Cidades

Presidente da Câmara de Castelo vai propor cancelamento do carnaval por causa das chuvas. As exceções seriam os blocos do Piru e das Piranhas

Publicados

em

União para reconstruir

Warlen Cesar Bórtoli quer que o dinheiro seja utilizado para recuperar o município

Por Ilauro Oliveira | 27.01.2020

A forma devastadora como a chuva atingiu o município de Castelo vai impor desafios aos seus governantes. E o primeiro eco da calamidade deve repercutir no carnaval deste ano.

O presidente da Casa de Leis, vereador Warlen César Bortoli (Solidariedade), vai pedir ao prefeito Domingos Fracaroli (PSDB) que cancele o carnaval deste ano, à exceção dos blocos das Piranhas e Piru. A ideia é que se use o dinheiro para ajudar na recuperação da cidade.

“O carnaval é muito importante para Castelo, mas infelizmente o momento pede união e força em favor das famílias atingidas pelas chuvas. Por isso todo dinheiro disponível será necessário para essa reconstrução. Então, vamos propor ao prefeito e aos colegas vereadores que o carnaval deste ano seja cancelado. A exceção seria para os blocos do Piru e Piranhas porque nesses casos o custo maior é desembolsado pelos próprios blocos”, disse.

O presidente disse também que caso haja necessidade poderá convocar uma sessão extraordinária para deliberar sobre o tema, mas inicialmente a proposta será feita em diálogos pessoais, tanto junto ao prefeito quanto aos vereadores e demais pessoas envolvidas nessa festividade.

Leia Também:  Maior enchente da história de Cachoeiro completa 1 ano

Ainda não há um levantamento exato sobre o tamanho da tragédia em Castelo, mas na última sexta-feira (24) o rio que corta a cidade subiu 8 metros e deixou mais de 100 pessoas ilhadas e inúmeras casas alagadas.

» CONFIRA AS FOTOS


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Mais de 1 mil pessoas já foram vacinadas contra a Covid-19 em Cachoeiro

Publicados

em

 

Em Cachoeiro de Itapemirim, 1.185 pessoas já foram vacinadas contra a Covid-19, conforme contagem até a tarde desta segunda-feira (25). A vacinação foi iniciada na terça-feira passada (19), e as doses foram direcionadas aos grupos prioritários nas Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs), nos hospitais e nas unidades de saúde em que os profissionais atuam.

Todas as pessoas com 60 anos ou mais que se encontram em ILPIs foram imunizados, totalizando 135 doses. Já os profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate à pandemia somam 1.050 imunizados.

Nesta semana, as equipes de vacinação da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) percorrem os hospitais Santa Casa de Misericórdia, Hospital Infantil e Unimed para dar continuidade à ação.

“Estamos trabalhando dentro do Plano Municipal de Vacinação. É muito bom ver o número de vacinados crescendo a cada dia, mas reforçamos que, apesar disso, ainda é imprescindível que os cuidados contra o coronavírus continuem sendo observados”, ressalta o secretário municipal de Saúde, Alex Wingler.

Leia Também:  Aplicativo da Ouvidoria de Cachoeiro pode ser modelo para cidades do ES, diz Amunes

Nas próximas fases da campanha, Cachoeiro deverá disponibilizar 25 salas de vacina para absorver a demanda espontânea pela imunização. Além disso, dentro do plano municipal de vacinação estão previstas busca ativa de usuários dos grupos prioritários da campanha, atendimento com drive-thru e horário estendido para imunização na Policlínica Municipal e nas unidades do Programa Saúde na Hora.

Vacinas

A vacina Coronavac é administrada em duas doses. A segunda deve ser aplicada no intervalo de duas a quatro semanas após a aplicação da primeira. De acordo com a Semus, nesta terça (26), 2.180 doses da vacina Oxford/AstraZeneca chegarão em Cachoeiro e também serão necessárias duas aplicações.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA