três de Cachoeiro, responsáveis pelo atendimento da demanda sulina.

As cifras são altas, ainda mais se comparadas com os recursos destinados no início deste século, muitas vezes menor que para outras regiões, levando-se em consideração o número de habitantes. A constatação da discrepância ocorreu por mérito do então deputado estadual Carlos Casteglione (PT), naquele que pode ter sido o principal momento em seus seis anos de mandato na Assembleia.

A partir de então, ano após ano, a diferença diminuiu e o volume de recursos cresceu de tal forma que os hospitais deixaram de ameaçar interromper o atendimento e agora investem, sem exceção, na ampliação dos serviços e de suas estruturas físicas.

O avanço é notável. Mas ainda falta muito. O cumprimento do repasse destes recursos em dia é algo que pode ajudar. As instituições, compreensivelmente, evitam falar sobre o assunto. Já estão no lucro. Mas, há denúncias de que o pagamento, em alguns casos, esteja atrasado há meses.

Leia Também:  Eduardo Galeano: Operação chumbo impune

Nada que comprometa o atendimento, mas é preciso estar vigilante ao menor indício de retrocesso, afinal, não é a saúde pública um exemplo de sucesso, ainda.  E não há margem para andar para trás.

 

Mas, hein?!

Muita gente amaldiçoou as chuvas de início de ano e o sol voltou. Agora, o que mais se ouve são reclamações pelo forte calor.

 

Presença. O prefeito de Marataízes, Jander Nunes Vidal, sua esposa, Heloisa, e o chefe de Licitação, Moacyr, no camarim do Roupa Nova, no último sábado.

 

Sobe

Saúde

O governo do estado vai repassar R$ 252,8 milhões, ao longo do ano, aos hospitais filantrópicos do Espírito Santo.

 

Desce

Insegurança

O assassinato de uma pessoa durante show em Anchieta demonstra que os esforços na segurança precisam ser reforçados.

 

Tudo certo

A presidente Dilma fará mudança no ministério; o governador Casagrande, no secretariado. Só em Cachoeiro o prefeito Carlos Casteglione considera que acertou de primeira e mantém todos os que não pediram para sair. Deve estar dando tudo certo.

Leia Também:  Evandro e Prof. Maciel, Abandonados

 

Saída adiada

A ministra das Mulheres, Iriny Lopes (PT), não vai mais deixar o governo ao final do mês. Ela atende a pedido da presidente Dilma, para que permaneça mais um pouco, até que a reforma ministerial possa ser anunciada. Iriny pretende disputar a Prefeitura de Vitória e precisa se desincompatibilizar do cargo para concorrer. Mas seu prazo é abril.

 

Vias de FATO

Dilma pediu para Iriny Lopes Ficar no Ministério, mas só até o anúncio da reforma eleitoral. Depois, ela volta ao congresso e Camilo Cola (PMDB) perde a cadeira.

 

*********

 

Glauber Coelho (PR) diz ter receio de concorrer à Prefeitura de Cachoeiro e deixar mandato de deputado pela metade.

 

 

COMENTE ABAIXO:

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigo

Eterna Aprendiz – Por Flávia Cysne*

Published

on

Que a vida é uma escola não é novidade né? E eu tenho constatado esse fato todos os dias. Especialmente em relação às mulheres, que têm a capacidade impressionante de se reinventar.

A constatação é realmente diária. Muitas histórias são parecidas com a minha, outras diferentes, mas todas se entrelaçam na resiliência e capacidade de seguir em frente, superando muitos desafios, sempre aliados à criação dos filhos, ao trabalho em casa e fora dela e à gestão da família, nem sempre com o apoio do companheiro, o que felizmente não é o meu caso.

Tenho convivido nos últimos meses com muitas mulheres que sempre foram empreendedoras, mas que não enxergavam o valor de sua atividade, o que felizmente mudou a partir do trabalho do conscientização e apoio como o realizado pela Aderes junto a mulheres de todo o Estado.

Numa das agendas que cumpri como representante do escritório regional sul do órgão ouvi algumas histórias que mostram a importância do nosso trabalho. Uma produtora rural contou que sempre trabalhou na roça ao lado do marido. Mas que o retorno financeiro do seu trabalho não passava pela sua mão. Era da família,  o que era enxergado até com certa naturalidade, já que com sua mãe era exatamente igual.

Leia Também:  Recado da Experiência

Ela falava da importância de encontros como o que estávamos promovendo porque foi participando de um deles que descobriu que poderia ter sua própria renda fazendo as geleias, bolos e outras delícias que eram tradição de família e agradavam a todos. A mulher me contou, feliz, que o trabalho continua intenso e que agora, como dona de uma agroindústria com produtos bastante requisitados no mercado.

A diferença é que tem dinheiro no fim do mês e já comprou muitas coisas para si e sua casa que eram sonhos da vida toda. Por que estou contando isso? Porque é gratificante perceber que o nosso trabalho é muito importante para valorizar o  de tantas outras mulheres que, como eu (que tenho uma produção de flores) estão sempre em atividade.

Trabalhando pelo bem-estar da família, mas também para alcançar sonhos e projetos pessoais nem sempre valorizados.

Neste trabalho é fundamental fortalecer e valorizar outras mulheres naquilo que fazem com excelência. Mas que nem sempre veem como uma atividade empreendedora e sustentável.  Estou realmente muito feliz porque aqui ninguém solta a mão de ninguém. Juntas somos mais fortes.

  • Flávia Cysne é ex-prefeita de Mimoso do Sul e atualmente gerente da Aderes no Sul do Espírito Santo
Leia Também:  Evandro e Prof. Maciel, Abandonados

 

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA