Economia

PEC Eleitoral: ‘Trapalhões com Zorra Total’, criticam caminhoneiros

Publicado em

Caminhoneiros afirmam que R$ 1 mil do auxílio-diesel não é suficiente
Divulgação

Caminhoneiros afirmam que R$ 1 mil do auxílio-diesel não é suficiente

A PEC das Bondades, aprovada pela Câmara dos Deputados nesta quarta-feira (13), não agradou uma parcela dos caminhoneiros, que criticaram o auxílio-diesel de R$ 1 mil proposto pelos parlamentares. Segundo lideranças da categoria, a medida é uma esmola e está cheia de trapalhadas no texto final.

O presidente da Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava), Wallace Landim, o valor não resolve o problema da categoria e lembrou a falta de comunicação com o governo federal nos últimos três anos. Chorão, como é conhecido, chamou as ações do Planalto de mistura de “Trapalhões com Zorra Total”.

“Mil reais não resolve o problema dos caminhoneiros, é uma tentativa clara de comprar o direito mais digno de um cidadão que é o seu voto. É importante ressaltar que esse dinheiro não vai comprar a categoria. Os únicos que apoiam esse governo é uma pequena parcela de motoristas que sofrem da Síndrome de Estocolmo”, afirmou.

“Caminhoneiro não é burro, não fizeram nada em três anos e meio e agora vem com esmola que não resolve. Esse governo é uma mistura de Trapalhões com Zorra Total, e o povo assistindo esse filme de terror”, completou.

Chorão lembrou da possibilidade de faltar diesel nos postos de combustíveis. O ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, declarou haver estoque para os próximos 40 dias. Após a declaração, o Planalto passou a se movimentar para tentar um acordo com a Rússia para a venda direta do combustível ao Brasil.

Leia Também:  Lucro da Cogna (COGN3) avança R$ 55,3 milhões

O caminhoneiro afirmou ser necessário a mudança na política de preços da Petrobras e ressaltou o desconto na gasolina pela falta de procura e não só pela redução do ICMS.

“A redução de ICMS nos estados baixou o preço da gasolina, mas do diesel não. A gasolina está baixando porque não está vendendo, a classe média não tem dinheiro para encher o tanque. Essa PEC eleitoreira já fez o dólar subir e, como somos dependentes do diesel importado, o valor nas bombas será reajustado”, declarou.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Deputados também estão vendo a aprovação da PEC com contrariedade. Alguns parlamentares disseram à reportagem que entendem a necessidade de reajustar o Auxílio Brasil, mas declararam que a PEC pode ser prejudicial às finanças do país.

Leia Também:  Operadora que assumiu clientes da Amil se desfaz de planos coletivos

O presidente da Frente Parlamentar dos Caminhoneiros, deputado Nereu Crispim (PSD-RS), afirmou que o texto é um ataque à democracia. Ele ressalta que a medida não resolve as dificuldades dos caminhoneiros e lembra da possibilidade de aumento da inflação com a proposta.

“É uma PEC Kamikaze, eleitoreira e mentirosa, travestida de combata à pobreza, mas não, é uma proposta que vai gerar mais inflação e pobreza. A proposta tem prazo determinado. Essa esmola de R$ 1 mil não paga nem 30% de um pneu de caminhão, esse valor paga uma recapagem mal feita”, afirma.

“O problema é o preço de paridade de internacional e não a criação de um auxílio. Essa presepada eleitoreira irá prejudicar a população. A categoria dos caminhoneiros dará resposta nas próximas eleições, contra um governo que não fez nada em três anos e meio e agora quer aparecer”, declarou.

O parlamentar ainda entrou com um recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) para barrar a votação da proposta na Câmara. Para Crispim, o texto tem caráter eleitoreiro e não é uma política de estado.

O recurso está na mesa do ministro André Mendonça, que já recusou diversos pedidos para impedir a discussão da matéria. Segundo o parlamentar, o recurso também deverá ser apreciado pela presidente em exercício do STF, Rosa Weber.

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

Eletrobras reduz lucro em 45% após investimento em Furnas

Published

on

Eletrobras
Agência Brasil

Eletrobras

A Eletrobras obteve lucro líquido de R$ 1,401 bilhão no segundo trimestre do ano , queda de 45% na comparação com o mesmo período de 2021. No acumulado do ano até junho, o lucro da companhia caiu 1%, para R$ 4,117 bilhões.

Segundo a estatal, o resultado foi impactado negativamente pela provisão para perdas em investimentos no montante de R$ 890 milhões, em função, principalmente, do  aporte de capital realizado por Furnas na SPE Santo Antônio Energia.

No trimestre também pesou o registro de R$ 694 milhões em Provisão para Crédito de Liquidações Duvidosas (PCLD) relativo à inadimplência da distribuidora Amazonas Energia.

A receita operacional líquida atingiu R$ 8,856 bilhões no período, 19,1% superior à observada no mesmo período do ano passado, influenciada pela melhor performance nos contratos bilaterais e pelo reajuste anual das receitas de transmissão cuja base de ativos foi ampliada no ciclo 2021/2022 pelo reperfilamento da Rede Básica Sistema Existente (RBSE).

Leia Também:  Novo pede para Mendonça não ser relator de ação contra PEC Eleitoral

De janeiro a junho, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado somou R$ 4,861 bilhões, alta de 6% em comparação com igual intervalo do ano anterior. Considerando os seis primeiros meses de 2022, o Ebitda ajustado aumentou 5% para R$ 9,791 bilhões. A margem Ebitda ajustada do período alcançou 55%, queda de 7,08 pontos percentuais (p.p.) na base anual.

Ao final do trimestre, a dívida líquida recorrente da Eletrobras era de R$ 15,142 bilhões, 11% menor que no mesmo intervalo do ano anterior. A alavancagem, medida pela relação dívida líquida por Ebitda LTM ajustado, alcançou 0,7 vez no trimestre, queda de 24% na base anual.

Os investimentos da Eletrobras no trimestre totalizaram R$ 2,548 bilhões, crescimento de 159% em base anual de comparação. No semestre os investimentos avançaram 103%, para R$ 3,050 bilhões.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia . Siga também o  perfil geral do Portal iG .

Leia Também:  TCU deverá receber explicações sobre privatização da Eletrobras até 3ª

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA