Política

Pescadores apontam entrave no auxílio da Renova

Publicado em

Pescadores afetados pelo rompimento da barragem de Fundão, da mineradora Samarco, em Mariana (MG), estiveram nesta quinta-feira (14) na Assembleia Legislativa (Ales) para cobrar o retorno do pagamento do Auxílio Financeiro Emergencial (AFE) pago pela Fundação Renova. Eles recebem o benefício porque não conseguem exercer a profissão em virtude das condições da Bacia do Rio Doce após a passagem da lama tóxica em 2015. 

A audiência pública foi realizada pela Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (Ctasp) da Câmara dos Deputados. O requerente do encontro, deputado federal Neucimar Fraga (PP-ES), informou que havia sido procurado por associações de pescadores para tentar viabilizar o retorno desses pagamentos e também para a resolução de outras dificuldades que eles enfrentavam junto aos órgãos federais. 

O parlamentar criticou a ausência de representante da Fundação Renova no encontro. A entidade, constituída para fazer a reparação dos danos ambientais, enviou ofício justificando a falta em virtude da questão das indenizações estar judicializada. “Aqui seriam tratados outros temas, não apenas esse. Vamos convocá-los para a próxima reunião da comissão em Brasília”, garantiu.

Cláudio Márcio Pereira, um dos integrantes do movimento dos pescadores atingidos pelos efeitos do rompimento da barragem, disse que eles não conseguem mais pescar no Rio Doce e que ficaram sem renda após a Renova suspender os pagamentos do auxílio, em dezembro do ano passado, alegando problemas de documentação.  

Ele acusou a entidade de agir de má-fé ao exigir uma declaração de que os profissionais possuem dificuldades de obter por conta da falta de atualização no sistema do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). “A empresa é desleal. (…) A gente não vê eles falando de recuperação ambiental, fazer a limpeza e o repovoamento (do rio). O dano ambiental não está sendo reparado”, afirmou.

Leia Também:  Proposta inclui estradas do sul em plano estadual

Uma das sugestões dadas foi que a Renova aceite como declaração o seguro defeso pago pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) aos pescadores que fazem os recolhimentos regularmente junto à autarquia federal. Pereira também lamentou a ausência dos representantes da fundação na audiência e falou que o Mapa possui apenas 103 servidores para atender pescadores de todo o Brasil. 

Outros representantes de pescadores que participaram do evento foram Nego da Pesca (da Federação de Pescadores), Pretinha (da Colônia de Pesca de Guarapari) e Wellington Pereira de Carvalho, que preside a Associação de Pescadores Renovo do Vale, de Baixo Guandu. Eles reforçaram as dificuldades para obter a declaração e pediram mais sensibilidade por parte da Renova. “Estamos há quase sete meses sem fonte de renda e não conseguimos a declaração. A Justiça Federal deveria obrigar a manter o auxílio”, afirmou Carvalho. 

Explicações

Dois servidores do Mapa compareceram de modo virtual ao encontro e apresentaram as informações do ministério. O responsável pela Superintendência Federal de Minas Gerais, Renato Silva, contou que a Renova solicitou ao Mapa declaração de quase 1,5 mil pescadores, que foi feita uma análise técnica e que as informações foram prestadas na última sexta (8). 

Segundo o servidor, um dos problemas relacionados à declaração é que a Renova só aceita o documento emitido diretamente pela Secretaria de Aquicultura e Pesca (SAP) do Mapa, recusando quando a validação é feita pelas superintendências federais. 

Já Aline Vosgrau, coordenadora do Departamento de Registro, Monitoramento e Fomento de Aquicultura e Pesca, falou que, após a primeira lista com 1,5 mil nomes, a Renova encaminhou mais uma com cerca de 200 nomes e deve enviar ainda uma terceira. O órgão faz a avaliação para confirmar a condição de pescador e devolve para a fundação. 

Leia Também:  Câmara de Cachoeiro rejeita comissão processante contra Casteglione

Ela destacou que, dentre os 103 servidores do Mapa, 15 lidam diretamente com os pescadores. Vosgrau admitiu que o sistema do Ministério enfrenta algumas dificuldades de lentidão, mas pediu que os pescadores façam o recadastramento para facilitar a interlocução com a Renova. Além disso, afirmou que foi disponibilizado atendimento telefônico específico para os pescadores que não conseguem completar as informações no sistema. “Tentamos responder o mais rápido possível. Nossa intenção é facilitar esse fluxo para evitar que o pescador perca prazos”, esclareceu. 

Em suas considerações finais, o deputado Neucimar Fraga prometeu apoio aos pescadores e criticou o fato de a Renova só aceitar declarações da SAP. “É uma exigência absurda. A superintendência regional tem fé pública como a SAP. Parece uma ferramenta para dificultar a emissão da declaração. As superintendências estão mais próximas da realidade local. Vamos convocá-los (a Renova) para a reunião da Comissão de Trabalho”, disse.

Além dos citados, participaram do evento pescadores, vereadores de vários municípios capixabas e a coordenadora do Departamento de Ordenamento e Desenvolvimento da Pesca (DPOP) da SAP, Carolina Amorim.

Debates na Ales

A situação dos atingidos pela tragédia de Mariana é tema recorrente na Assembleia. Nesta semana a Comissão de Meio Ambiente realizou audiência pública e também recebeu pescadores da Bacia do Rio Doce, que relataram as dificuldades enfrentadas. Em outras oportunidades neste ano a reclamação foi por parte de indígenas e por representantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

Fonte: Assembléia Legislativa do ES

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cidades

Prefeito de Marataízes exonera quatro secretários municipais e mais 15 comissionados

Published

on

O prefeito em exercício de Marataízes, Jaiminho Machado, exonerou, em uma canetada só, quatro secretários municipais.

A lista foi publicada no diário oficial desta sexta-feira (12).

Além deles, consta na lista João Antonio Neto, o Joãozinho, gerente de gestão, que estava lotado no gabinete e também já exerceu cargo em primeiro escalão.

Em importância menor dentro da escala administrativa, também foram exoneradas outras 15 pessoas, entre diretores e outros.

Todos os nomes exonerados foram nomeados pelo então prefeito afastado Tininho Batista e eram colaboradores desde o seu primeiro mandato como prefeito.

Um dos secretários exonerados é Robson Abreu Silva que respondia por três secretarias.

Confira os secretários exonerados:

ANDERSON GOUVEIA DE OLIVEIRA – SECRETÁRIO MUNICIPAL DE DEFESA SOCIAL E SEGURANÇA PATRIMONIAL

ROBSON SEYR – SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER

ANTÔNIO CARLOS SADER SANT’ANNA –  SECRETÁRIO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE

ROBSON ABREU SILVA – SECRETÁRIO MUNICIPAL DE PESCA E AQUICULTURA

ROBSON ABREU SILVA – SECRETÁRIO MUNICIPAL DE INFRAESTRUTURA DE INTERIOR

Leia Também:  Marina Silva pede ajuda ao TSE para regularizar seu partido

ROBSON ABREU SILVA – SECRETÁRIO MUNICIPAL DE AGRICULTURA, AGROPECUÁRIA E ABASTECIMENTO

JOÃO ANTONIO NETO – GERENTE DE GESTÃO ADMINISTRATIVA

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA