Estado

Obras da Terceira Ponte: metodologia construtiva é apresentada a Semobi

Publicados

em


A Secretaria de Mobilidade e Infraestrutura (Semobi) participou, nesta quinta-feira (07), de uma demonstração da metodologia construtiva que será utilizada nas obras de implantação de ciclovia e barreira de Proteção da Terceira Ponte. A demonstração foi realizada pelo consórcio que irá executar as obras durante uma reunião técnica com a secretaria.

De acordo com o secretário de Estado de Mobilidade e Infraestrutura, Fábio Damasceno, a metodologia vai permitir a realização dos trabalhos sem interferência no trânsito. “Serão dois andaimes de 80 metros. Hoje tivemos uma pequena demonstração desse sistema chamado Quik Deck que será instalado embaixo da terceira Ponte, que vai possibilitar a construção da ciclovia, barreira de proteção e ampliação da ponte. Uma espécie de andaime suspenso, possibilitando a execução dos serviços”, explicou o secretário.

Os trabalhos na ponte devem ser iniciados ainda no mês de abril e serão executados pelo Consórcio Ferreira Guedes Metalvix, pelo valor de R$ 127 milhões, com prazo de três anos, sendo que os primeiros seis meses são dedicados aos projetos.

A proposta de intervenções foi apresentada em 2019 pelo Governo do Estado, como uma das obras prioritárias na área da mobilidade, e contemplam a ampliação da capacidade de fluxo de veículos; implantação de ciclovia e barreira de proteção ao suicídio. O anteprojeto da Ciclovia da Vida propõe uma estrutura metálica que será anexada nas laterais da ponte para a passagem de ciclistas e, ao mesmo tempo, fazendo a barreira de proteção ao suicídio. Além disso, a capacidade de trânsito da ponte será aumentada em torno de 40%, com a criação de duas novas faixas. Desse modo, a ponte passará a contar com três faixas em cada sentido.

Leia Também:  Governador assina Projeto de Lei que autoriza benefício para aquisição de computadores por professores

A instalação de uma barreira de proteção na Terceira Ponte vem sendo debatida e reivindicada pela sociedade capixaba, sobretudo nos últimos anos. Outra reivindicação antiga era a inclusão de uma ciclovia para que a travessia entre os municípios de Vitória e Vila Velha também pudesse ser realizada por ciclistas.

A estrutura que será anexada à ponte nos dois sentidos como forma de impedir o suicídio, contará com uma grade antiescalada para a proteção, com altura de três metros e uma pista de ciclovia, com pavimento asfáltico de três metros de largura.

Próximo ao vão central, a estrutura da ciclovia terá um alargamento chegando a seis metros e funcionará como uma espécie de mirante. Neste ponto, parte da grade antiescalada será substituída por vidro. As pistas serão de sentido único: uma para vitória e uma para Vila Velha.

Ampliação da capacidade

Além da ciclovia, a Terceira Ponte ganhará mais uma faixa em cada sentido, ficando com seis faixas no total. Assim, a capacidade de fluxo de veículos na ponte será aumentada em torno 40%. Hoje, a ponte tem quatro pistas, sendo duas para cada sentido.

Leia Também:  Fungo inédito no inhame e na samambaia é descoberto por pesquisadores do Incaper

Para a inclusão das novas faixas, as pistas existentes ficarão mais estreitas e as proteções central e laterais também serão estreitadas. As pistas laterais serão de uso exclusivo de transporte coletivo e passarão a ter 3,10 metros cada. Já as pistas no meio serão para automóveis e terão 2,80 metros cada. A simulação do projeto mostrou eficiência e melhoria do trânsito em todos os horários.

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação da Semobi
Susana Kohler
(27) 3636-9617 / 99697-6783
[email protected]

Fonte: Governo ES

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estado

Bandes integra a Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital (ABVCAP)

Publicados

em


O Banco de desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) é o mais novo integrante da ABVCAP (Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital). Como Membro Investidor desta Associação, o banco se consolida na vanguarda dentro das discussões sobre formas de investimento que se enquadram nos conceitos de private equity, ventute capital e seed capital.

A participação do Bandes fortalece sua aproximação com os principais players do mercado da indústria de PE&VC brasileira, como investidores, órgãos reguladores e entidades públicas e privadas que atuam no segmento. De acordo com o gerente de Participações e Investimentos do Bandes, Wagner Rubim Rangel, o banco se estruturou para ser uma instituição de fomento à inovação capixaba.

“Com a participação do Bandes na ABVCAP seremos mais fortes para desempenhar nossa missão de promover o desenvolvimento do Espírito Santo, investindo em longo prazo, integrando mercados e alavancando o crescimento sustentável da economia capixaba”, destaca Wagner Rubim.

O banco de fomento capixaba é pioneiro no Espírito Santo em dar oportunidade de acesso a recursos equity (participação acionária) para companhias de base tecnológica e startups. Atuando como facilitador para o desenvolvimento de negócios dentro do ecossistema de inovação capixaba, o banco dispõe em sua carteira de produtos cinco Fundos de Investimento em Participações (FIPs), além do Epicentro, um hub focado em fomentar o ambiente de inovação no Estado.

Leia Também:  Estado recebe mais 124.700 doses de vacinas para dar continuidade à Campanha de Vacinação contra a Covid-19

O banco trouxe para o Estado alguns dos principais Fundos de Investimento em Participações (FIPs) do Brasil. Já são quatro disponíveis: Criatec3, Primatec, Seed4Science e Anjo.

Por ser cotista desses fundos, o Bandes abre caminho para que empresas capixabas se candidatem, por meio de processo seletivo. Cada fundo tem uma maneira de escolher suas “investidas” e uma empresa gestora responsável por identificar o potencial de crescimento das empresas candidatas.

O investimento das gestoras dos fundos vai além do suporte econômico, elas participam ativamente na gestão dos negócios, ofertam suporte estratégico e gerencial, oferecem apoio na seleção e formação da equipe, ajudam a definir metas e acompanham os resultados visando à aceleração e consolidação do negócio no mercado. Cada um dos FIPs têm alguns segmentos de atuação pré-definidos e uma empresa gestora que é responsável pela seleção.

Entenda o conceito:

Venture Capital é uma modalidade investimento focada em empresas emergentes. De forma geral, são empresas com um menor porte de faturamento (alguns fundos consideram até empresas em estágio pré-operacional), mas com grande potencial de crescimento.

Leia Também:  Apiacá e Alfredo Chaves recebem investimentos do Programa Caminhos do Campo

Private Equity é uma modalidade de investimento que tem como foco empresas já consolidadas. Geralmente, são investimentos que também buscam acelerar o crescimento das empresas investidas que estão em um estágio de maturação mais avançado do que investimentos de VC.

Informações sobre linhas de financiamento:
www.bandes.com.br
[email protected]

Informações à imprensa:
Gerência de Comunicação Institucional do Bandes
Bárbara Deps Bonato / Wilson Igreja Campos
(27) 99774-4428/ 3331-4424
[email protected]

Fonte: Governo ES

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA