Política Nacional

Racha no MDB: lideranças da sigla em 11 estados declaram apoio a Lula

Publicados

em

 

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT)
Divulgação/PT

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

Lideranças do MDB de 11 estados se reuniram na tarde desta segunda-feira com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva  para declarar apoio ao petista na eleição presidencial. O governador de Alagoas, Paulo Dantas, disse que defenderá na convenção nacional do partido o apoio ao ex-presidente em detrimento da senadora Simone Tebet (MS) .

“Vamos defender nas convenções, vamos conversar com todos que fazem o MDB no Brasil para que marchem juntos. Defendemos que todos os Estados estejam com Lula e vamos fazer essa conversa com todos os integrantes do partido”, afirmou o governador.

Estavam presentes no encontro representantes dos estados do Amazonas, Maranhão, Piauí, Ceará, Bahia, Paraíba, Alagoas, Espírito Santo e Rio. O ex-senador Eunício Oliveira (CE) afirmou que estava representando o ex-senador Garibaldi Alves Filho, do Rio Grande do Norte, que está com gripe. O senador Eduardo Braga (AM) disse que o governador do Pará, Hélder Barbalho, e o senador Jader Barbalho, estiveram com Lula na semana passada e declararam apoio.

“Todos os estados aqui mencionados estão vindo até a presença do senhor no dia de hoje pelo fato de que tomamos a decisão de apoiar a sua candidatura. Portanto, nós temos aqui 11 estados representados do MDB comprometidos com um projeto de Brasil que todos queremos”, disse Braga, na abertura do encontro, se dirigindo a Lula.

Estavam presentes os líderes das bancadas do MDB na Câmara, Isnaldo Bulhões (AL), e no Senado, Braga.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política Nacional

Haddad e Tarcísio criam polarização em primeiro debate de SP

Publicados

em

Haddad e Tarcísio criam polarização em primeiro debate de SP
Reprodução/Band

Haddad e Tarcísio criam polarização em primeiro debate de SP

Proxy war (ou “Guerra por Procuração”) é uma expressão utilizada para definir o tipo de situação em que países se utilizam de terceiros para um confronto indireto. Situação típica, por exemplo, do período da Guerra Fria, quando Estados Unidos e União Soviética levaram suas rivalidades para conflitos locais.

Guardadas as devidas proporções, foi um pouco do que se viu neste domingo, durante o primeiro debate dos candidatos ao governo de São Paulo. A expectativa das campanhas era por um duelo entre os dois candidatos empatados na segunda colocação — Rodrigo Garcia (PSDB) e Tarcísio Gomes de Freitas (Republicanos). Mas o que se teve foi um repeteco da polarização nacional, com Tarcísio e Fernando Haddad (PT), candidatos de Jair Bolsonaro (PL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT), protagonizando o principal embate da noite.

Logo no primeiro bloco, Tarcísio, que deixou em cima de sua mesa uma “cola”, levou ao palco uma provocação ensaiada pela campanha: pediu à plateia e aos telespectadores que digitassem no Google a frase “pior prefeito de São Paulo”, em indireta ao candidato petista, que segundo o Datafolha de julho de 2016 teve a pior avaliação já registrada pelo Datafolha entre os prefeitos de São Paulo que tentaram a reeleição.

A estratégia, cujo resultado foi comemorado por estrategistas do candidato, foi usada logo depois de uma pergunta de Haddad sobre qual programa educacional do governo Bolsonaro o ex-ministro gostaria de importar para o estado.

Leia Também:  Queiroz omite imóvel de R$ 356 mil em registro do TSE

O petista precisou usar o tempo de resposta de uma pergunta feita por Garcia para reagir à provocação: pediu ao público que pesquisasse no Google a palavra “genocida”, em referência a Bolsonaro e sua postura negacionista na pandemia da Covid-19.

Os representantes de Bolsonaro e Lula também receberam ataques dos demais candidatos presentes no debate. Garcia, postulante tucano à reeleição, disse que Haddad é “sempre distraído” e “acorda tarde”. Afirmou ainda que Tarcísio precisa de padrinho político e que até ano passado estava escolhendo com Bolsonaro qual estado iria disputar o governo.

Vinicius Poit, candidato do Novo, deixou o ex-ministro de Bolsonaro sem graça ao perguntar por que ele anda na companhia de “bandidos”, citando o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PTB) e o presidente do PL, Valdemar Costa Neto. Tarcísio respondeu apenas que teria um governo técnico. Em outro momento, Poit criticou o partido de Haddad por ter votado contra o fim das “saidinhas” e se referiu ao ex-presidente Lula como “ex-presidiário”.

O debate deste domingo serviu para consolidar a estratégia das campanhas. Candidato da máquina, o governador de São Paulo tentou se desvincular da polarização representada por Haddad e Tarcísio. Defendeu legados tucanos, como o Poupatempo, e insistiu na ideia de não ser candidato nem da esquerda e nem da direita, afirmando não querer “essa briga política” para São Paulo.

Leia Também:  Presidente do Sindirochas-ES é nomeado membro do Conselho Temático de Mineração da CNI

Haddad, por sua vez, defendeu as gestões petistas, citando feitos como Prouni e Fies, e seu mandato à frente da Prefeitura de São Paulo. Temas como a renegociação da dívida da cidade e o programa “De Braços Abertos” foram trazidos pelo candidato, que prometeu elevar o salário mínimo do estado para R$ 1,5 mil caso eleito.

Já Tarcísio, deu continuidade ao movimento das últimas semanas de se aproximar de seu principal fiador político, o presidente Jair Bolsonaro. Para isso, iniciou o debate agradecendo a Deus e à sua família, em retórica parecida com a do presidente, e ainda no primeiro bloco elogiou iniciativas do governo federal, como a redução da dívida do Fies e o novo piso salarial para os professores.

Ainda desconhecidos de parte da população, Poit e o ex-prefeito de Santana de Parnaíba (SP) Elvis Cezar (PDT) apresentaram ao público suas carreiras na vida pública e privada e expuseram algumas de suas propostas para São Paulo.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA