Carros e Motos

Projeto de lei quer tornar autoescola opcional para tirar a CNH

Publicados

em

 

 

source
Simulador de direção em Auto Escola
Gabriel Jabur/AgBr

Simulador de direção em Auto Escola

Uma proposta que tramita na Câmara dos Deputados prevê tirar a obrigatoriedade de frequentar uma autoescola para poder tirar a CNH (Carteira Nacional de Habilitação). Este é o ponto central do Projeto de Lei 4.474/2020, do deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP).

O deputado argumenta que a ideia de dispensar a autoescola é para tornar “menos burocrático e custoso” o processo da CNH. Atualmente, o candidato a motorista precisa cursar 45 horas de aulas teóricas em um CFC (Centro de Formação de Condutores) e ser aprovado em uma prova, para então seguir para as 25 aulas de direção em autoescola que precedem o exame prático.

Pela proposta, o candidato a motorista poderá optar por realizar a instrução teórica por conta própria, tendo apenas que ser aprovado no exame teórico — que deverá ser o mesmo dos condutores formados no CFCs — para ser autorizado para as lições práticas.

Leia Também:  Espírito Santo recebe R$ 191,5 milhões em acordo com a Petrobras

Já as aulas de direção poderiam ser dadas por quaisquer motoristas, desde que habilitados há pelo menos cinco anos e que não tenham sido penalizados nos últimos cinco anos com suspensão ou cassação da CNH, ou que tenham sido processados ou condenado por crimes de trânsito.

Ainda pelo projeto, esses instrutores independentes teriam que se cadastrar nos órgãos de trânsito e precisariam fornecer a instrução em veículos devidamente identificados para tal. Como acontece atualmente com os carros de autoescola.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carros e Motos

FCA suspende Renegade PCD e cliente tem que pagar R$ 10 mil a mais

Publicados

em


source

Carro Esporte Clube

renegade
Thiago Ventura

FCA suspende vendas do Jeep Renegade PCD e cliente terá que pagar R$ 10 mil a mais no SUV

A Fiat Chrysler Automobiles (FCA) determinou a suspensão das vendas do modelo exclusivo Jeep Renegade PCD (pessoas com deficiência) em todo o Brasil a partir do próximo domingo, 1º de novembro. A informação, não divulgada para a imprensa, consta em um comunicado enviado nesta terça-feira (27) à rede de concessionários da marca.

Era o único veículo da marca dentro do limite de todas as isenções possíveis, ou seja, abaixo de R$ 70 mil. Com isso, o cliente interessado pode ter que pagar até R$ 10 mil mais caro para ter um SUV da marca.

Segundo o site Mundo do Automóvel para PcD, um dos que divulgaram a informação, a montadora não revelou à rede se a suspensão é definitiva ou temporária. O Jeep Renegade PCD 2021 tem preço de R$ 69.999, valor que pode cair para R$ 54.662 com todas as isenções possíveis. Segundo o comunicado, divulgado também pelo perfil Zeca ao Volante, os pedidos efetuados até 31 de outubro serão faturados.

Leia Também:  Juiz defere candidatura de Reginaldo Quinta, em Presidente Kennedy

O modelo vem com motor 1.8 flex, câmbio automático de 6 velocidades, controle Eletrônico de Estabilidade e Tração, rodas em liga leve aro 16″ , freio de Estacionamento Eletrônico, assistente de partida e rampa e direção Elétrica. O ar condicionado é manual e o carro não conta com sistema de som de série.

Ver essa foto no Instagram

Em primeira mão, fim do Renegade Pcd com todos os descontos…

Uma publicação compartilhada por Zeca ao volante (@zeca_ao_volante) em 27 de Out, 2020 às 8:14 PDT

Sem a versão exclusiva PCD, a marca recomenda aos concessionários indicar a opção Jeep Renegade 1.8 STD , que é vendida ao público geral ao preço de R$ 73.505. O carro contará com isenção de IPI e a Jeep promoverá um desconto de 12%. Assim, o carro ficará com preço de R$ 64.684, ou seja mais de R$ 10 mil acima da finada versão. Além disso, nos estados em que o teto de Isenção de IPVA é de R$ 70 mil, o carro fica fora dos descontos.

Como argumento de venda, a Jeep instrui sua rede a informar que o carro terá mais itens como: rack no teto, tampão no porta malas, luzes de leitura traseira e alças de teto traseiras (sic). O consumidor PCD poderá ainda escolher mais cores, uma vez que versão PCD só oferece três. Outro ‘atrativo’ é informar ao cliente que vai pagar apenas R$ 106 a mais na prestação.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA