Estado

Polícia Civil orienta vítimas de violência doméstica para registro de boletim de ocorrência on-line

Publicados

em

 

.

Com a ampliação das atividades da Delegacia On-line durante o período da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), agora é possível o registro de boletim de ocorrência de crimes resultantes de violência doméstica e familiar. Pensando nisso, a Divisão Especializada de Atendimento à Mulher (DIV-Deam) elaborou um passo a passo para auxiliar as vítimas a registrarem o boletim de ocorrência por meio do https://delegaciaonline.sesp.es.gov.br

De forma bem didática, a cartilha guia o usuário em como proceder para que sua ocorrência seja registrada na plataforma e, em seguida, encaminhada até uma das Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (Deam) para ser investigada.

Segundo a chefe da Divisão Especializada de Atendimento à Mulher, delegada Cláudia  Dematté, a iniciativa de criar esse serviço tem o objetivo de garantir a segurança da vítima  para que ela não precise se deslocar até uma Unidade Policial e se expor ao vírus. “Diante desse cenário de excepcionalidade, essa foi uma maneira que nós encontramos para evitar qualquer subnotificação em razão de dúvidas ou dificuldades no registro por parte das vítimas e garantir que elas tenham o seu direito de registro da ocorrência para narrar a violência por ela sofrida e solicitar providências legais”, destacou.

 

A delegada pede ainda que a cartilha seja difundida entre todos. “Quanto mais pessoas tiverem acesso a essas informações, nós acreditamos que iremos oferecer um atendimento mais adequado às mulheres vítimas de Violência Doméstica e Familiar”, enfatizou.

Leia Também:  Nova remessa com mais de 16 mil doses da CoronaVac chega ao Espírito Santo

A arte da cartilha foi elaborada pela agente de polícia Luciana Meireles e com apoio da delegada Carolina Brandão, ambas localizada na Deam de Vila Velha, e revisada pela Assessoria de Comunicação da Polícia Civil.

Confira aqui a cartilha :   Download

 

Delegacia Online

 

Uma das medidas adotadas pela Polícia Civil neste período de restrição, devido à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) foi a ampliação do leque de ocorrências que podem ser registradas por meio da Delegacia Online.

Portanto, a  Delegacia  On-line passou a ser uma importante ferramenta para registrar quase todos os casos, sem a necessidade de ir até uma delegacia física. O cidadão que precisar registrar um boletim de ocorrência deve acessar http://delegaciaonline.sesp.es.gov.br , clicar no botão vermelho à esquerda da tela, com a inscrição “Registre sua Ocorrência”, preencher os dados e seguir o passo a passo. Após o registro, o Boletim Eletrônico de Ocorrência será analisado e o cidadão recebe um número de protocolo por e-mail, com as orientações para validar o Boletim junto à delegacia que ficará responsável pela investigação.

“Cada caso vai ser analisado pelo delegado que receber o registro e o cidadão será orientado, caso seja necessário, comparecer a uma unidade policial, para anexar documentos ou provas à ocorrência. Ele também será informado se for uma situação em que não cabe investigação por parte da Polícia Civil. O objetivo com esta medida é diminuir o fluxo de pessoas nas Delegacias”, afirmou o delegado-geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda.

Leia Também:  PM apreende drogas e dinheiro na Serra

Alguns casos não podem ser registrados on-line: homicídios, sequestros, estupros e furtos e roubos de veículos não são aceitos pela DeOn. Para todos os outros registros, é necessário ser maior de 18 anos e possuir um e-mail válido. A Delegacia On-line só aceita registros de fatos que aconteceram no Espírito Santo.

 

Além disso, é importante lembrar que o computador usado para o registro do Boletim pode ser rastreado, e a comunicação falsa é crime, previsto no Artigo 340 do Código Penal Brasileiro. O valor do Boletim Eletrônico de Ocorrência é o mesmo do Boletim de Ocorrência registrado em uma delegacia física, pois se trata de um documento oficial.

Texto: Fernanda Pontes

Assessoria de Comunicação Polícia Civil
Comunicação Interna – (27) 3137-9024
Agente de Polícia Fernanda Pontes
[email protected]

 

Atendimento à Imprensa:
Olga Samara/ Camila Ferreira
(27) 3636-1536/ (27) 99846-1111/ (27) 3636-9928 / (27) 99297-8693
[email protected]

Fonte: Governo ES

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estado

Hospital Central realiza primeira captação de múltiplos órgãos do ano

Publicados

em


O Hospital Estadual Central (HEC), em Vitória, realizou, nesse último domingo (24), a primeira captação de múltiplos órgãos do ano. A família, mesmo em um momento delicado com a perda de um ente, se sensibilizou com a possibilidade de ajudar tantas outras vidas e decidiu doar os órgãos para quem aguardava na fila de transplante.

“Em um momento de tristeza para uma família, a generosidade e a consciência da importância do ato da doação de órgãos propiciaram que outras pessoas tivessem um dia feliz. Parabenizo a equipe que abordou e correu contra o tempo para realizar esse feito. Agradeço a família que, em meio ao sofrimento, conseguiu pensar no próximo”, exclamou Miguel Duarte, diretor-geral do Hospital Estadual Central.

Foram captados o coração, dois rins, duas córneas e o fígado. A cirurgia durou cerca de cinco horas e contou com uma equipe de enfermeiros, técnicos e médicos. A abordagem à família foi realizada pelo serviço social e pela enfermagem. Com os órgãos doados, seis pessoas foram beneficiadas. Todas são do Espirito Santo e estavam na fila de transplante. “Neste momento de pandemia salvar vidas tem um significado muito especial. Encerra-se um ciclo e tantos outros se abrem”, destacou a coordenadora do centro cirúrgico, Fernanda Santos de Paula.

Leia Também:  Campanha 'Fiscal Consumidor' favorece quem achar produto vencido no supermercado

A coordenadora do Serviço Social, membro da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT), Karina Albino, explicou como se deu a abordagem. “Para a captação de órgãos acontecer, a abordagem precisa ser feita de uma forma leve e empática, porém rápida, afinal o tempo é crucial em todo esse processo. Após o sim da família, a equipe entra em campo para realizar todo o procedimento”.

O HEC conta com uma Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT), que é a equipe que efetiva a proposta de doação, identificando os possíveis doadores e promovendo os protocolos para possibilitar o processo de doação de órgãos e tecidos dentro da instituição. A CIHDOTT é responsável ainda pelo acolhimento dos familiares de pacientes falecidos tanto doadores quanto não doadores. Nesse caso, a abordagem ocorre antes, durante e depois de todo o processo.

Dados sobre transplantes

Segundo dados da Central Estadual de Transplantes do Espírito Santo (CET-ES), neste início do ano foram realizados quatro transplantes de órgãos e 21 transplantes de córnea no Estado. Até esta segunda-feira (25), a Central contabilizou 1.440 pacientes aguardando por um órgão no Estado, sendo 1.038 para rim, 376 para córneas, 22 para fígado e quatro à espera de um coração.

Leia Também:  Vice-governadora recebe empresa interessada em investir em energia elétrica renovável no Estado

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação da Sesa
Syria Luppi / Kárita Iana / Paula Lima / Luciana Almeida / Thaísa Côrtes / Danielly Schulthais
[email protected]

Comunicação iNOVA Capixaba
Luan Ribeiro
[email protected]

Assessoria de Comunicação HEC
Lívia Romualdo
[email protected]

Fonte: Governo ES

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA