Economia

Preço da gasolina cai de novo e tem menor valor desde junho de 2021

Publicado em

 

Preço é o menor registrado desde junho de 2021
FreePik

Preço é o menor registrado desde junho de 2021

O preço da gasolina registrou queda nos postos pela quinta semana seguida, de acordo com pesquisa da Agência Nacional do Petróleo (ANP). De acordo com a pesquisa da ANP, o preço do litro da gasolina caiu de R$ 5,89, na semana passada, para R$ 5,74 nesta semana (entre os dias 24 e 30 de julho). É uma queda de 2,54%.

O preço desta semana é o menor patamar desde julho do ano passado, quando o preço médio da gasolina ficou em R$ 5,81 no mês, informou a ANP.

O menor preço da gasolina ocorre após a redução do ICMS sobre combustíveis nos estados e vem ganhando força com as reduções promovidas pela Petrobras na refinarias. Foram duas quedas em dez dias. A mais recente começou a valer hoje, com recuo de 3,88%.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

O diesel também teve queda no preço nos postos: passou de R$ 7,44 para R$ 7,42 – uma retração de 0,2%. É também a quinta semana seguida de recuos.

Nesta sexta-feira, durante apresentação de resultados financeiros do segundo trimestre, Cláudio Mastella, diretor de Comercialização e Logística da Petrobras, disse que a companhia ainda vê o cenário do fornecimento de diesel com “cautela”. Ele afirmou que o cenário do preço de diesel é de “manutenção de preços elevados parecidos com os atuais”.

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

Lula fala em isentar de Imposto de Renda quem ganha até R$ 5 mil

Published

on

Lula usa a economia para criticar Bolsonaro
Reprodução/Twitter – 16.08.2022

Lula usa a economia para criticar Bolsonaro

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse nesta quarta-feria (17) que estuda isentar a contribuição do Imposto de Renda para quem ganha até R$ 5 mil. Segundo o candidato à presidência da República, a medida seria implementada ainda no primeiro ano de governo , com isso, mais de 23,8 milhões de contribuintes seriam beneficiados pela isenção.

“Quando eu era presidente, reajustei várias vezes a tabela do Imposto de Renda. O Bolsonaro prometeu e não fez. Nós vamos reajustar a tabela, escolher uma faixa maior para isentar do imposto, penso que por volta de R$ 5 mil. Vamos ter que estudar e discutir sobre isso”, disse Lula em entrevista à Rádio Super, de Minas Gerais. 

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

Segundo a Unafisco, o número de isentos passaria de 7,6 milhões para  23,8 milhões (16,2 milhões a mais) com um ajuste integral da tabela, de 147,4%, dos atuais R$ 1.903,98 para R$ 4.710,49.

Leia Também:  Economia influi muito no voto de 53%; maioria diz que situação piorou

“Na hora que você fizer isso vai ter que deixar de arrecadar uma quantidade enorme de dinheiro que você vai ter que dizer de qual outra fonte vai tirar recurso”, disse o candidato.

“Agora, o reajuste [da tabela], independentemente de qualquer coisa, a gente vai fazer todo ano. Ora, se tudo se reajusta nesse país, por que a tabela do Imposto de Renda não pode ser reajustada para aqueles que vive de salário?”, completou o ex-presidente.

Ontem, no primeiro dia de campanha, Lula esteve no ABC Paulista, em São Bernardo do Campo, falando com trabalhadores na porta da fábrica da Volkswagen e disse que “a primeira medida” do seu governo seria o reajuste da tabela do Imposto de Renda. 

Para o petista, uma das saídas para a crise econômica e social enfrentada pelo Brasil é desenhar e colocar em prática uma reforma tributária progressiva, em que os mais ricos terão que pagar mais impostos, aliviando os mais pobres e permitindo o reajuste da tabela do IR, que beneficia sobretudo a classe média.

Segundo levantamento realizado pelo Conselho Regional de Contabilidade do Rio de Janeiro (CRCRJ), a defasagem na tabela do Imposto de Renda (IR) já causou prejuízo de R$ 90 bi à classe média

Leia Também:  Governador Casagrande anuncia início da vacinação contra Covid-19 nesta segunda (18)

Uma das promessas de campanha do presidente Jair Bolsonaro em 2018 foi isentar de Imposto de Renda quem ganha até cinco salários mínimos, que na época representava R$ 5 mil. Já eleito, Bolsonaro prometeu, em 2019, que corrigiria a tabela do IR com, “no mínimo” a inflação.

A cinco meses de terminar o mandato, caso não seja reeleito, o presidente não fez nem uma coisa, nem outra. E, agora,  afirma que vai corrigir a tabela do IR em 2023.

A disparada da inflação nos últimos meses acentuou, no governo Bolsonaro, a mordida do Imposto de Renda sobre a renda dos trabalhadores. Só nos três anos e meio do mandato de Bolsonaro, a defasagem da tabela do IR chega a 26,6%, segundo estudo feito pelo Sindifisco Nacional.


Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA