Política

PL: zona rural terá fundo para desastres naturais

Publicados

em


Começa a tramitar na Assembleia Legislativa, a partir de leitura na sessao ordinária desta terça-feira (4), matéria que tem como objetivo facilitar a concessão de crédito para produtores rurais de cidades atingidas por desastres naturais e intempéries climáticas. O Projeto de Lei (PL) 169/2021, do governo do Estado, cria o Fundo de Apoio Rural (FAR). Por meio dele, produtores capixabas poderão ter acesso a linhas especiais de financiamento.

De acordo com a matéria, o crédito oriundo do FAR poderá ser destinado a pessoas físicas ou jurídicas. Os beneficiários deverão ter propriedade rural em município comprovadamente atingido por desastres naturais e intempéries climáticas, situação que deve ser declarada por autoridade municipal, estadual ou por laudo técnico emitido por profissional habilitado e integrante da administração pública. 

O FAR será composto pelos seguintes recursos: dotações do orçamento público estadual, transferências de recursos federais ou municipais voltados para situações de emergência, doações de pessoas físicas ou jurídicas, convênios com entidades nacionais ou estrangeiras de cooperação, entre outros.

O fundo será vinculado à Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) e o agente financeiro e operador será o Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes). Para a viabilidade do fundo, o projeto do governo autoriza adequações no Plano Plurianual (PPA) vigente, de 2020-2023. 

Leia Também:  Maio Amarelo: direção defensiva pode salvar vidas

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Quintino propõe criação da Rota do Monte Aghá

Publicados

em


O Projeto de Lei (PL) 181/2021, apresentado pelo deputado Coronel Alexandre Quintino (PSL), cria a Rota do Monte Aghá, com trajetos partindo dos municípios de Itapemirim e de Piúma. 

Com cerca de 340 metros de altitude, à beira-mar, o Monte Aghá está situado dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) da Lagoa Guanandy e foi tombado pelo Conselho Estadual de Cultura em dezembro de 1985.

Segundo Quintino, o Monte Aghá é referência marítima para pescadores e navegantes e é atração turística do sul do estado. “O monumento, além de possuir peculiar beleza cênica, possui fauna e flora bastante diversificadas”, destaca o parlamentar na justificativa do projeto. 

Além disso, é local propício para a prática de esportes de aventura: “O Monte Aghá é uma formação rochosa de relevo privilegiado; por sua localização e formato geológico, é uma excelente montanha para a prática de trekking, hiking, escalada, rapel, voo livre, mountain bike, caminhadas noturnas, entre outras”, afirma. 

O projeto foi lido na sessão ordinária do último 10 de maio e segue para análise pelas comissões de Constituição e Justiça; de Turismo e Desporto; e de Finanças.

Leia Também:  Majeski quer transparência sobre situação de escolas

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA