Negócios

Porto Central: prefeita lembra Ferrous e pede que empreendendores não decepcionem o povo de Kennedy

Publicados

em

Por | 14.11.2013

A audiência pública, presidida por representantes do Ibama, atraiu mais de 600 pessoas ao Ginásio de Esportes “Correão”, semana passada. O ato é a última etapa do licenciamento ambiental do Governo Federal para a implantação do Porto Central de Presidente Kennedy, cujas obras devem ter início em junho do 2014, ao custo inicial de R$ 1,8 bilhão (um bilhão e oitocentos mil reais).

 

Na cerimônia de abertura do evento, a prefeita Amanda Quinta Rangel (SDD) deu as boas-vindas ao empreendimento, mas cobrou dos empresários “que não decepcionem nosso povo, frustrado com as promessas não cumpridas da Ferrous”. Falando pelos empreendedores – nacionais e holandeses, do Porto de Roterdã – o engenheiro José Maria Novaes respondeu que “a prefeita e todo Presidente Kennedy podem ter certeza de que o PCPK já é uma realidade, irreversível”.

 

SANTUÁRIO GARANTIDO

 

Uma das preocupações levantadas durante a audiência pública era quanto á preservação da Igreja de Nossa Senhora das Neves, tendo em vista que parte das instalações do Porto Central ficarão na praia bem em frente ao santuário, tombado como patrimônio histórico estadual. Vídeo apresentado pelos representantes da TPK, empresa responsável pelas obras, mostrou que a edificação não será afetada, “permanecendo fora da área portuária, com acesso asfaltado próprio e cinturão verde de proteção no seu entorno”.

Leia Também:  Produção industrial encerra 2011 com crescimento de 0,3%

 

Além da fiscalização dos órgãos federais, como o Ibama, e estaduais, como o Iema e o Conselho Estadual de Cultura, os representantes federais explicaram que a Prefeitura de Presidente Kennedy terá a atribuição de fazer valer o seu PDM – Plano Diretor Municipal, lei que estabelece limites urbanísticos e asseguram os interesses do município.

 

O período de implantação do porto, entre 2014 e 2017, prevê a criação de até 4.700 empregos diretos. Depois de inaugurado e em plena operação, o Porto Central e as empresas em seu entorno poderão gerar até 8.400 postos de trabalho.

 

De acordo com a prefeita Amanda Quinta Rangel, “desde o início da nossa gestão, estamos desenvolvendo, em parceria com o Governo do Estado e a Findes, programas de qualificação e formação de mão-de-obra, visando ocupar pelo menos 2.000 dessas vagas, tão reivindicadas por nosso povo. Os cursos técnicos gratuitos já contam com mais de 300 alunos”, acentuou.

 

 

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Negócios

Economia forte faz Ford lançar no Brasil primeiro carro global

Publicados

em

Por

Por | 05.01.2012

 

BRASÍLIA – AGÊNCIA CONGRESSO – O ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, falou da força da economia brasileira durante o lançamento do novo Ford EcoSport, o primeiro carro da Ford produzido no Brasil, que será exportado para mais de 100 países.

“Esse é um momento especial, vivemos um momento de crise mundial e ao mesmo tempo os investimentos no Brasil crescem. Isso mostra a força do nosso país que hoje é fundamental para a sustentação da economia global”, disse Mercadante, que representou a presidenta Dilma no evento.

 

Criado em Camaçari, na Bahia, o EcoSport de nova geração faz hoje sua pré-estreia mundial também na capital da Índia. Os eventos em Brasília e Nova Déli simbolizam a popularidade que a Ford espera alcançar nos grandes mercados emergentes globais e também o crescente papel que a área de desenvolvimento do produto da América do Sul.

Os investimentos do novo Ecosport fazem parte de um total de R$ 2,8 bilhões que a companhia pretende investir no Nordeste, até 2015

“O lançamento no Brasil e na Índia, dois países da BRICS, mostra a nossa força e importância na economia mundial. Em um momento de crise global continuamos crescendo e vamos investir cada vez mais em pesquisa, engenharia, crédito e incentivo fiscal”, acrescentou o ministro.

O governador da Bahia, Jaques Wagner, também participou do lançamento e falou da importância do investimento para a economia da país e do seu estado.

“O Brasil começou na Bahia e o primeiro carro global da Ford também foi criado lá. A criatividade do nosso povo está nesse projeto que foi liderado por mais de mil engenheiros brasileiros na Bahia. É um orgulho ter um carro vendido em todo mundo com o carimbo do Brasil”, disse o governador.

Leia Também:  ?O desenvolvimento do Espírito Santo passa pela nova BR 101?, afirma Casagrande no leilão da Bovespa

Com mais de 700.000 unidades produzidas desde o lançamento em 2003, o EcoSport é um caso de sucesso da indústria automobilística latino-americana. Desde então, tem sido o modelo mais vendido da categoria na região. O Centro de Desenvolvimento do Produto da Ford América do Sul fica localizado no Complexo Industrial Ford Nordeste, em Camaçari, na Bahia. Único do gênero na região, ele conta com mais de 1.200 engenheiros e designers que utilizam o estado da arte da tecnologia, incluindo avançadas ferramentas de design e engenharia baseadas em computação (CAD/CAE), para o desenvolvimento de veículos.


Ele é um dos oito centros de excelência da Ford no mundo e opera conectado em tempo real com outros centros nos Estados Unidos, Europa e Ásia.O complexo foi inaugurado em 2001 e trabalha junto com o Campo de Provas de Tatuí, em São Paulo, onde os novos veículos são testados e certificados. Ele é um dos dois únicos campos de provas existentes na América do Sul e um dos mais modernos do mundo.

Leia Também:  Fruticultura cresce no Espírito Santo

 

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA