Estado

Presos confeccionam máscaras de tecido para prevenção ao Covid-19

Publicados

em


.

De dentro de unidades prisionais sai o apoio para prevenção ao novo Coronavírus (Covid-19). Máscaras em tecido, recomendadas para pessoas não infectadas, estão sendo confeccionadas no Centro Prisional Feminino de Colatina (CPFCOL) e no Centro de Detenção Provisória de Aracruz (CDPA).

Em Colatina, a direção tomou a iniciativa de confeccionar máscaras e de distribuir kits de higiene pessoal para servidores. Mais de 60 servidores foram contemplados e a produção continua para ofertar à equipe de outros presídios.

Em Aracruz, a produção se faz a partir da doação dos insumos para confecção das máscaras e os internos que participam do projeto estão sendo qualificados por uma voluntária. O material recebido será utilizado na confecção de cerca de 5 mil peças que serão distribuídas entre os servidores da unidade, instituições e asilos do município.

A subsecretária de Ressocialização da Sejus, Roberta Ferraz, explica que a Secretaria está adquirindo a matéria-prima para que mais máscaras possam ser confeccionas de larga escala e ressalta a satisfação pelo movimento já iniciado nas unidades.

“Estamos enfrentando um momento de dificuldades e também de solidariedade. Ao mesmo tempo que lidamos com a doença e com o isolamento, vemos iniciativas que buscam amenizar seus contratempos. Algumas unidades foram proativas e tinham os equipamentos para iniciar uma produção, outros conseguiram parceiros e voluntários, e a ideia foi abraçada pelos internos. Esperamos em breve dar uma contribuição ainda maior e ajudar a conter essa doença, lembrando sempre que as máscaras em tecido são complementares aos cuidados da higienização das mãos e do isolamento social”, reforça a subsecretária.

Leia Também:  Secretaria da Saúde do ES abre contratação de profissionais por meio de currículo

Uso de máscaras em tecido

O Ministério da Saúde orienta que máscaras de modelos simples, em pano, também funcionam como barreiras na propagação do novo Coronavírus.

Para garantir sua eficiência, é preciso que a máscara em tecido siga algumas especificações: que tenha pelo menos duas camadas de pano, ou seja dupla face e que seja individual. A recomendação do é que a máscara cubra totalmente a boca e nariz e que estejam bem ajustadas ao rosto, sem deixar espaços nas laterais.

As máscaras em tecido podem ser usadas por cerca de duas horas e devem ser lavadas com água sanitária sendo deixadas de molho por cerca de dez minutos. O uso da máscara não substitui as recomendações da higienização das mãos com água e sabão, ou álcool em gel. Mesmo com o uso das máscaras em tecido, é recomendado que não se leve a mão ao rosto.

Prevenção à doença nos presídios

A Sejus elaborou um protocolo contra a doença que é seguido por todas as unidades prisionais do Estado. O documento estabelece as diretrizes de cuidado com a saúde e higiene dentro das instalações. As atividades escolares e os cursos de qualificação profissional estão suspensos, assim como a assistência religiosa, que é executada por voluntários de diversas denominações religiosas.

Leia Também:  Período de inscrição do Enem é prorrogado até dia 27 de maio

Na última semana,  considerando o crescimento dos casos no Espírito Santo, a Secretaria determinou a suspensão das visitas aos detentos e das atividades laborais externas dos custodiados.

A higiene do ambiente de trabalho, que já é feita de forma constante e regular, tem sido reforçada neste período.

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação da Sejus
Sandra Dalton / Karla Secatto
(27) 3636-5732 / 99933-8195 / 98849-9664
[email protected]

Fonte: Governo ES

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estado

Nota sobre o funcionamento das academias de ginástica

Publicados

em


.

O Governo do Estado informa que as academias poderão voltar a funcionar a partir desta segunda-feira (25), obedecendo a protocolos de acordo com a classificação do Mapa de Gestão de Risco de transmissão do novo Coronavírus (COVID-19) no Espírito Santo. O funcionamento dos estabelecimentos de todas as modalidades, no território estadual, se orientará pela Portaria nº 094-R, do dia 23 de maio, da Secretaria da Saúde (Sesa), que estabelece protocolos observando as boas práticas e os procedimentos de higienização, bem como garante condutas adequadas de higiene pessoal e o controle de saúde dos colaboradores e clientes.

O funcionamento das academias deverá ser realizado exclusivamente em horários agendados, garantindo o controle do número de frequentadores simultâneos, conforme enquadramento de risco do município. O agendamento para atendimento deverá ser precedido de aceite, por parte do usuário, das regras de funcionamento. O uso de máscara facial é obrigatório tanto para frequentadores quanto colaboradores.

Permanecem com impossibilidade de funcionamento as práticas de esportes de contato ou esportes que, obrigatoriamente, demandem compartilhamento de materiais ou equipamentos, como lutas, vôlei, basquete e futebol.

Em municípios classificados como de Risco Baixo, atividades aeróbicas, tais como esteira, bicicleta, simuladores de escada, dança, crossfit, natação, hidroginástica e similares deverão ser praticadas com um aparelho por usuário a cada 12m² de área de salão, garantindo espaçamento mínimo de 4m entre os aparelhos e usuários. Atividades não aeróbicas com aparelhos fixos, como práticas de musculação, pilates, funcional, alongamento, ioga e similares devem ser realizadas por um usuário por aparelho a cada 10m² de área de salão, com espaçamento mínimo de 3m entre usuários. Já atividades não aeróbicas em aulas coletivas devem ser praticadas, sendo uma pessoa a cada 8m² de salão, incluso o professor, garantindo espaçamento mínimo de 2,5m entre as pessoas.

Leia Também:  Sesa debate estratégias para Atenção Primária à Saúde no enfrentamento à Covid-19

Naqueles municípios que têm classificação de Risco Moderado ou Risco Alto, é permitido o funcionamento de estabelecimentos apenas para atividades não aeróbicas, restritas a exercícios de baixo impacto. As práticas devem garantir o espaçamento mínimo de 4m entre aparelhos ou usuários e, em locais com área menor que 30m², será permitido agendamento de um aluno por horário; com área entre 30m² e inferiores a 45m², dois alunos; entre 45m² e menores que 60m², três alunos; 60m² e inferiores a 75m², quatro alunos; e estabelecimentos com área igual ou superior a 75m², será permitido agendamento máximo de cinco alunos por horário.

Os parâmetros estabelecidos para municípios de risco moderado ou alto de transmissão aplicam-se, inclusive, para atividades desempenhadas em área aberta. Os equipamentos disponíveis deverão ser isolados pelas academias para atender à proporção por metros quadrados e ao distanciamento entre os aparelhos.

Ainda de acordo com a Portaria nº 094-R, deverá ser estabelecido intervalo mínimo de 15 minutos entre o início e o término de cada agendamento, para evitar concentração de fluxos de entrada e saída dos estabelecimentos. A permanência dos alunos também deverá ser restringida fora do horário agendado, assim como é vedada a presença de acompanhantes, o funcionamento de “espaços kids” e o comércio de produtos.

Leia Também:  Audifax Barreto Duarte: um dos maiores incentivadores do esporte capixaba

Os estabelecimentos deverão adotar procedimentos obrigatórios preventivos à disseminação do novo Coronavírus, tais como realização de limpeza e higienização geral com hipoclorito de sódio 1,0% a 2,5% ou álcool 70% das áreas coletivas, no mínimo, antes do início e a cada três horas de funcionamento; utilização de colchonetes impermeáveis em bom estado de conservação e limpeza; disponibilização de lixeiras com acionamento de pedal em pontos diversificados, para descarte de papel toalha utilizado na higienização dos equipamentos; e priorização, quando possível, de ventilação natural dos espaços e, quando não possível, limpeza periódica dos filtros de ar condicionado.

As regras para funcionamento dos estabelecimentos também se aplicam aos profissionais autônomos e às atividades realizadas em ambientes abertos.

Fonte: Governo ES

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA