Cidades

Prefeitura de Cachoeiro suspende comércio por 15 dias e cria regras para supermercados

Publicados

em

Em decreto, publicado nesta segunda-feira (23), a Prefeitura de Cachoeiro ampliou para 15 dias o período de suspensão das atividades do comércio e de prestação de serviços do município. A medida foi tomada para reduzir, drasticamente, a circulação de pessoas, em razão da pandemia de covid-19, doença respiratória provocada pelo novo coronavírus.

Na última sexta-feira (20), o município já havia determinado a suspensão por sete dias. Com o novo decreto, além da ampliação do período de paralisação das atividades, a Prefeitura criou regras para supermercados e aumentou para 35 as categorias que estão liberadas para funcionar no prazo estabelecido – ver lista abaixo.

Essas atividades, entretanto, somente poderão ocorrer, caso haja, de acordo com o decreto, “garantia de segurança epidemiológica, onde seja observada o princípio da não aglomeração de pessoas, devendo os estabelecimentos garantir a observância de atendimento simultâneo, em áreas comuns, de até 40% de sua capacidade autorizada, sob pena de determinação de seu fechamento”.

Os restaurantes, lanchonetes, bares e padarias somente poderão funcionar para entrega, por meio de pedidos online ou telefônicos e para retirada de seus produtos, sendo vedado o consumo em seu estabelecimento, em especial de bebidas alcoólicas.

No caso dos locais destinados a velórios, esses deverão observar a ocupação máxima de 40% de sua capacidade.

Supermercados

O decreto também torna mais rigorosas as regras para funcionamento de hipermercados, supermercados e mercados. Esses estabelecimentos deverão realizar controle de acesso às suas instalações, visando impedir entrada de menores de 10 anos e maiores de 60 anos; permitindo apenas uma pessoa da família e viabilizando atendimento simultâneo de até 3 pessoas por caixa aberto.

Leia Também:  Pedágio na 3ª Ponte pode ser suspenso

Sanções

O descumprimento das regras do decreto sujeitará ao infrator à suspensão e, em caso de reincidência, à cassação de seu Alvará de Funcionamento, além de responsabilização criminal por desobediência, com base no Código Penal Brasileiro.

“Sentimos a necessidade de revisar o primeiro decreto, no sentido de tornar as regras mais rigorosas e, ao mesmo tempo, ampliar o número de atividades liberadas, consideradas essenciais. É preciso que todos entendam a importância de seguirem essas regras, para que possamos proteger nossa população”, frisa o prefeito Victor Coelho.

Atividades liberadas para funcionar:

– Lojas de venda de produtos veterinários, somente relacionadas as vendas de medicamentos veterinários e alimentação animal, na modalidade de delivery;

– Serviços de hotelaria e hospedagem, desde que não recebam novos hóspedes;

– Comercialização de peças e material de construção em geral, por meio de entregas, sem atendimento presencial ao público;

– Atividades acessórias, de suporte e a disponibilização dos insumos necessários a cadeia produtiva relativas ao exercício e ao funcionamento dos serviços públicos e das atividades essenciais, incluída a manutenção corretiva e preventiva de veículos, guinchos e borracharias;

– Assistência à saúde, incluídos os serviços médicos e hospitalares;

– assistência social e atendimento à população em estado de vulnerabilidade;

– atividades de segurança pública e privada, incluídas a vigilância, a guarda e a custódia de presos;

– atividades de defesa civil;

– transporte coletivo municipal, interestadual e internacional de passageiros e o transporte individual de passageiros por táxi ou aplicativo;

– telecomunicações e internet;

– serviço de call center;

– captação, tratamento e distribuição de água;

– captação e tratamento de esgoto e lixo;

Leia Também:  Disk Aglomeração já funciona em Cachoeiro desde sexta-feira

– geração, transmissão e distribuição de energia elétrica e de gás;

– iluminação pública;

– produção, distribuição, comercialização e entrega, realizadas presencialmente, por meio do comércio eletrônico ou telefônico, de produtos de saúde, higiene, alimentos e bebidas;

– serviços funerários;

– vigilância e certificações sanitárias e fitossanitárias;

– prevenção, controle e erradicação de pragas dos vegetais e de doença dos animais;

– inspeção de alimentos, produtos e derivados de origem animal e vegetal;

– compensação bancária, redes de cartões de crédito e débito, caixas bancários eletrônicos e outros serviços não presenciais de instituições financeiras;

– serviços postais;

– transporte e entrega de cargas em geral;

– serviço relacionados à tecnologia da informação e de processamento de dados (data center) para suporte de outras atividades previstas neste Decreto;

– fiscalização tributária;

– transporte de numerário;

– fiscalização ambiental;

– produção, distribuição e comercialização de combustíveis e derivados;

– monitoramento de construções e barragens que possam acarretar risco à segurança;

– levantamento e análise de dados geológicos com vistas à garantia da segurança coletiva, notadamente por meio de alerta de riscos naturais e de cheias e inundações;

– mercado de capitais e seguros;

– cuidados com animais em cativeiro;

– atividade de assessoramento em resposta às demandas que continuem em andamento e às urgentes;

– atividades médico-periciais relacionadas com o regime geral e próprio de previdência social e assistência social;

– atividades médico-periciais relacionadas com a caracterização do impedimento físico, mental, intelectual ou sensorial da pessoa com deficiência, por meio da integração de equipes multiprofissionais e interdisciplinares, para fins de reconhecimento de direitos previstos em lei, em especial na Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015 – Estatuto da Pessoa com Deficiência.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Jovens de Cachoeiro de Itapemirim dão dicas para iniciar carreira em grande empresa

Publicados

em

O ingresso no mercado de trabalho nem sempre é fácil para a maioria dos jovens. Essa fase vem carregada de desafios, medos e dúvidas, fazendo com que o início da futura vida profissional, em especial em uma empresa de grande porte, seja uma conquista muito comemorada. A BRK Ambiental, maior empresa de saneamento básico do Brasil, presente em Cachoeiro de Itapemirim e em mais de outros 100 municípios brasileiros, desenvolve Programa de Estágio com o objetivo de oferecer oportunidades de aprendizado e experiência para estudantes universitários, além de revelar futuros talentos para comporem o time de profissionais da empresa.

Estudantes universitários que conquistaram uma vaga e hoje participam do dia a dia da concessionária de água e esgoto em Cachoeiro de Itapemirim falam sobre o que é fundamental para integrar esse seleto grupo. A futura engenheira civil Dyulia Eler Passos, de 23 anos, é uma delas. No oitavo período do curso, iniciou o estágio na BRK Ambiental em fevereiro deste ano, no setor de Investimento.

Para a jovem, a aprovação no processo seletivo a fez vislumbrar uma perspectiva de futuro. “Vejo como uma grande oportunidade de aprendizado, que me dará uma boa base para ser inserida no mercado de trabalho quando a faculdade chegar ao fim. Atuar na área de saneamento está sendo uma experiência nova e muito importante”, diz Dyulia, que soube da vaga para o estágio em um grupo de WhatsApp da faculdade.

Na sua avaliação, o jovem que deseja entrar em uma grande empresa precisa ser focado, responsável e se mostrar disponível. “Acredito até que o conhecimento amplo não seja tão primordial nesse momento. O que conta muito é a vontade de aprender e a proatividade”, afirma a jovem, que há um ano saiu do município de Conceição do Castelo, localizado também na região Sul do Espírito Santo, para viver em Cachoeiro de Itapemirim, onde divide apartamento com uma amiga.

Já a estudante de Engenharia Química Nayara Soares Satolo, de 25 anos, que estagia no Laboratório, disse que ficou sabendo do processo seletivo da BRK Ambiental por meio do Linkedin. Segundo ela, era a oportunidade que precisava para voltar a morar em Cachoeiro, sua terra natal, já que, até então, estava vivendo em Alegre, onde cursa o nono período do curso na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes).

Leia Também:  Marataízes chega a 8 mortes por coronavírus

“Conheço a história da empresa, o cuidado dela com os funcionários e sei da importância da sua atuação para levar saneamento e qualidade de vida para as pessoas. O estágio me motiva muito a seguir firme na faculdade. Quero dar o melhor de mim, me aperfeiçoar e quem sabe ser contratada para continuar na BRK Ambiental após a conclusão do meu curso. Isso seria um sonho”, afirma Nayara Soares Satolo.

Para ela, mais do que ter conhecimento é importante que se demonstre determinação e interesse pela área de atuação da empresa no dia a dia de trabalho. “Além disso, acredito que seja imprescindível acreditar naquilo que se está fazendo”, opina.

A quase engenheira ambiental e sanitária Gabriela Vicentini da Rocha, de 24 anos, também retornou a Cachoeiro de Itapemirim há poucos meses, por ter sido aprovada no Programa de Estágio da BRK Ambiental. Ela fez o curso na Universidade Federal de Lavras (Ufla), em Minas Gerais. “Completei os dez períodos da faculdade e decidi que iria reservar um tempo só para o estágio. Apresentei o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), mas solicitei a prorrogação da colação de grau”, explica.

Decisão tomada, ela começou a procurar vagas de estágio em sites, tendo participado e sido aprovada no processo seletivo da BRK Ambiental, onde estagia na área de Meio Ambiente. “Eu me identifico com a missão da empresa. Tem tudo a ver com o curso que escolhi e com o que eu acredito, por essa razão, tenho a convicção de não poderia estar em lugar melhor. Ter entrado em uma universidade federal foi uma grande conquista e com o estágio fica um enorme sentimento de realização”, comemora.

Para Gabriela, o jovem não pode ter medo de desafios e nem receio de errar para fazer carreira em uma grande empresa. “Também é preciso se adaptar às mudanças. Eu, sinceramente, me vejo fazendo a diferença na vida das pessoas com o meu trabalho. É esse o meu grande desejo”, destaca.

No time de estagiários da concessionária em Cachoeiro de Itapemirim, Douglas de Aquino Melo, de 25 anos, no momento se divide entre dois cursos: Sistemas de Informação em uma faculdade particular, estando no sétimo período, e Licenciatura em Informática, que é feito a distância pelo Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), cursando o quinto período.

Leia Também:  Em Cachoeiro, obras em três ruas do bairro Bom Pastor entram na reta final

E tem outra curiosidade: o jovem abdicou do emprego em uma empresa, onde atuava na área de Sistemas de Informação, para se dedicar ao estágio na BRK Ambiental. “Não é fácil conciliar dois cursos mais o estágio, é algo que exige esforço. Mas a experiência tem sido ótima. Eu era efetivado e resolvi arriscar no estágio em uma empresa maior. Não quis deixar passar essa oportunidade. Acredito que estar numa empresa sólida e séria como a BRK Ambiental irá contar muito positivamente para o meu currículo e para a minha experiência profissional”, afirma Douglas, que estagia na área de Informática.

Em sua opinião, alguns comportamentos podem fazer a diferença numa avaliação nas empresas. “Acredito que a dedicação seja fundamental, assim como a proatividade. Se isso existir, acho que são grandes as chances de contratação, uma vez que é mais fácil para a empresa investir em alguém que já conhece os processos do que apostar em uma pessoa nova e começar do zero”, diz Douglas.

O diretor da BRK Ambiental em Cachoeiro de Itapemirim, Bruno Ravaglia, explica que o Programa de Estágio permite que os estudantes conheçam as melhores soluções e os desafios de abastecimento de água e de coleta e tratamento de esgoto, sistemas que contribuem diretamente com o desenvolvimento sustentável e com a melhoria da qualidade de vida das comunidades.

“A empresa acredita que o saneamento básico é capaz de transformar a vida das pessoas e identifica, por meio do processo de seleção do Programa de Estágio, estudantes que estejam engajados com esse propósito. Para nós, o programa é motivo de orgulho, uma vez que possibilita apresentar aos futuros profissionais os desafios do setor, estimulando o desenvolvimento técnico e cultural de cada um deles”, afirma o diretor.

O Programa de Estágio 2020 da BRK Ambiental compreende 53 vagas, contemplando estudantes que vão concluir o curso entre o fim deste ano e dezembro de 2021, em cidades do Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Pernambuco, Bahia e Rio Grande do Sul, onde a concessionária tem atuação. As inscrições para o Programa de Estágio 2021 da BRK Ambiental estão previstas para o segundo semestre deste ano.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA