Economia

“Prévia do PIB”: primeiro trimestre tem crescimento de 2,3%, indica IBC-Br

Publicados

em


source
Prévia do PIB apresenta alta no primeiro trimestre
Lorena Amaro

Prévia do PIB apresenta alta no primeiro trimestre

Depois de apresentar números positivos no segundo semestre de 2020, a economia brasileira continuou crescendo e registrou alta de 2,3% no primeiro trimestre deste ano, de acordo com o Índice de Atividade Econômica do Banco Central ( IBC-Br ) divulgado nesta quinta-feira (13).

O resultado foi positivo principalmente em janeiro e fevereiro, mas foi puxado para baixo por uma queda generalizada de atividade em março. Foi o mês em que o recrudescimento da pandemia causou a necessidade de novas medidas de distanciamento social. De acordo com o IBGE, o setor de serviços caiu 4% em março e voltou a ficar abaixo do nível pré-pandemia .

Já a produção industrial caiu 2,4% em março pela paralisação em diversas fábricas por conta da falta de insumos, como peças e componentes. O varejo também sofreu com o recrudescimento da pandemia, além do desemprego elevado e da inflação, que diminuem o poder de compra do consumidor, e caiu 0,6% em março.

O IBC-Br é considerado uma espécie de prévia do PIB por calcular o índice de atividade econômica, mas usa metodologia diferente do IBGE, responsável pelo número oficial.

A expectativa do mercado é que o ano seja de recuperação. De acordo com o relatório Focus, a projeção de atores do mercado financeiro é de uma alta no PIB de 3,2%. Essa é a mesma expectativa do Ministério da Economia.

O Banco Central é um pouco mais otimista e prevê crescimento de 3,6% para este ano. O Fundo Monetário Internacional (FMI) compartilha da mesma projeção para 2021.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Covid-19: Veja 10 ações que se beneficiaram com a pandemia

Publicados

em


source
Covid-19: Veja 10 ações que se beneficiaram com a pandemia
Fernanda Capelli

Covid-19: Veja 10 ações que se beneficiaram com a pandemia

Em meio a um cenário mundial catastrófico, a crise gerada pelo novo Covid-19 foi inédita. A pandemia, que levou muitas vidas, mudou completamente a rotina mundial e pegou todos de surpresa.

Dessa forma, o planeta inteiro passou muito tempo tentando entender como passar pela situação. Até hoje, mais de um ano após a chegada da doença, ainda estamos vivendo muitas dificuldades.

Portanto, para o mercado financeiro não foi diferente. Todas as bolsas de valores do mundo foram de alguma forma afetadas, ao ponto de investidores e analistas do mercado nomearem o período de “banho de sangue”.

Entretanto, mesmo com tantos desafios, houve quem ultrapassasse a tempestade sem muitos problemas , assim como, aproveitando certas oportunidades com as circunstâncias de crise mundial.

Portanto, veja as 10 ações que se beneficiaram com a pandemia e descubra como elas conseguiram se levantar, enquanto o mundo todo caía.

1. Weg (WEGE3)

Com impressionantes 114,57% de valorização, a Weg é a primeira da lista em disparada. Esta é uma empresa multinacional brasileira, do setor de tecnologia.

Leia Também:  SP investe R$ 30 milhões em higiene menstrual para alunas da rede estadual

Dessa forma, um dos motivos da valorização em meio a pandemia foi a alta do dólar, uma vez que a companhia recebe os lucros através da moeda norte-americana.

2. Magalu (MGLU3)

A empresa que dispensa comentários está em segundo lugar da nossa lista, com 96,03% de valorização sobre seus ativos. Todavia, com a pandemia, o Magalu saiu na frente devido ao seu domínio em relação a tecnologia, assim como em logística, o que foi um diferencial em se tratando de e-commerce.

O Magazine Luiza se tornou uma empresa de plataforma digital de varejo, formada por um ecossistema digital multicanal que contribui para que milhares de outros negócios ingressem no universo das transações virtuais.

3. Vale (VALE3)

A Vale, maior empresa brasileira exportadora de minérios, aumentou em 61,64% o valor de suas ações em meio a crise pandêmica mundial. Isso se deu devido ao preço do minério de ferro, que permaneceu estável em 2020.

Leia Também:  Covid-19: Veja 10 ações que se beneficiaram com a pandemia

4. Marfrig (MRFG3)

É uma das maiores companhias de alimentos do mundo exportando proteína animal. Dessa forma, a empresa recebe em dólar. Desta forma, a Marfrig teve uma valorização de 47,12% ao ano durante a pandemia.

5. Klabin (KLBN4)

A Klabin é uma empresa produtora e exportadora de papel, celulose e insumos hospitalares. Durante a crise, suas ações chegaram a 45,96% de valorização, devido a alta demanda desses insumos, assim como o aumento no consumo de papel.

Confira a reportagem completa aqui

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA