Turismo

Quantas levar e como lavar? A maneira correta de usar máscaras em viagens

Publicados

em


source

As viagens ainda não estão normalizadas e apresentam alto risco de contaminação, por isso, para quem será obrigado a viajar nesse período é imprescindível ficar atentos à todas as medidas de prevenção, especialmente ao uso de máscaras, que se tornaram um item essencial pelos próximos meses.


homem de máscara
Pixabay/Reprodução

Só retire sua máscara quando estiver em casa ou no hotel









Para viagens de carro, o uso de máscaras é sempre recomendado mesmo para o que viajarão sozinhos. Segundo a infectologista Raquel Muarrek, a medida mais segura é a de se usar máscara sempre que estiver fora de casa. O viajante também deve se atentar às medidas de higienização das mãos e do veículo .

Caso você vá pegar ônibus ou avião, precisará de máscaras extras para fazer o trajeto, pois as empresas não estão distribuindo máscaras no check-in ou a bordo, os passageiros devem levar suas próprias máscaras de casa.

Cuidado ainda ao escolher a sua poltrona ou assento. “Para pessoas que precisam viajar de avião ou ônibus, o mais indicado é que sentem no assento perto da janela e evitem ao máximo o banheiro, que é o local com maior risco de contaminação”, relembra a infectologista.

Leia Também:  Meu perrengue de viagem: conheci um holandês "estranho" e acabamos casando

Quantas máscaras levar na mala?

Há quem brinque que, ao fazer as malas, lembrar das máscaras será, daqui para frente, como lembrar de levar cuecas.

Considerando que as máscaras devem ser utilizadas todo tempo que você estiver fora de casa ou do hotel, incluir na mala três máscaras por dia é um número seguro. Além disso, uma dica é levar uma máscara extra sempre que for sair, para o caso a máscara que estiver usando fique úmida e perca a eficácia antes do previsto.

Vale ressaltar que as máscaras reutilizáveis devem estar dentro do  padrão divulgado pela OMS (Organização Mundial da Saúde). “As máscaras de tecido podem durar de duas até quatro horas, dependendo da sujidade, no quanto a pessoa está falando, tossindo, espirrando e umedecendo esse tecido”, explica Raquel Muarrek.

Outro cuidado essencial é na hora de trocar de máscaras. “A pessoa deve buscar higienizar as mãos antes de fazer a troca, se possível com água e sabão, senão com uma quantidade generosa de álcool em gel. Com a mão higienizada, retire a máscara usada pelos elásticos nas orelhas e coloque em uma sacola bem fechada”, indica a médica.

Leia Também:  Meu perrengue de viagem: Perdi meu RG e fiquei preso no destino sem meus amigos

Como higienizá-las longe de casa?

A máscara não deve ser retirada da sacola até que a pessoa chegue ao hotel ou destino para higienizá-las. “A indicação é que sejam sempre lavadas muito bem com água e sabão e depois colocadas em uma mistura com hipoclorito de sódio. No caso de viajantes, podem comprar embalagens menores de hipoclorito, que geralmente são usadas em alimentos, assim conseguem levar para onde forem”, recomenda Raquel.

A especialista também reitera que, no aeroporto, rodoviária ou na rua, a recomendação é que o viajante continue utilizando máscaras, evitando locais de aglomeração e permanecendo à medida de distância mínima de outras pessoas durante sua viagem. “O distanciamento é a medida mais importante para quem precisa sair de casa e, muitas vezes, é esquecida”, finaliza a médica.

Fonte: IG Turismo

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

“Tem gente que é contratada só para descascar batata”, conta ex-tripulante

Publicados

em


source

O trabalho em cruzeiro é cheio de mistérios e particularidades, um dos maiores deles é sobre como é a alimentação dos tripulantes. Se você já esteve a bordo, já deve ter se questionado do que aquelas pessoas que estão sempre prontas para te servir se alimentam. O iG Turismo conversou com a ex-tripulante Bruna Ortunes para falar sobre as curiosidades da alimentação de quem vive em alto mar.


tripulantes
Freepik/reprodução

Os tripulantes como pilotos e copilotos tem um buffet próprio para fazerem as refeições


“No navio somos divididos entre staff e crew members, os crew members são os funcionários que não têm acesso aos passageiros, como as equipes de limpeza, da cozinha e da segurança e os staffs são os que lidam com os passageiros”, conta Bruna. “Só os staffs podem comer no buffet, onde os hóspedes comem, mas sempre horários que eles não estão, por exemplo antes do show, quando estão se arrumando nas cabines”.

Leia Também:  Planos para a próxima viagem? Veja países e cidades com "Selo de Viagem Segura"

Já os crew members, segundo ela, são limitados a uma cozinha específica para tripulantes que existe dentro do navio, onde outros crew members cozinham. “Nessa cozinha, cada um tem uma função muito específica, como lavar arroz ou descascar batata. Um amigo meu ficou só descascando batatas por meses, depois ele me disse que tinha até pesadelo”, relata.

tripulantes
Freepik/reprodução

A comida pode variar muito dependendo da nacionalidade do funcionário que está cozinhando

Também existe uma hierarquia dentro da cozinha para funcionários, pois ela é dividida entre a parte para pessoas da segurança, pilotos, copilotos e todos os tripulantes identificados com as faixinhas no ombro e outro pros staffs. Quem cozinha para os staffs e crew members são outros staffs e crew members, portanto, não são cozinheiros profissionais, o que quer dizer que não é uma comida especialmente saborosa.

“As opções não variam muito, tem muito macarrão, muita pizza… Então para quem trabalha sete meses acaba ficando cansativo. Eu praticamente só comia macarrão, pizza e filé de frango, também tem muita salada, o que eu aproveitada, acabei perdendo 15 kg durante a temporada”, relata Bruna.

Leia Também:  9 curiosidades que só quem trabalhou na Disney pode te contar
Fonte: IG Turismo

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA