Política Nacional

PSB realiza convenção nesta sexta sob tensão com PT

Publicado em

 

Alessandro Molon
Reprodução: Redes Sociais

Alessandro Molon

O PSB, principal partido aliado do ex-presidente Lula, realiza hoje a sua convenção em Brasília depois de momentos de tensão com o PT nas últimas semanas para definição de candidatos nos estados. As dificuldades na relação ficarem evidentes com a decisão de ontem de Beto Albuquerque de desistir de concorrer ao governo do Rio Grande do Sul. Ao anunciar a sua decisão durante reunião da executiva do PSB, Albuquerque disse que não apoiará o candidato do PT na eleição gaúcha.

No outro nó principal entre as duas legendas, dirigentes do PSB consideram estar encaminhada a saída de Alessandro Molon da corrida ao Senado pelo Rio, mas o deputado reitera os sinais de que não aceita deixar a disputa, e ontem divulgou vídeo reafirmando sua candidatura após a reunião do partido em Brasília.

Lula participará hoje do encontro do PSB que irá sacramentar o apoio do partido à sua candidatura e a indicação do ex-governador Geraldo Alckmin para vice. Desde o começo das negociações, os dois partidos tentaram um esforço para alinhar as candidaturas nos estados. Lula se envolveu diretamente nas discussões para retirar candidatos do PSB no São Paulo e no Rio. No primeiro estado, a articulação foi concluída com sucesso e Márcio França desistiu de concorrer ao governo par tentar uma vaga no Senado na chapa de Fernando Haddad (PT).

Leia Também:  Filho de militante do PT diz que assassino gritava: 'Aqui é Bolsonaro'

No caso do Rio, Molon ainda resiste. A pressão sobre ele e sobre o presidente da legenda, Carlos Siqueira, aumentou na semana passada, quando Lula, durante a sua passagem por Pernambuco, costurou o apoio de lideranças do PSB local à retirada de Molon. O diretório pernambucano é o mais influente no comando nacional do partido.

De acordo com uma liderança do PSB, chamou a atenção o fato de Lula ter procurado diretamente nomes como o governador Paulo Câmara e o prefeito de Recife, João Campos, para tratar do tema. Até então, as demandas do ex-presidente nas negociações com o partido aliado vinham por meio de interlocutores. Após os apelos feitos por Lula, a cúpula do PSB pernambucano se reuniu e acertou que atuaria para a retirada de Molon, que não se mostra convencido:

“Quero agradecer as mensagens de apoio e dizer que vamos seguir firmes e fortes até a vitória”, afirmou ele em vídeo divulgado na noite de ontem.

No Rio Grande do Sul, Beto Albuquerque se irritou ao saber que a sua desistência de concorrer a governador foi anunciada em reunião da direção do PT na quarta-feira. Até aqui, o apoio dos petistas a candidatos a governador do PSB está garantido em quatro estados: Rio de Janeiro, Maranhão, Espírito Santo e Pernambuco.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política Nacional

Pacheco critica ataques entre candidatos: “Precisamos discutir ideias”

Published

on

Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, durante sessão
Waldemir Barreto/Agência Senado – 30.06.2022

Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, durante sessão

Nesta segunda-feira (15), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), usou seu perfil no Twitter para criticar o comportamento dos candidatos Ciro Gomes (PDT), Jair Bolsonaro (PL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O senador seguiu o mesmo tom que foi adotado por Simone Tebet (MDB).

“Precisamos voltar a discutir ideias e direcionar nossos esforços para a busca de soluções que tragam prosperidade para o Brasil e para os brasileiros”, afirmou Pacheco, sem citar nomes.

O posicionamento do senador não é por acaso. Nas últimas semanas, os três primeiros colocados intensificaram os ataques nas redes sociais e entrevistas. Ciro, por exemplo, tem chamado Lula e Bolsonaro de corruptos.

Já o ex-presidente tem acusado o atual chefe do executivo federal de ser genocida por causa da política sanitária adotada durante a pandemia. Além disso, o petista tem afirmado que o segundo colocado nas pesquisas tem “distribuído dinheiro” para vencer a eleição.

Bolsonaro vem chamando Lula de corrupto e bêbado. O presidente da República ainda tem dito que o retorno do seu adversário ao poder fará o Brasil quebrar.

Leia Também:  Casagrande pinta o elefante branco de Cachoeiro com as cores da vida

Apenas Tebet que optou por seguir um discurso diferente. Nesta segunda, em conversa com jornalistas após o Encontro com Líderes do Varejo do IDV (Instituto para o Desenvolvimento do Varejo), em São Paulo, a emedebista declarou que o Brasil precisa de paz. No entanto,  alfinetou os dois primeiros colocados nas pesquisas, acusando-os de se “alimentarem do radicalismo”.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA