Negócios

Produtores de manga faturam R$ 2 milhões na safra 2012/2013

Publicados

em

Por | 20.03.2013

 

 

Os 1.262 produtores rurais do Espírito Santo que investem no cultivo de manga faturaram cerca de R$ 2 milhões com a comercialização na produção da última safra, encerrada no início do mês. Ao todo, a produção capixaba atingiu 3.400 toneladas, um recorde, numa área plantada de 1.200 hectares.

 

Esses números são ainda mais relevantes ao considerar que há apenas nove anos o cultivo da manga não era uma atividade organizada comercialmente, existindo apenas em plantios nativos.

Para ampliar mais os cultivos, o Governo do Espírito Santo repassará agora em 2013, 60 mil mudas de manga da variedade Ubá, aos agricultores cadastrados no Polo, quantidade suficiente para ampliar a área plantada capixaba em 50%, com novos 600 ha.

“As mudas adquiridas são distribuídas seguindo um rigoroso cadastro realizado pelo Incaper, que tem como foco os agricultores familiares e o zoneamento econômico e ecológico para as plantações de manga. Trata-se de um fomento assistido, onde os agricultores contarão com assistência técnica, capacitação intensiva e controle rigoroso das operações”, destaca o secretário de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, Enio Bergoli.

Atualmente, somente no Polo de Manga, são 800 ha implantados em 17 municípios da Região Noroeste do Estado, onde as condições de clima e de solo são as mais indicadas para o cultivo da fruta.

Os principais destinos da produção capixaba são a empresa de produção de polpa TROP BRASIL (2.4 mil t), a CEASA-ES (768 t) e os programas governamentais de aquisição de alimentos (230 t).

“Nosso trabalho é ofertar ao agricultor familiar boas opções e as melhores condições de diversificar a produção agropecuária. O Incaper é um parceiro sólido do produtor rural e gradativamente estamos ampliando esse apoio que é fundamental para a ampliação da renda e da melhoria da qualidade de vida”, ressalta o presidente do Incaper, Evair Vieira de Melo.

Além da manga, outros 12 Polos de Frutas estão organizados no Espírito Santo, em todas as regiões do Estado. Com eles, é possível promover a diversificação da produção agrícola e gerar renda para os agricultores de base familiar, viabilizar a produção em regiões com vocação e aptidão para o cultivo de frutas, organizar e fortalecer as associações de produtores e suas cooperativas, aproveitar áreas de pastagens degradadas com baixo retorno econômico e atender a demanda das indústrias instaladas em terras capixabas.

A implantação e manutenção dos Polos faz parte de uma ação conjunta entre o Governo do Espírito Santo, por meio da Seag, Incaper, Idaf e Ceasa, Sebrae/ES, Faes, Senar, Fetaes, Sindicatos de Trabalhadores Rurais, Prefeituras Municipais, OCB-ES e Cooperativas, Indústrias processadoras de frutas e de polpa e Associações de Produtores Rurais.

“A ampliação e consolidação dos Polos de Fruticultura é uma estratégia para a diversificação da produção e da renda no interior capixaba. O Governo do Estado investe no Polo de Manga, e na fruticultura como um todo, porque é uma atividade que gera renda e emprego em pequenos espaços, e essa é a realidade para 80% de nossos agricultores, que são de base familiar e dispõem de pequenas glebas de terra para produzir”, afirma Enio Bergoli.

Terceira atividade em importância da agropecuária capixaba, a fruticultura gera aproximadamente 60 mil empregos diretos e está presente em 85 mil ha. Com produção anual de 1,3 milhão de toneladas, apresenta faturamento superior a R$ 700 milhões.

Municípios que mais produzem dentro do Polo de Manga

Mantenópolis – 330 t

Laranja da Terra – 274 t

Pancas – 210 t

Itaguaçu – 137 t

Itarana – 89 t

Marilândia – 36 t

 

Leia Também:  Empresários têm até dia 25 para evitar exclusão do Simples

 

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Negócios

Economia forte faz Ford lançar no Brasil primeiro carro global

Publicados

em

Por

Por | 05.01.2012

 

BRASÍLIA – AGÊNCIA CONGRESSO – O ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, falou da força da economia brasileira durante o lançamento do novo Ford EcoSport, o primeiro carro da Ford produzido no Brasil, que será exportado para mais de 100 países.

“Esse é um momento especial, vivemos um momento de crise mundial e ao mesmo tempo os investimentos no Brasil crescem. Isso mostra a força do nosso país que hoje é fundamental para a sustentação da economia global”, disse Mercadante, que representou a presidenta Dilma no evento.

 

Criado em Camaçari, na Bahia, o EcoSport de nova geração faz hoje sua pré-estreia mundial também na capital da Índia. Os eventos em Brasília e Nova Déli simbolizam a popularidade que a Ford espera alcançar nos grandes mercados emergentes globais e também o crescente papel que a área de desenvolvimento do produto da América do Sul.

Os investimentos do novo Ecosport fazem parte de um total de R$ 2,8 bilhões que a companhia pretende investir no Nordeste, até 2015

“O lançamento no Brasil e na Índia, dois países da BRICS, mostra a nossa força e importância na economia mundial. Em um momento de crise global continuamos crescendo e vamos investir cada vez mais em pesquisa, engenharia, crédito e incentivo fiscal”, acrescentou o ministro.

O governador da Bahia, Jaques Wagner, também participou do lançamento e falou da importância do investimento para a economia da país e do seu estado.

“O Brasil começou na Bahia e o primeiro carro global da Ford também foi criado lá. A criatividade do nosso povo está nesse projeto que foi liderado por mais de mil engenheiros brasileiros na Bahia. É um orgulho ter um carro vendido em todo mundo com o carimbo do Brasil”, disse o governador.

Leia Também:  Nossocrédito Cachoeiro: R$ 2,5 milhões financiados e novo recorde

Com mais de 700.000 unidades produzidas desde o lançamento em 2003, o EcoSport é um caso de sucesso da indústria automobilística latino-americana. Desde então, tem sido o modelo mais vendido da categoria na região. O Centro de Desenvolvimento do Produto da Ford América do Sul fica localizado no Complexo Industrial Ford Nordeste, em Camaçari, na Bahia. Único do gênero na região, ele conta com mais de 1.200 engenheiros e designers que utilizam o estado da arte da tecnologia, incluindo avançadas ferramentas de design e engenharia baseadas em computação (CAD/CAE), para o desenvolvimento de veículos.


Ele é um dos oito centros de excelência da Ford no mundo e opera conectado em tempo real com outros centros nos Estados Unidos, Europa e Ásia.O complexo foi inaugurado em 2001 e trabalha junto com o Campo de Provas de Tatuí, em São Paulo, onde os novos veículos são testados e certificados. Ele é um dos dois únicos campos de provas existentes na América do Sul e um dos mais modernos do mundo.

Leia Também:  Espírito Santo prevê safra histórica de café em 2012

 

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA