Agronegócio

O mundo está veloz, exigente e complexo e o momento é de quem se adapta, afirma o especialista em comunicação

Publicados

em


‘Antes a diferença entre o jovem e o velho estava na idade. Agora a gente se diferencia por mentalidade. O futuro é veloz, exigente e complexo e para conquistar um espaço social é preciso se adaptar as mudanças’, a afirmação é do doutor em comunicação, Dado Schneider, durante a participação na edição virtual do Encontro Jovens da Agropecuária transmitida ao vivo nesta quarta-feira (09). 

“Quando o mundo deixou de ser vertical para ser horizontal, os mais jovens, no início da carreira já deixam legado. Os saltos de avanço são muito maiores. Lá atrás aprendíamos tudo pelas mãos dos mais velhos. Com a chegada da internet, as fontes de informação se multiplicaram, outra dinâmica e agenda, tudo é mais rápido, ‘nervosas’ em termo de velocidade. É preciso entender essa mecânica para ser uma pessoa do seu tempo”, acrescenta.  

Na abertura, o presidente do Sistema Famasul, Mauricio Saito, destacou a importância da atitude na construção do legado. “Além de respeitar é preciso agradecer a todos que nos atencederam, que já construíram algo anteriormente. O maior motivo de orgulho desta gestão é sem dúvida alguma de uma participação mais ativa de jovens e principalmente de lideranças mulheres”.

Leia Também:  CNA discute os impactos da MP 1.052 no agronegócio

Para a presidente da Comissão Famasul Jovem, Roberta Maia, o empenho dos envolvidos no projeto e a confiabilidade da instituição contribuem diretamente com a evolução. “Não é por um acaso que a gente está aqui hoje. Ao longo de seis anos temos desenvolvido um trabalho de engajamento, com muitos jovens que estão contribuindo diretamente com o sistema e com o agro. Quero agradecer ao Mauricio Saito, por ter aberto as portas da instituição e estendido a mão e ter deixado esse legado para os jovens”. 

O encontro é uma realização do Senar/MS com apoio institucional da Famasul e Comissão Famasul Jovem. Acontece anualmente com o objetivo de apresentar as perspectivas para a agropecuária no estado e no Brasil, promover abertura de espaço para representação da juventude no segmento, além de incentivar a liderança, a busca por conhecimento e a atuação das atuais e futuras gerações no setor produtivo.

Respeitando as medidas de biossegurança inclusive com testagem de todos os envolvidos no encontro. Uma plateia presencial e virtual composta por integrantes da Comissão Famasul Jovem, contribuíram com o momento.

Leia Também:  Com ATeG Balde Cheio, produção de leite aumenta 365%

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul – Anahi Gurgel e Ellen Albuquerque

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agronegócio

Senar debate ações do projeto FIP Paisagens Rurais em MS

Publicados

em


Projeto atende as cadeias da pecuária de corte e de leite.

Brasília (24/06/2021) – O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) participou, na quinta (24), da oficina do projeto FIP Paisagens Rurais para apresentar os objetivos e resultados esperados com a implementação do projeto em Mato Grosso do Sul.

O debate foi promovido pela Agência de Cooperação Técnica Alemã (GIZ) e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio do Serviço Florestal Brasileiro (SFB), e reuniu entidades parcerias do projeto no estado.

O Paisagens Rurais abrange 14 municípios dentro da bacia prioritária do Mato Grosso do Sul e a meta do Senar é atender 600 propriedades rurais na região até setembro de 2021, explicou Fabiano Pessatti, gestor do projeto no Senar em Mato Grosso do Sul.

“Até o momento já realizamos 736 visitas e atendemos 168 propriedades com assistência técnica e gerencial na cadeia da bovinocultura de corte. Os resultados esperados são aumento de produtividade, geração de renda, além de melhorias na cobertura vegetal da paisagem e no monitoramento das áreas de cerrado”.

Para Rafael Costa, assessor técnico da Diretoria de Assistência Técnica e Gerencial do Senar, a entidade tem conseguido executar o projeto no estado focando nos resultados.

Leia Também:  Café e carneiro: combinação que deu certo em Cambuquira (MG)

“Apesar dos gargalos e desafios encontrados, as propriedades atendidas no estado, devido ao perfil fundiário e ao engajamento dos produtores da pecuária de corte, vão contribuir para os resultados globais do Paisagens Rurais”, disse. “Contamos com os parceiros estaduais para trazer mais produtores para o projeto”, ressaltou.

O secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar de Mato Grosso do Sul (Semagro), Jaime Verruc, destacou a importância do projeto, que segundo ele, “está alinhado à estratégia de desenvolvimento sustentável do estado”.

“É um grande desafio construir esse desenvolvimento sustentável junto com os produtores, por isso é importante o engajamento de todos os parceiros para atingirmos as metas, tratando de forma adequada o uso de solo e fazendo a recuperação ecológica de algumas regiões.”

A coordenadora-geral de Apoio aos Estados da Diretoria de Regularização Ambiental do SFB, Jaine Cubas, afirmou que o projeto é estratégico para a entidade porque trará subsídios para a regularização ambiental e para “melhorar a paisagem dentro de um ecossistema de pastagem e recuperação produtiva”.

Segundo Sidney Medeiros, auditor fiscal do Ministério da Agricultura, o Paisagens Rurais é um projeto inovador que vai proporcionar melhoria de renda para o produtor e contribuir para que ele se adapte às mudanças climáticas e faça as adequações ambientais necessárias na propriedade rural.

Leia Também:  Senar debate ações do projeto FIP Paisagens Rurais em MS

O FIP Paisagens Rurais vai beneficiar quatro mil produtores rurais com ações de ATeG e mais 5,2 mil pessoas por meio de capacitação, estimulando a adoção de práticas agropecuárias de baixa emissão de carbono em 100 mil hectares e de conservação e recuperação em sete mil hectares de área.

A oficina desta quinta-feira completou a rodada de encontros virtuais com as entidades parceiras do projeto nos estados da Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Tocantins.

FIP Paisagens Rurais – O Projeto Gestão Integrada da Paisagem no Bioma Cerrado (FIP Paisagens Rurais) é financiado com recursos do Programa de Investimento Florestal, através do Banco Mundial. A coordenação é do Serviço Florestal Brasileiro (SFB) e da Secretaria de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), com parceria da Agência de Cooperação Técnica Alemã (GIZ), do Senar e do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI), por meio do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e da Embrapa.

Assessoria de Comunicação CNA
Telefone: (61) 2109-1419
flickr.com/photos/canaldoprodutor
cnabrasil.org.br
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
facebook.com/SENARBrasil
youtube.com/agrofortebrasilforte

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA