Economia

Presidente do Senado adia votação da quebra de patentes de vacinas

Publicados

em


source
Rodrigo Pacheco
Jefferson Rudy/Agência Senado

Rodrigo Pacheco


O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM – MG), decidiu adiar a análise da quebra de patente de vacinas contra a covid-19 enquanto durar a situação de emergência relacionada à pandemia.

O texto estava previsto para ser votado hoje na sessão do Senado, mas acabou sendo retirado de pauta por Pacheco após apelo de líderes do governo.

O líder do governo no Congresso, Eduardo Gomes (MDB-TO), pediu que os senadores discutam o assunto com mais profundidade e acompanhem a audiência da Câmara de amanhã que tratará da quebra de patentes.

Leia também 

Segundo a assessoria da deputada federal Alice Portugal (PCdoB-BA), que pediu a realização do debate, deverão estar presentes o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o ministro das Relações Exteriores, Carlos França, representantes da Fiocruz, da OMS (Organização Mundial da Saúde) e de farmacêuticas.

Leia Também:  Batata e cebola lideram a queda de preços na cesta básica; veja a lista

O autor do projeto, o senador Paulo Paim (PT – RS), afirmou estar trabalhando no projeto há quase um ano e, por isso, pediu que a votação não fosse adiada. Como o texto ainda passaria pela Câmara, poderia sofrer modificações, justifica.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Classe média encolhe no Brasil e chega ao menor patamar em 10 anos

Publicados

em


source
Classe média tradicional encolheu de 105 milhões de pessoas em 2020 para 100,1 milhões de pessoas em 2021
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Classe média tradicional encolheu de 105 milhões de pessoas em 2020 para 100,1 milhões de pessoas em 2021

A classe média brasileira encolheu ao seu menor patamar em mais de 10 anos , revela o estudo conduzido pelo Instituto Locomotiva, com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Com o aumento do desemprego e a queda no poder aquisitivo , os brasileiros de classe média deixaram de ser maioria no país .

Segundo os indicadores publicados pelo Instituto Locomotiva, o percentual de brasileiros na classe média caiu de 51% em 2020 para 47% em 2021 . Estima-se que cerca de 4,9 milhões de famílias regrediram da classe média para baixa neste período. Atualmente, a classe baixa corresponde a 47% da população, enquanto a elite corresponde a 6%.

Leia Também:  SP: entregadores de app fazem manifestação por condições de trabalho melhores

Os dados do IBGE apontam que em 2011, 54% dos brasileiros poderiam ser considerados de classe média, ante 8% da elite e 38% da classe baixa. Em 2020, a classe média passou para 51% da população, enquanto a elite regrediu para 6% e a classe baixa subiu para 43%.

Em números absolutos, a classe média tradicional encolheu de 105 milhões de pessoas em 2020 para 100,1 milhões de pessoas em 2021 . O levantamento toma como base os dados coletados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad) e a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), ambas conduzidas pelo IBGE. 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA