Política Nacional

Partidos arrecadaram R$ 22 milhões em doações na pré-campanha

Publicado em

PT lidera ranking de arrecadação em doações para os pleitos de outubro
Ricardo Stuckert/Divulgação – 22.07.2022

PT lidera ranking de arrecadação em doações para os pleitos de outubro

Os 16 partidos com doações de pessoas físicas registradas ao longo da pré-campanha deste ano receberam até o momento ao menos R$ 22 milhões. É o que mostra um levantamento feito pelo GLOBO com base em parciais das prestações de contas das siglas já disponíveis no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O valor, usado para a manutenção das legendas, já se aproxima dos R$ 25 milhões arrecadados pelas mesmas siglas em todo 2021.

Os dados do TSE mostram ainda que entre os maiores doadores aos diretórios nacionais dos partidos durante a pré-campanha deste ano, uma prática é comum: fazer contribuições financeiras a legendas rivais na disputa presidencial. São ao menos oito empresários com esse perfil de doação entre aqueles com transferências acima de R$ 100 mil.

Os partidos terão um total de R$ 4,9 bilhões do fundo eleitoral para financiar as campanhas este ano, mas os recursos ainda não podem ser usados. Já os captados de doações de pessoas físicas para as legendas estão com uso autorizado para gastos da pré-campanha, como deslocamentos e eventos, sem qualquer vedação, explica a advogada eleitoral Samara Castro, da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro (OAB-RJ).

A partir de agosto, os partidos também poderão aplicar ou distribuir os recursos recebidos por pessoas físicas diretamente nas campanhas. Nesse caso, porém, há um limite equivalente a até 10% do rendimento bruto auferido pela pessoa física no ano anterior ao do pleito. Desde a minirreforma eleitoral de 2015, empresas são impedidas de doar a candidatos.

Leia Também:  Inquérito das Fake News: Senado convida Moraes para esclarecer dados

O PT, legenda do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, lidera o ranking com R$ 8,5 milhões contabilizados. A legenda tem feito uma campanha de arrecadação ao partido. No mês passado, Lula chegou a participar de um jantar organizado pelo Grupo Prerrogativas para agradecer doações ao PT feitas via Pix.

Em seguida, entre as legendas com mais doações, estão PSD, com R$ 4,1 milhões, União Brasil, com R$ 3,04 milhões e MDB, com R$ 1,7 milhões. A lista é composta pelos partidos que têm também o maior montante do fundo eleitoral.

O PL, sigla do presidente Jair Bolsonaro, ainda não incluiu suas receitas na prestação de contas deste ano. No partido, também há pressão para a arrecadação de doações para viabilizar a campanha de Bolsonaro e são organizados eventos para empresários. A avaliação interna é que o valor do fundo partidário destinado à sigla, o sétimo maior, é insuficiente para bancar todas as campanhas.

Considerando apenas doações individuais, o diretor proprietário da Century Brasil e Vale Sul Shopping, Wagner Louis de Souza, de São José dos Campos (SP), é quem fez a maior contribuição. Em fevereiro, ele destinou R$ 2,5 milhões ao PSD. O valor supera doações anteriores do empresário. Em 2020, Souza doou R$ 430 mil, em valores corrigidos pela inflação, para sete dos 11 candidatos a prefeito de São José dos Campos, inclusive o vitorioso no pleito, Felicio Ramuth (PSDB).

O pecuarista Jonas Barcellos Corrêa Filho, dono da Brasif, fez a segunda maior doação. No mês passado, ele transferiu R$ 2,1 milhões ao PT. Em 2018, o empresário fez doações no valor de R$ 500 mil, em valores corrigidos, para candidatos a deputado federal e estadual do DEM, PSL e Solidariedade.

Leia Também:  Fenaj e Abraji repudiam ataques de Eduardo Bolsonaro a Miriam Leitão

Em família

Outro nome que se destaca é o de Emival Caiado Filho, primo do governador de Goiás, Ronaldo Caiado. No início do mês, ele doou pouco mais de R$ 1,8 milhão ao União Brasil, sigla do governador.

Na lista de maiores doadores até o momento, estão ainda quatro integrantes de uma mesma família, a Koren de Lima, dona do plano de saúde Hapvida. Juntos eles já destinaram R$ 4 milhões entre abril e maio ao PT, PSD, PSDB e MDB. Outro R$ 1,25 milhão foi doado ao PL, mas ainda não consta no sistema do TSE. A transferência da família Koren de Lima foi revelada na semana passada pelo jornal O Estado de São Paulo.

As doações foram feitas pelo diretor presidente do Hapvida, Jorge Fontoura Pinheiro Koren de Lima, Candido Pinheiro Koren de Lima e Candido Pinheiro Koren de Lima Júnior, ambos membros do conselho de administração da Hapvida, e Christina Fontoura Koren de Lima.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política Nacional

Veja quem é Elvis Cezar, candidato do PDT ao governo de São Paulo

Published

on

Elvis Cezar é candidato ao governo de SP pelo PDT
Reprodução – 17.08.2022

Elvis Cezar é candidato ao governo de SP pelo PDT

O PDT oficializou no início do mês, em convenção, a candidatura do advogado e ex-prefeito de Santana de Parnaíba Elvis Cezar ao governo do estado de São Paulo nas eleições de 2022.

Cezar nasceu em Carapicuíba, na região metropolitana de São Paulo, é advogado e após 19 anos filiado ao PSDB, neste ano, o político deixou a legenda e migrou para o PDT.

Com 46 anos, Elvis é casado e tem um filho. O candidato ao governo do estado foi prefeito de Santana de Parnaíba por dois mandatos (2014 a 2020) e foi vice-presidente do Consórcio Intermunicipal da Região Oeste Metropolitana de São Paulo, que reúne as cidades de Barueri, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira, Osasco, Pirapora do Bom Jesus e Santana de Parnaíba.

Veja as principais propostas do candidato:

Educação

  • Garantir a alfabetização de todas as crianças até os sete anos de idade;
  • Aumentar o número de vagas no Ensino Médio, ampliando a escola de tempo integral;
  • Ampliar o ensino profissionalizante de jovens e adultos;
  • Ampliar o número de vagas nas universidades de São Paulo, com mais políticas de inclusão, como cotas e financiamento estudantil;

Saúde

  • Promover mutirões de cirurgias eletivas, com política de fila zero;
  • Aperfeiçoar o ConectSUS, para que São Paulo possa ter um prontuário eletrônico unificado para os pacientes;
  • Elaborar um mapa georreferenciado da saúde pública em São Paulo, inventariando toda a rede, seja pública ou privada;
  • Ampliar o número de médicos e profissionais da saúde, com pisos salariais mais atraentes para pequenos municípios;
  • Ampliar a distribuição de medicamentos gratuitos e facilitar o acesso a medicamentos de alto custo;
  • Investir na telemedicina;
Leia Também:  Bolsonaro divulga agenda com compromisso uma hora após depoimento à PF

Segurança pública

  • Implantar programa de proteção à mulher com três eixos: combate à violência; combate ao tráfico e à prostituição; e saúde e higiene;
  • Ampliar delegacias da mulher;
  • Criar e implementar um aplicativo chamado “botão de pânico”, para ser acionado pela mulher em caso de violência;
  • Investir na inteligência policial e em tecnologia para as polícias;
  • Implementar novas bases comunitárias de segurança;
  • Reestruturar delegacias da Polícia Civil;
  • Criar um cinturão de segurança nas divisas do estado;
  • Modernizar presídios para bloquear celulares e fazer a vistoria eletrônica de visitantes;
  • Melhorar condições de trabalho e salário de agentes penitenciários;
  • Investir no combate ao crime organizado;
  • Criar programas para valorização do profissional de segurança pública;
  • Criar programa para acompanhar jovem egresso do sistema penitenciário;

Assistência social

  • Aumentar em 20% o salário mínimo no estado de São Paulo em 1.º de janeiro de 2023;
  • Criar programa para garantir cestas básicas a todas as famílias em situação de vulnerabilidade social;
  • Criar política pública para gerar oportunidades de trabalho para a população de mais de 50 anos;

Desenvolvimento econômico

  • Revisar os incentivos fiscais considerando o nível de competitividade de cada setor;
  • Criar programas de desenvolvimento regionais, integrando cadeias produtivas;
  • Reduzir a burocracia e as garantias exigidas para a concessão de crédito a micro, pequenas e médias empresas, por meio do Desenvolve SP e do Banco do Povo;
  • Realizar anúncios publicitários e participar em feiras e seminários internacionais para fortalecer a imagem de São Paulo no exterior;
Leia Também:  Damares revela se foi traída por Bolsonaro: "Farei muito barulho"

Transporte

  • Ampliar investimentos na infraestrutura de transporte e logística;
  • Estudar e implementar uma rede de trens interligando São Paulo a Campinas, a Sorocaba, a Santos e ao Vale do Paraíba, por meio de Parcerias Público-privadas;
  • Reduzir os valores dos pedágios, buscando instrumentos jurídicos para revisar contratos de concessões rodoviárias;
  • Concluir a integração dos aeroportos de Guarulhos e Congonhas ao sistema metro-ferroviário da grande São Paulo;

Habitação

  • Desenvolver programa de urbanização das favelas com eliminação de áreas de risco;
  • Organizar força-tarefa para regularização fundiária;

Meio Ambiente e saneamento

  • Priorizar programas de despoluição do rio Tietê e de bacias hidrográficas do estado;
  • Estimular a implementação de ciclovias, áreas verdes e parques;
  • Ampliar o programa de recuperação de mananciais e matas ciliares;
  • Atingir a meta de universalização da coleta e do tratamento de esgoto;

Serviços públicos

  • Criar indicadores de qualidade dos serviços prestados pelo governo de São Paulo.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA